Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escritos de Eva

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Escritos de Eva

30
Dez09

Os números

eva

Lutas pelo poder em vários países e regiões.
Lutas pelos direitos e lutas pela reunião familiar em qualquer ponto do globo.
Lutas pela solidariedade e lutas pela sobrevivência noutros tantos sítios.
Lutas com armas e lutas pacíficas.
Lutas com sessões de psiquiatria e psicologia ou individuais e solitárias.
- Em princípio as lutas são para conseguir algo melhor, com maior ou menor risco pessoal.
- No fim, talvez não ou talvez sim…
- Os resultados são sempre reduzidos a números, como nas equações matemáticas que são enormes ao início, carregadas de números e símbolos numéricos e que, no fim, são simplesmente iguais a um número ou a uma incógnita...
- Os números falam mais que as palavras e são universais quanto ao conhecimento. É, também, graças ao número que se promovem os inventos e conhecimentos científicos, assim como se promovem as horas e dias a um calendário anual e à nossa parca agenda diária. Pelos números temos a noção da amplitude de tremores de terra e de outros problemas semelhantes ou derivados. Pelos números temos a noção da importância dos fenómenos ou de acontecimentos triviais. O número faz parte integrante do nosso mundo e do nosso conhecimento apesar da matemática escolar nem sempre traduzir essa ideia facilmente. É também o número que localiza o nosso planeta Terra no meio do Universo conhecido e nos dá a noção de quanto Universo falta conhecer. De qualquer modo, é o número que nos relativiza em relação a um todo, ou total, que a princípio nem sonhamos, ou sequer presumimos a existência. Pelo número podemos apreender a insignificância, ou a significância do que nos diz respeito, do que mais intimamente nos toca.
- Mas eu detesto números! Excepto… hummm… deves-me 5€… até os poderes devolver.

.
.

.

Joan Miró - Números e constelações
em amor com uma mulher
Imagem retirada da net
.
.
Disse José Saramago: O que as vitórias têm de mau é que não são definitivas. O que as derrotas têm de bom é que também não são definitivas !
.

.

01
Mar09

José Saramago # Não me peçam razões

eva


 

Não me peçam razões, que não as tenho,
Ou darei quantas queiram: bem sabemos
Que razões são palavras, todas nascem
Da mansa hipocrisia que aprendemos.

Não me peçam razões por que se entenda
A força de maré que me enche o peito,
Este estar mal no mundo e nesta lei:
Não fiz a lei e o mundo não aceito.

Não me peçam razões, ou que as desculpe,
Deste modo de amar e destruir:
Quando a noite é de mais é que amanhece
A cor de primavera que há-de vir.

.


de José Saramago
in "Os Poemas Possíveis"
.


.
Disse  José Saramago:  Nem a arte nem a literatura têm de nos dar lições de moral. Somos nós que temos de nos salvar, e isso só é possível com uma postura de cidadania ética, ainda que isto possa soar antigo e anacrónico !
.
.

20
Abr08

Natália Correia # Queixa das Almas Jovens Censuradas

eva
.
QUEIXA
DAS ALMAS JOVENS CENSURADAS

.

Dão-nos um lírio e um canivete
E uma alma para ir à escola
E um letreiro que promete
Raízes, hastes e corola.

Dão-nos um mapa imaginário
Que tem a forma duma cidade
Mais um relógio e um calendário
Onde não vem a nossa idade.

Dão-nos a honra de manequim
Para dar corda à nossa ausência.
Dão-nos o prémio de ser assim
Sem pecado e sem inocência.

Dão-nos um barco e um chapéu
Para tirarmos o retrato.
Dão-nos bilhetes para o céu
Levado à cena num teatro.

Penteiam-nos os crânios ermos
Com as cabeleiras dos avós
Para jamais nos parecermos
Connosco quando estamos sós.

Dão-nos um bolo que é a história
Da nossa história sem enredo
E não nos soa na memória
Outra palavra para o medo.


Temos fantasmas tão educados
Que adormecemos no seu ombro
Sonos vazios, despovoados
De personagens do assombro.

Dão-nos a capa do evangelho
E um pacote de tabaco.
Dão-nos um pente e um espelho
Para pentearmos um macaco.

Dão-nos um cravo preso à cabeça
E uma cabeça presa à cintura
Para que o corpo não pareça
A forma da alma que o procura.

Dão-nos um esquife feito de ferro
Com embutidos de diamante
Para organizar já o enterro
Do nosso corpo mais adiante.

Dão-nos um nome e um jornal,
Um avião e um violino.
Mas não nos dão o animal
Que espeta os cornos no destino.

Dão-nos marujos de papelão
Com carimbo no passaporte.
Por isso a nossa dimensão
Não é a vida. Nem é a morte.

.
In “Dimensão Encontrada”
.
.
Disse   José Saramago :  eles querem a guerra, mas nós não vamos deixá-los em paz !
.
.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema

ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2006
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D