Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Toda a gente quer algo qu...

. A soma das parcelas

. O cabelo comporta-se?

. O maravilhoso que há em n...

. Um jardim

. Todos podemos ser

. Escolas de vida

. Andarilhando

. Conhecimento

. Relações

. O tempo... "in tempo"

. Fardas e ética

. Eugénio de Andrade # Que ...

. Estava ali um polícia. Al...

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Sábado, 10 de Março de 2012

Toda a gente quer algo que não tem?

- stou bem, obrigado.

- Porque dizes sempre isso?

- Porque é verdade!

- Toda gente quer algo que não tem.

- Eu não, não peço nada, não pretendo nada, não sonho com nada mais.

- Essa agora!

- Pois, mas é assim! Estou bem com o que tenho, com o que sou.

- Mas tu agora não tens nada! Nem casa, nem emprego, nem família, nem animais de estimação, nem…

- Pois não, mas sei que tenho o que necessito para viver.

- Hã?

- Sim, é simplesmente isso. Estou bem! Estou bem comigo, sinto-me bem a tentar, mesmo que repetidamente, tentar encontrar uma casa que possa pagar com os trabalhos que faço, mesmo que esporadicamente e sem contrato nem regalias de qualquer espécie…

- É uma pena não permitirem venda ambulante a qualquer um que precise trabalhar. Sei que derivam daí alguns problemas, especialmente de falta de higiene e condições, mas a verdade é que muita gente desempregada estava ocupada honestamente a ganhar a vida, a ganhar o seu dia. Hoje a mendicidade ocupa esse lugar…

- Pois… não vale chorar sobre o que poderia ser, apenas agir na medida em que nos é possível fazê-lo…

- A cada um a sua responsabilidade!


publicado por eva às 00:25

link do post | comentar | favorito

Domingo, 4 de Setembro de 2011

A soma das parcelas

erços, quartos, oitavos, rodas, etc.

Objectos e instrumentos que os homens se munem para conseguirem concentrar-se.

Ou no trabalho ou na religiosidade.

Em tudo isto o intelecto e a mente progridem.

Pelo trabalho progride o homem.

Pela moral se eleva espiritualmente.

Cuidemos de tudo porque a soma das parcelas fará sempre o resultado do total.

Em cada vida, em cada episódio da existência, saibamos extrair os melhores ensinamentos. Pois estes são os promotores de progresso individual.

E como a família é a célula estrutural das sociedades, assim o indivíduo que se eleva espiritualmente é a célula promotora e exemplar do que se pode conseguir a nível da personalidade.

O progresso deve permear tudo e todos.

O mundo, o planeta, são correlativos connosco.

A responsabilidade é mútua e recíproca.

É bom, é útil e benéfico encontrar os elos de ligação entre nós mesmos e o mundo.


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 4 de Julho de 2011

O cabelo comporta-se?

- om dia! Agradecia um corte radical.

- Credo! Não gosto nada quando as clientes dizem isso. Eu corto e depois não voltam cá porque cortei muito e ficaram diferentes, mas não como queriam ficar. Não gosto, não!

- Mas eu trouxe uma foto duma revista para a senhora fazer igual.

- Pior ainda! Ninguém fica igual às fotos e depois eu é que tenho a culpa toda…

- Juro que não! Aceito o que ficar.

- Isso é o que dizem antes de se ver. Não, não. A senhora tem que ser responsável pelo que escolhe. Mostre lá a foto… Posso fazer-lhe esse corte porque tem cabelo para isso, mas não vai ficar igual. A senhora é uma pessoa e essa aí é outra. Até lhe digo mais, se fizermos o mesmo corte de cabelo a gémeas, elas nem ficam iguais nem se penteiam de igual. A não ser que sejam muito crianças ainda. Porque a personalidade dá traços diferentes à face e até o cabelo se comporta doutro modo.

- O cabelo comporta-se?

- Pois claro que comporta. Se a senhora estiver zangada o cabelo age como tal, igual para a tristeza, alegria, etc. O nosso modo de viver está patente nas emoções que sentimos e elas condicionam o nosso corpo, desde os órgãos à pele e cabelo. Tudo!

- A senhora deveria ter estudado para psicóloga.

- Em todos os negócios que tratem directa ou indirectamente com público temos que ser também psicólogos e muito práticos. Bem, voltando ao assunto…

- Olhe, fico na mesma, apare só as pontas e vou ver melhor o que faço a seguir. Olhe, nem isso, penteie só ao estilo da foto e depois logo vejo…

- Ora aí está uma decisão que aprovo 100%. Assim é que deveriam fazer todas.

- Pois, pois… mas eu tinha-me mentalizado que sairia daqui diferente.

- E sai, garanto-lhe que sai!

 


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 10 de Maio de 2011

O maravilhoso que há em nós a todo o instante

oje somos muitos. Somos nós e os outros.

Ontem éramos nós e os outros.

Amanhã conviria que fôssemos todos juntos.

Esse é o objectivo, a unidade.

Unidade de evolução, de consciência una e universal – cósmica.

Todos elaboramos a nossa própria evolução e contribuímos para a dos outros.

Essa contribuição pode ser negativa ou positiva.

Sejamos responsáveis pelo que há, pelo que sucede de positivo, de progresso. Seja da humanidade, seja dos animais, plantas, rochas, terra, água, ar…

Seja do que seja, possamos olhar para trás, para o que passou e perceber se poderíamos ter feito melhor.

Temos o presente para o ser, para remediar o que não ficou bem, para ampliar e projectar o nosso melhor no futuro imediato que segue o presente.

Projectos? Sejam o maravilhoso que há em nós a todo o instante. E nada mais será necessário, o momento actual será pleno na nossa própria graça.

A graça da vida inteligente.

- Então e os horrores que outros cometem?

- São da responsabilidade de quem os perpetua. Nós somos responsáveis pelas nossas respostas ao meio em que vivemos e nos inserimos. E sobretudo, de nós por nós mesmos, na nossa quota e parcela do todo.

 


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 11 de Setembro de 2010

Um jardim

um sonho! O jardim do bairro perto de casa, ou um jardim em redor da própria casa é um conforto e um regozijo.

Sim, sim! Também acoberta os grupinhos mal-queridos pela vizinhança e que tudo destroem à sua passagem.

Enfim, como sempre, há quem desleixe, ou destrua, e há quem ame, ajude e valorize.

A cada um a responsabilidade de seus pensamentos e acções.

Sim, sim! Mesmo quando são influenciados pela energia do grupo, cabe a cada um a sua responsabilidade. Mas o menor ou maior grau de responsabilidade será diferente conforme a situação vivida individualmente.

- Assim como a justiça?

- A justiça é Divina. O que temos neste mundo, ou seja, a este nível de evolução, são um conjunto de regras, ou leis, que preconizam o seu cumprimento em igualdade de situações.

- Ah! Temos um projecto de justiça!

- Melhor que nada! E voltando ao jardim, é um must poder sentar num banco e desfrutar da paisagem, das brincadeiras de crianças, de todos os que vão passando e passeando. Escolher um livro e ir lendo, despreocupadamente.

Estar num jardim de modo solto – é uma maravilha!



publicado por eva às 23:51

link do post | comentar | favorito

Domingo, 25 de Julho de 2010

Todos podemos ser

uero aquele gatinho! Quero levar este cachorro, deixam? Quero… Quero!

E depois os animaizinhos crescem e tornam-se adultos e perdem toda aquela piada da novidade e depois…

Depois os pais ou promovem a responsabilidade, ou não.

E os filhos ou estão ou não receptíveis a esse ensino ou à falta dele.

E somos uma sociedade feliz porque há sempre alguém que queira bem a outro ser vivo que, em princípio, lhe retribui com simpatia.

Todos nos vamos amparando de algum modo e todos precisamos dessa força interior, dessa energia que tudo altera em nós, nos outros e em tudo – o Amor.

Esse Amor que se dedica constantemente, sem torturas nem faltas de ar, mas trazendo bem-estar e paz interior.

Esse Amor que expande a grandeza de ser que todos somos, desde os mais empedernidos aos mais elevados.

Todos podemos sentir esse Amor magnânimo, todos podemos caminhar melhor os trilhos da nossa vida.

Todos podemos ser o que, afinal, já somos e nem percebemos o quanto somos!

 


publicado por eva às 00:38

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 20 de Abril de 2010

Escolas de vida

- amos para o hospital?

- Fazer o quê? Tens alguma consulta ou problema para resolver lá?

- Qualquer coisa. Gosto dos jardins de lá, acho os hospitais uma escola.

- Hã? Não devem ser os mesmos hospitais a que vou quando estou doente.

- É, é, pois se nem há doutros!

- Então, não percebo.

- Acho que são escolas de vida, porque chegamos lá mal porque estamos doentes de alguma coisa que, regra geral, nem sabemos o que é e, depois de alguns dias, saímos de lá com outra visão sobre o nosso problema e a vida.

- E a vida?

- Sim. O relacionamento entre pessoas muda completamente…

- Oh, se muda!

- Sim, percebemos que não somos nada, que o nosso corpo é importante para podermos viver desembaraçadamente a vida, sem sobrecarregar os outros e sobrevivendo o melhor possível.

- Queres dizer que não damos valor à saúde que temos?

- Quero dizer que podemos reconhecer, demasiado tarde, que a saúde que temos não é para sempre, nem sequer tem garantia. Quero dizer que nos cabe a nós cuidarmos do nosso corpo o melhor que soubermos e nos formos instruindo para tal.

- Temos a responsabilidade de ajudar à nossa saúde.

- Enfim, a responsabilidade de sermos tão independentes quanto possível…

 


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010

Andarilhando

- i!

- Olá! Vou de viagem…
- ‘Tou a ver…posso ir tam’ém?
- Poder, podes. Não sei de te interessa, vou andarilhar por aí, na rota dos mosteiros.
- Ah! Se fosse na dos vinhos… ou na dos queijos… ou outra assim…‘deus!
- Adeus, até ao meu regresso!
… … …
- E para que queres tu encontrar mosteiros?
- Por causa da atmosfera deles. Geralmente estão no cimo de colinas ou serras e o ar ali é mais leve, é melhor. Mas não só! pretendo saber o que os levava a querer uma vida assim, retirada e mais natural. Qual a ligação entre essas situações, lugares e gentes… Enfim…
- Natural? Alguns eram cheios de vícios…
- Havia de tudo, como em todo o lado.
- Então a diferença não está no sítio, mas continua a estar nas pessoas…
- Sem dúvida, mas o lugar e o grupo influenciam.
- Sim, sim. Mas a essência e a responsabilidade é de cada um.
- Será mesmo assim tão limpa, tão cabal, essa responsabilidade?
 

publicado por eva às 00:38

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 30 de Outubro de 2007

Conhecimento

Aprender a escrever, aprender a ler, aprender o significado do que se escreve ou lê. São as primeiras fases do conhecimento.
Conhecimento que se opõe à ignorância. Sempre!
Felicidade simples que progride para a felicidade em sabedoria.
O conhecimento implica vontade dirigida, persistência e, por fim, paciência.
Conhecimento que pressupõe a responsabilidade de o dividir com todos os que o solicitarem.
Sem nunca o tornar uma obrigação.
Cada pessoa tem um tempo certo para conhecer o que precisa conhecer na sua vida.
O conhecimento não pode transportar consigo arrogância nem desprezo.
Conhecimento não é concha para um isolamento pessoal, nem carapaça para protecção ou desafio.
Conhecimento é luz que se difunde e ilumina tudo e todos em seu redor.
Conhecimento é liberdade e esperança em si mesmo e na vida.
- Pois é, é a transformação interior. É o elevar-se da mediania com benevolência.
- Sim, é ultrapassar-se a cada dia por vontade própria. 
.
.

Van Gogh
.

♪: Book of days - Enya

publicado por eva às 08:17

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Sábado, 22 de Setembro de 2007

Relações

Em qualquer raça, em qualquer povo, os grupos formam-se com a constituição da família: pais e filhos.
Das relações entre eles podem suceder-se entendimentos que facilitem a produção de trabalho útil e prosperidade de pessoas e bens.
Destas boas relações sucedem-se ainda a continuação das famílias, casamentos e constituição de mais famílias.
Nestas situações subsiste uma regra valiosa que é a liberdade de cada um acabar no momento em que começa a liberdade de outrem.
Com a propriedade e os bens... convém às partes interessadas chegar a consenso e vantagens semelhantes.
Do bem-estar e do bem-deixar-estar decorre a felicidade e a paz.
Porque nada é de ninguém.
Conforme se nasce, assim se morre – individualmente e despido de tudo.
Convém que, nessa altura, haja o sentimento da validade da vida de cada um e do bom exemplo que se deu e deixou nas memórias daqueles com quem nos cruzámos.
Sentir que valeu a pena viver os momentos bons e os mais amargos e concentrar a atenção no fortalecimento moral de cada um.
Evoluir sempre para um amor fraternal e tolerante para todos – sobretudo para os mais desconcertantes.

.
.
Composição VIII (de 1923)
Kandinsky
.
♪: Nelly furtado e Juanes - fotografia

publicado por eva às 00:10

link do post | comentar | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds