Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Início

. Tudo vibra e ressoa mais ...

. Aprender amando

. Sonham-se sonhos?

. Há de tudo

. Cecília Meireles # A arte...

. Da regeneração

. Sonho interrompido

. Paralelo inacabado IV

. Há sonhos e sonhos

. As crianças

. Florbela Espanca # Nostal...

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Sexta-feira, 23 de Novembro de 2012

Início

- iço…

- O quê? Já estamos às voltas e não encontramos saída alguma!

- Oiço… como que burburinhos… rumores…

- E donde vêm, saberás dizer?

- Pois não, são muito ténues… nem parecem daqui… olha, nem sei se estou a sonhar com isso ou se estão lá – seja o onde for…

- Estou cansado!

- Esperemos aqui um pouquinho e se os barulhos ainda não se definirem voltaremos a pôr-nos a caminho.

- Mas a caminho adonde, pode saber-se? Nós nem sabemos o que é isto, quanto mais como nos livraremos daqui!

- Mas eu continuo a ouvir…

- Oh!

- Shiiiuuu! Não ouves, não atrapalhes quem já está aflito…

- Ok! Assim como assim

- Ahh! Entendi! Estamos paredes-meias com uma casa de habitação; vamos seguindo o som das conversas e pode ser que cheguemos perto de uma porta, janela, respiradouro… sei lá!

- Estou cansado!

- Então vamos mais devagar, mas parar mesmo ou desistir - não!

- Humm… olha, até eu vejo a luz que entra ali, vês? Ou é sonho?

- Vejo, vejo. Olha aqui um portal enorme!

- Vamos, vamos! Ahhh, finalmente!

- Finalmente? Agora é que começamos verdadeiramente…!


publicado por eva às 00:30

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 1 de Outubro de 2012

Tudo vibra e ressoa mais além

udo vibra e ressoa mais além

Dos sons melodiosos aos pensamentos

Dos ruídos às estratégias

Tudo vibra e ressoa mais além

Da natureza ao universo

Da planta ao animal

Do mineral à célula

Tudo vibra e ressoa mais além

Das ideias ao raciocínio

Dos pensamentos ao modo de pensar

Tudo vibra e ressoa mais além

Muito além da nossa imaginação e sonho

Muito além da esperança

Tudo vibra e ressoa mais além…


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | favorito

Sábado, 12 de Novembro de 2011

Aprender amando

prender

É vontade de saber

É querer conhecer

É sonho em realidade

De ir mais além

Nos mares da consciência comum.

Aprender

É compreender

A vida agora

É entender e perceber

É promover

O conhecimento de si.

Aprender

É viver de modo abrangente

Várias dimensões conscienciais

É o progresso de cada um.

Aprender

É também amar aos outros como a si mesmo.


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | favorito

Domingo, 6 de Junho de 2010

Sonham-se sonhos?

emos sempre tantas dúvidas… tenho…

Podes ser duvidoso por natureza. Podes ser assertivo… podes…

Nem sei tudo o que se pode ser…

A vida é um instante. A vida é nada. A vida é tudo o que sonhamos ser.

O sonho pode não ser mais que um sonho.

Mas assim mesmo é que ele é – um sonho.

Sonham-se sonhos? Pois, deve ser assim a outra dimensão dos sonhos.

Sonhar o sonho que gostaríamos de ser, de fazer, de…

Sonhar sonhos está na natureza do sonho.

Ser sonhador pode não ser a natureza de quem quer estar desperto para a vida.

Certamente que sonhar é diferente de estar acordado para a realidade.

Às vezes não se consegue aceitar a realidade de uma só vez; só entremeada de sonhos.

A questão é distinguir o que é real e o que ainda é um sonho.

 


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 29 de Março de 2010

Há de tudo

ono, sonhos. Sonhos atormentados. Sonhos felizes.

As nossas preocupações e os nossos anseios – tudo se confunde nos tempos de sono.

Há quem prepare meditações, regressões e futurologias individuais e de grupo.

Há quem queira ajudar. Há quem queira conhecer.

Há, também, quem queira lucrar o seu dia. Há quem queira bisbilhotar a sua vida, a dos seus amigos, o que há para além de…

Há quem queira divertir-se. Há quem queira ter passatempos interessantes. Há quem queira ter predominância sobre as pessoas em geral, ou as conhecidas, ou as aflitas e necessitadas.

Há de tudo!

Há capacidade para discernir! Porque mesmo no meio da dor mais profunda, a consciência íntima avisa e defende o ser.

Há capacidade para escolher o ambiente que se vai partilhar.

Mas, também há incapacidades, deficiências e alterações que obscurecem o entendimento e a lucidez.

Há que ter em conta que as deficiências físicas e mentais pertencem ao corpo e à pessoa, não exactamente ao espírito do ser.

Há que ter em conta que todas as situações são razoáveis porque têm uma razão para ser assim, naquela altura e daquele modo para tal indivíduo.

Há que ter em conta que tudo pode mudar com o instante de um clique.

Há que ter em conta a vontade de mudar e de escolher para que nível se decide mudar e que isto se reflecte no mais ínfimo movimento ou expressão.

Há que ter em conta que a intenção já é movimento do ser e que o sonho pode ser liberdade.

- E tu, sonhas sempre o mesmo?

 


publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

Domingo, 22 de Novembro de 2009

Cecília Meireles # A arte de ser feliz (Crónica 2)

HOUVE um tempo em que a minha janela se abria para um chalé. Na ponta do chalé brilhava um grande ovo de louça azul. Nesse ovo costumava pousar um pombo branco. Ora, nos dias límpidos, quando o céu ficava da mesma cor do ovo de louça, o pombo parecia pousado no ar. Eu era criança, achava essa ilusão maravilhosa e sentia-me completamente feliz.

HOUVE um tempo em que a minha janela dava para um canal. No canal oscilava um barco. Um barco carregado de flores. Para onde iam aquelas flores? Quem as comprava? Em que jarra, em que sala, diante de quem brilhariam, na sua breve existência? E que mãos as tinham criado? E que pessoas iam sorrir de alegria ao recebê-las? Eu não era mais criança, porém a minha alma ficava completamente feliz.

HOUVE um tempo em que minha janela se abria para um terreiro, onde uma vasta mangueira alargava sua copa redonda. À sombra da árvore, numa esteira, passava quase todo o dia sentada uma mulher, cercada de crianças. E contava histórias. Eu não podia ouvir, da altura da janela; e mesmo que a ouvisse, não a entenderia, porque isso foi muito longe, num idioma difícil. Mas as crianças tinham tal expressão no rosto, a às vezes faziam com as mãos arabescos tão compreensíveis, que eu participava do auditório, imaginava os assuntos e suas peripécias e me sentia completamente feliz.

HOUVE um tempo em que a minha janela se abria sobre uma cidade que parecia feita de giz. Perto da janela havia um pequeno jardim seco. Era uma época de estiagem, de terra esfarelada, e o jardim parecia morto. Mas todas as manhãs vinha um pobre homem com um balde e em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas. Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.

MAS, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.

.

.

in "Escolha seu sonho"

de Cecília Meireles

.

.

Disse  Cecília Meireles:  O vento é o mesmo: mas sua resposta é diferente, em cada folha !

.

.


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quarta-feira, 18 de Novembro de 2009

Da regeneração

Todos queremos ser felizes…
- Alguns não!
- Como?
- Alguns apenas querem sobreviver protegendo a sua família e todos os que vão encontrando e esquecendo-se, na maior parte das vezes, de si próprios, numa abnegação total, a ponto de arriscarem a sua vida pelos outros.
- Mas esses são apenas alguns…
- Com certeza que sim, mas o seu valor, mesmo ignorado da maioria, é grandioso e quando olhamos para esses seres, a luz que resplandece da sua figura ofuscando tudo em redor. Parecem um holofote gigante e, não raras vezes, a sua figura física é diminuta ao olhar vulgar.
- Mas esses são apenas alguns, repito.
- O que quero dizer é que se esses existem no meio de nós, disto tudo que às vezes parece nem ter uma explicação racional e humana-humanista... Então, é possível que todos nos possamos transformar e regenerar nessa plástica mental.
- Plástica?
- Em formulações mentais muito mais adiantadas que o vulgar que se encontra no dia-a-dia. Esses simbolizam o que qualquer humano pode vir a ser, pode vir a conseguir…
- Isso são sonhos!
- Já diz o poema – quando um homem sonha o mundo pula e avança…
- Só quando o sonho é construtivo.
- Se há a hipótese, deve haver a prática.
- E bastaria sonhar, na tua opinião?
- Poderia, pelo menos, começar pelo sonho bem imaginado, bem traçado em programa de regeneração.
- Como os tratamentos para os viciados…
- Como qualquer terapia reconstituinte do ser ideal.
- Se é ideal…
- Se é ideal – se existe a ideia – então existe a sua possibilidade real.

.
.
.

Ponte Oresund entre a Dinamarca e a Suécia
Imagem retirada da net
.
.
Disse  Norman Cousins:  O progresso começa com a convicção de que aquilo que é necessário é possível !
.

.


publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 7 de Abril de 2009

Sonho interrompido

Ela tinha uma rosa na mão.
Era moça ainda e a rosa fugia-lhe da mão.
- Estava vento?
- Não, nada disso. Fugia-lhe porque não a segurava bem.
- Uma flor na mão custa a segurar?
- Bem, ela queria segurá-la para se elevar a voar pelos céus afora, passar as nuvens…
- Ihhh! Onde isso vai!
- Ela ainda não vai, mas há-de ir…
- Hã?
- Vai agora, se observares bem, consegues perceber o que digo. Olha, lá vai ela. A flor está agora desfocada para os seus olhos e assemelha-se a algodão. Vês?
- Humm… humm…
- Conseguiu passar as nuvens e está a chegar ao Sol… já o passou e agora vai por ali fora cheia de confiança que nada é impossível…
- Já está!
- Já está o quê?
- A gasolina… já paguei e tudo. E ela, dorme?
- Nããoo... interromperam…

.
.

.

Jim Shanahan - Sonhando ao pé do rio
Imagem retirada da net

.
.

Disse  Rubem Alves:  A semente do pensamento é o sonho !

.
.

tags: , ,

publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | favorito

Sábado, 31 de Maio de 2008

Paralelo inacabado IV

Areias cor-de-rosa. Sim, cor-de-rosa. E bege também, o bege da cor de areia.
Nesse areal forma-se um remoinho e a areia fica em camadas concêntricas, misturando as cores.
São cores em tonalidades muito suaves de bege e rosa e até se distingue o branco da sílica a brilhar.
Oh, como tudo brilha à luz do sol.
Parece um deserto e está quente, mas não é o calor típico do deserto. E sopra apenas uma brisa muito, muito suave.
Do remoinho, saem pessoas como se chegassem ao cimo de uma escada vertical, muito lá do fundo, e em vez de uma porta chegam directamente à luz do sol no centro do dito remoinho, na areia.
Outros, cá em cima, olham fixamente para esse ponto central e apesar de estarem a salvo no areal conseguem, sem perceber como, mergulhar directamente no remoinho.
E caem. Caem na escuridão. E, ao cair, vão como que voando de braços abertos e com as roupas a esvoaçar. Primeiro descendo para o fundo e depois mantendo-se na horizontal.
Naquele espaço sempre escuro e sem luz aparecem de vez em quando círculos violetas a brilhar. E as pessoas aproveitam e passam pelo seu centro - como se eles apontassem o caminho.
E ao passar por eles é como se mergulhassem, agora, em água. E todos vão passando até chegarem ao outro lado, como se tivessem atravessado um planeta pelo centro.
Lá fora está céu azul e sol outra vez.
- Que viagem longa!
- Longa? Foram minutos e tu conseguiste dormir. Incrível!
.
.
.
Imagem retirada da net
.
.
Disse  Giovanni Pascoli:  O sonho é a infinita sombra da verdade !
.
.

publicado por eva às 23:52

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 4 de Abril de 2008

Há sonhos e sonhos

Todos sonhamos  o mesmo sonho, que se repete, ou sonhos diferentes.
Uns mais agradáveis que outros. Em alguns sonhos, somos os espectadores. Noutros, estamos lá a viver intensamente todos aqueles acontecimentos.
O porquê dos sonhos interessa a muitos. E porque interessa?...
Porque chegaram a resolver o que estava a acontecer no sonho...
Ou porque gostariam de repetir o final...
Ou porque não chegaram ao final...
Por simples curiosidade...
Ou necessidade de fazer algo que não se chegou a fazer.
Há sonhos que podem ser sonhados de forma mais ou menos consciente.
Quando se formulam em nós é quase sempre uma surpresa.
Quando os queremos repetir ou alterar é, talvez, a vontade a expandir-se.
É uma resolução de cada um sobre si mesmo.
Alterar atitudes e melhorá-las é sempre uma oportunidade.
Consciencializar é a grande oportunidade da vidinha que levamos.
.
.

.
In Memoriam  Martin Luther King
.

.
Disse  Martin Luther King :  Não fiz o melhor, mas fiz tudo para que o melhor fosse feito. Não sou o que deveria ser, mas não sou o que era antes !
.

.


publicado por eva às 22:54

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds