Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escritos de Eva

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Escritos de Eva

08
Mai12

Uma oferenda para o coração

eva

az

É uma oferenda para o coração

O coração que sofre e pena

Por si e pelos outros

Pelo sofrimento em si.

Paz

É uma oferenda para o coração

O coração que vive alegria contínua

Com arrogância sobre a tristeza

Provocando os outros.

Paz

É uma oferenda para o coração

O coração equilibrado

Que enaltece o melhor dos outros

Que alegra suavemente

Que sofre com esperança renovada.

Paz

É uma oferenda para o coração

O coração tranquilo

Em prolongada harmonia.

28
Mar12

Horizontes

eva

omos pouco, somos muito

Somos conforme sentimos

Ou conforme nos permitirmos sentir.

Tristeza e desilusão

São ilusões de nós;

Alegria prepotente

É excesso em nós;

Alegria serena e paz

São objetivos que podemos alcançar

E fatores de progresso

Além do horizonte comum,

Na imensidão

Na eternidade do ser

No melhor de ser em si.

08
Mai11

Ciclos da vida

eva

stás apática

Pareces dormir em pé

Nada interessa

Tudo é ilusão dos sentidos

Mas tudo pode ser sentido

Tudo pode ser diametrizado

Noutra direcção

Em regiões positivas

Mentalmente

O amor começa em nós mesmos

E daí é possível

Expandir o que se tem

Pois só se dá o que se tem

Tristeza generaliza apatia

Alegria generaliza bem-estar

Bem-estar com a vida

E com a morte

Bem-estar com os ciclos da vida

Bem-estar evoluindo

Serenamente

Em paz.

 

30
Mar11

Aceitar a vida e viver melhor

eva

sonho de todos é melhorar, seja de modo de vida, seja a si mesmo sentindo-se feliz

Sentindo felicidade a todos os instantes.

Será que procuram o bem-estar social?

Ou o político?

Será que pretendem o bem-estar que a saúde traz?

Será que procuram mais, como a fama, reconhecimento pelos outros do seu valor?

Será que é a paz íntima o que procuram?

Será algo, com certeza, que os fará sentir-se felizes.

Resta saber o que é isso, pois para cada indivíduo há uma projecção diferente dos valores da felicidade.

Seja como for, todo indivíduo procura sentir-se feliz, mesmo que isso nem seja nítido na sua mente.

Porque tal é um dos objectivos intrínsecos da vida e a depressão, a tristeza, sobrevêm quando esse estado não é alcançado há muito tempo.

Ainda há alguns que dizem que estão tristes e nem sabem porque causa, pois tudo lhes corre de feição.

Estar feliz é ser feliz com o que se tem. E o que se tem é a si próprio.

- Ohh! Mas isso é pouquíssimo, eu nem sou nada de jeito…

- A si próprio intimamente, em qualidades e virtudes.

- E isso serve para quê? Dá-me um carro novo, ou outra máquina de…?

- Serve o bem-estar que nada nem ninguém pode tirar. Serve para estar em paz consigo mesmo e com o mundo. Serve para ter paz no olhar, nas palavras, nos gestos, no coração. Serve para aceitar a vida e o que ela traz de novo a cada dia. Serve para viver melhor.

- Ohhh!

 

05
Out10

Triste porquê?

eva

- ou triste…

- E porquê isso, ‘miga?

- Nã sê…

- …

- Ela vem cá porque anda triste.

- ‘Tou triste.

- E triste porquê?

- Pôs nã sê, mas sê qu’ nã é bom andar triste sem saber porquê, né?

- Bem, é conveniente perceber o motivo da tristeza, como é conveniente dizer as letras todas das palavras e não falar tão depressa, quase a correr. Vai a correr para onde? Vamos tentar pensar mais devagar, falar mais devagar, agir mais devagar. Assim vai conseguir perceber melhor cada uma das suas atitudes ou, pelo menos, vai dar-se hipóteses de o conseguir.

A tristeza não tem mal algum se for um estado relativo e não um estado absoluto do seu modo de estar. A tristeza ajuda a equacionar o torvelinho em que, por vezes, transformamos a nossa vida. Porém, ficar na tristeza é doentio e por isso devemos superá-la.

Há tanto para valorizar em nós mesmos, na nossa vida! A vida não é só cor-de-rosa, pode ser multicolor e bela e na sua variedade enriquecer-nos…

- Já sê. Você é mesmo boa nist’. Já sê tudo!

- Sim?

- Sim, já sê porque ‘tou triste. Adeus, vou resolver esta tristeza já já. ‘Tá bem, vou tentar falar corre’to, mas ‘miga, custa muito. Já viu qu’é quase o dobro das letras?...


08
Jul10

A melodia dos nossos pensamentos

eva

elodias do mar. Melodias do campo, do nascer e do pôr-do-sol, da tristeza, da alegria…

A melodia sente-se em todas as veias e articulações do corpo, da mente…

A melodia musical é a melodia dos nossos pensamentos, da nossa forma de pensar.

A nossa própria melodia é a nossa maneira de encarar e de estar na vida como, aliás, na morte.

O passar e ultrapassar, ou não, de cada experiência, de cada conflito ou do ultimatum que a vida nos coloca, ou que nos provocamos, é também a construção de novas melodias de nós mesmos.

Tudo o que nos rodeia tem uma melodia própria e nós temos a que nos é apropriada.

E as melodias compõem as músicas.

Sejamos bons músicos de nós mesmos e seremos bons músicos para todos os que nos ouvirem.

- Como as teclas do telemóvel que soam?

- Ahhh! Pode ser, sim!

 

10
Set09

Os caminhos de cada um

eva

Descoroçoados, desesperançados… São desesperos e amarguras muito fortes e vívidas que atroam no interior de alguns.
São gritos de dor que se tentam sufocar a todo custo mas que, de vez em quando, saem abruptamente sem dar aviso.
São gritos íntimos que nem sempre se sabem explicar por meio de estados lúcidos.
São sufocos para as alegrias e desprendimentos.
São estados prisionais desconhecidos da consciência, mas muito bem vividos pelo subconsciente e bem marcados na memória inconsciente.
São lágrimas com força de caudal de grandes rios.
São tristezas ditas infundadas. São securas inexplicáveis.
Todos nós somos isso tudo!
E todos nós, um dia, seremos livres disso tudo e por isso devemos manter viva a Esperança.
As prisões vividas em consciência da realidade, ou as vividas inconscientemente, hão-de ter os seus portões e portas escancarados, um dia…
Há um dia para cada um e para todos poderem sentir a liberdade no mais íntimo do seu ser!
- Dizem que se constrói o futuro a cada dia do presente…
- Mais uma razão para se vivificar a luz da esperança no interior de cada um a cada dia, a cada instante. Porque não sabemos nem o dia nem a hora em que vamos precisar dela para nos dar alento e prosseguir o nosso caminho.
- Os caminhos de cada um são cada vez mais fáceis ou mais difíceis?
- Não sei responder a isso, mas sei dizer que a Esperança vale como um bálsamo no caminhar mais árduo…
 
.

.
.
Fotografia de Keith Erskine
Imagem retirada da net
.
.
Disse  Antonio Porchia:  Se não levantares os olhos, pensarás que estavas no ponto mais alto !
.
.
17
Jun09

Bloqueios

eva

Águas que correm de mansinho. Frescura que fica no ar. Pontinhos luminosos que são as gotas ao Sol.
É dia e tudo em redor palpita de movimento e sons.
Ali, naquela clareira, está um vulto negro e quieto. Parece quedo de tristeza, mas afinal percebo que é quedo de horror. Petrificado!
Mesmo observando com a maior atenção, mal se distinguem os olhos e a forma… mais parece uma rocha do que uma pessoa.
Porque as pessoas têm vultos ligeiros e este parece cristalizado naquela posição, meio direito, meio curvado sobre si mesmo. Ou mesma, porque nem se consegue perceber se é homem ou mulher e, ainda menos, se é jovem ou não.
Começamos a falar-lhe e nada!...
Dirigimos palavras cada vez mais amáveis e carinhosas e… nada!
Ficámos à mesma, partilhando o mesmo espaço, mas a respeitosa distância.
Passado algum tempo pareceu-nos distinguir-lhe melhor os olhos e a figura pareceu um nadinha mais direita.
Continuamos conversando e demonstrando sempre não querer isolar ninguém.
Passado mais algum tempo a figura olhou-nos directamente e percebemos que era uma mulher carregando uma tristeza tão negra e compacta como o seu vulto.
Mais algum tempo e o negro da cor foi caindo como se fosse uma cobertura.
O chão, por baixo dela, era agora um rio que lavava um horror e desespero imensos, clareava uma capacidade de amar quase sublime.
Aquele rio era formado, afinal, pelas suas lágrimas que, ao caírem, lavavam e desmistificavam os seus bloqueios.
Agora estava cor-de-rosa.
.
.

.

Maria João Brito de Sousa - A lágrima
Imagem retirada da net

.
.

Disse  Vergílio Ferreira:  Sempre a autenticidade de nós está a uma distância infinita das razões que a justificam !

.
.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema

ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2006
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D