Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Extremos

. Sorte

. Riqueza humana

. Mudanças contínuas

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Quinta-feira, 1 de Dezembro de 2011

Extremos

m tempos perturbados, o conhecimento e a virtude são benesses para quem as pratica e para quem as recebe.

Em tempos atribulados de interesses os bons instintos serão intuições seguidas de boa mente.

Nos tempos difíceis que atravessam o bem-estar conseguido por maiorias populacionais, surgem os extremos de riqueza e pobreza.

Surgem as arrogâncias de quem tem a mania de tudo deter à sua vontade.

Surgem as atrocidades para quem nada tem.

Aparecem sentimentos de tudo valer em tempos de crise.

Mas outros há que serão sempre, em qualquer circunstância, heróis da boa vontade.


publicado por eva às 22:38

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 1 de Novembro de 2010

Sorte

- stá ali, ali em frente, não vês? Pois, aquele ali é um tipo cheio de sorte. Não, literalmente cheio de sorte, ganhou prémios chorudos e tudo! Pois, esse mesmo!

- E que fez a todo o dinheiro? Não tem propriamente um ar feliz!

- E quem te disse que o dinheiro ganho assim, de uma vez, e sem dívidas nem nada para pagar, faz bem, felicidade, etc?

- Acho que é caso assente – quem tem dinheiro é feliz…

- Pois este não foi nada. Conforme o ganhou ao jogo, ao jogo o apostou e perdeu.

- E depois, qual é então o problema? Se não precisa dele e ganhou fácil, facilmente o perdeu. Ainda por cima perdeu-o como gosta, a jogar.

- Pois, pois! O problema foi que apostou muito mais do que devia e perdeu esse dinheiro último mais outros que não eram para ser tocados e que implicavam outras pessoas. O dinheiro estragou-lhe a vida e agora que precisa mesmo dele para pagar despesas de saúde já não tem onde o ir buscar.

- Então o melhor é ser pobre?

- Pobre? O melhor é ser rico de pensamentos construtivos e provedores de bons sentimentos e moral, da formação de uma boa família. Aí, quando o dinheiro vem é bem aplicado, sensatamente distribuído e muitas vezes aumentado substancialmente. O problema não está no dinheiro, está em quem o usa e de que maneira o aplica.

- Então o dinheiro não é nada?

- O dinheiro é algo que podemos manusear se o temos ou adquirir por diversos modos, aplicando-o conforme o nosso desenvolvimento pessoal.

 


publicado por eva às 00:37

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Segunda-feira, 24 de Maio de 2010

Riqueza humana

anto disparate. Tanta angústia. Tanta complicação e tanto desprezo de uns pelos outros. Tanto orgulho e teimosia.

- Tanta riqueza humana!

- Hã? Onde?

- Por todo o lado! Alguns que nada teriam para dar e dividem o que têm...

- E outros que fingem não ter e se aproveitam da boa vontade imbecil…

- E… tanto que haveria para dizer, incluindo de quem arrisca a vida diariamente para salvar nem sabe quem…

- Estás a falar de?

- De bombeiros, de médicos, enfermeiros, empregados…

- Médicos? Ganham rios de…

- E bactérias e vírus e doenças contagiosas…

- Alguns! Outros nem vêem bem os doentes quanto mais aproximarem-se deles que, ainda por cima, lhes pagam os minutos ínfimos que estão dentro do seu consultório para sair de lá com uma pilha de exames para fazer e pagar, pagar…

- Há de tudo, seja nos profissionais, seja nos sem abrigo ou nos mais desfavorecidos da sorte.

- Desfavorecidos da sorte? Onde?

- Realmente, estava esquecendo que também há os desfavorecidos de ideias e de caridade…

- Como eu?

 


publicado por eva às 00:39

link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 28 de Abril de 2010

Mudanças contínuas

anto passado para esquecer. Tanto passado para lembrar com agrado. Tanto passado para resgatar e poder prosseguir livremente. Tanto passado para prosseguir em mudanças contínuas.

Todo um passado a enformar o presente. Todo o presente a enformar um futuro.

Tantos desacertos e tantas ajudas…

- O quê? Onde? Ah! Já estão à porta, já! Pronto! É só levar tudo o que já está embrulhado e encaixotado. O que não está é porque não pode estar.

- Isso! Vamos embora, que o Sol guarda-nos um refúgio no fim do arco-íris.

- Não é a história do pote de ouro?

- Não é bem isso. A tal riqueza em ouro é, simplesmente, a que construímos e levamos sempre connosco.

- Ou seja?

- A da nossa riqueza interior, a riqueza das nossas virtudes acumuladas. Delas são aquele brilho ofuscante da história.

- Ou seja, essa é outra das vertentes da história, porque deve prestar-se a muitas interpretações, não é?

- Tantas quantas as nossas possibilidades. A cada um a sua medida em cada instante e cada circunstância.

- Humm! Então é daí a frase – eu e a minha circunstância!

 


publicado por eva às 00:39

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds