Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Não sei!

. Reencontro

. Voando sempre a uma veloc...

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Terça-feira, 4 de Dezembro de 2007

Não sei!

Estão todos à volta de um lago de águas serenas.
Estão sentados sem cadeiras, simplesmente assim, em posição sentada.
De vez em quando, um deles (ou delas) levanta voo até à bordinha do lago e estende a mão para a água.
Mais alguém vem chegando. Às vezes isoladamente, outras vezes em grupo.
Saem da água de pé, como se a água cobrisse degraus de uma escada.
Mas o lago é um lago e não um poço. Nem sequer é fundo... é assim..tal e qual.
Aparece primeiro um bocado de roupa a flutuar, como se fosse alguém vestido com uma t-shirt enfunada pelo vento enquanto aparece a nadar, meio dentro, meio fora da água.
Depois a figura aproxima-se e nada da margem para o lago.
A seguir, e para sair, agarra na mão que se estende para ajudar e parece subir dois ou três degraus para conseguir sair da água e pisar a areia.
A areia junto à borda é fina e muito branca.
A impressão que dá, daqueles que estão em posição sentada, é que se levantam para ir ajudar e receber alguém conhecido. Porque a ordem é arbitrária.
E vão indo todos embora na direcção do horizonte, com reflexos azuis claros, brancos e lilases.
Sem palavras, nem sorrisos, nem explicações.
- Olha lá, isso foi um filme?
- Não sei! 
.
.

.
Imagem retirada da net
.

♪: Concerto nº2 para flauta - Mozart

publicado por eva às 08:46

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Segunda-feira, 14 de Maio de 2007

Reencontro

14 de maio de 2007

Quase no cimo de uma montanha está um túnel, muito escuro, que une duas cavernas.
Estas cavernas estão nos dois lados das encostas, quase em frente uma da outra.
Na primeira entra-se por uma pequena rampa larga onde está agora um homem, já velho, com um grande peso às costas, tão pesado que o arrasta pelo chão.
Fica indeciso perante a escuridão do túnel à sua frente.
Mesmo assim decide avançar e, já cansado mas guiando-se pela parede à direita, consegue passar deste túnel para a segunda caverna.
Pensa sentar-se, mas esta caverna termina logo numa encosta a pique e totalmente iluminada pelo sol.
O sol indica que o dia já vai a meio. O homem mal consegue olhar para o vale, lá muito em baixo.
Continua indeciso sem saber o que fazer.
Algo, um som ou um vento ou um reflexo de luz, leva-o a olhar em frente, o que, pela altura em que se encontra, é o mesmo que olhar para um céu infinitamente azul.
Mas não! Esse céu não é todo azul.
Começa a perceber a existência de um caminho muito longo, mesmo à sua frente.
Há uma mulher, que lhe é muito querida e que sendo da mesma idade, lhe aparece agora com a figura da rapariga que era quando casaram.
Ela acena-lhe e ele quase voa ao seu encontro.
A carga que tem de arrastar desfaz-se – evapora-se – pelo caminho e, já mais liberto de mãos, pode agarrar as rosas cor-de-rosa que ela lhe envia e que o envolvem, mesmo estando ainda tão longe dela.
Ele chora e ri, ao mesmo tempo que a chama sem cessar, a caminho desse reencontro de sonho.

publicado por eva às 09:11

link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 12 de Abril de 2006

Voando sempre a uma velocidade incrível vou sempre vendo a luz

12 de abril de 2006

Voando sempre a uma velocidade incrível vou sempre vendo a luz, aonde devo chegar.
No meio da escuridão ela é o único guia do meu destino.
Cheguei e parece ser uma construção industrial de algo tóxico, porque os guardas têm máscaras na cabeça - azuis escuras e só os olhos se vêem. Por acaso... a olharem para mim friamente.
Mas não me dão importância.
Entretanto vão-se embora em carros, ou jipes.
Fico a olhar para o que parece ser uma administração abandonada e enormes armazéns vazios.
Nesta altura os armazéns abrem-se ao meio e enchem tudo de luz.
O chão abre também em fendas.
Agora os sulcos vão para mais longe deixando antever túneis e túneis seguidos.
Em subsolos mais fundos saem pessoas "a voar" como se fossem libertas de uma prisão.
Vestidas com túnicas de cores claras ou escuras.
O chão continua a abrir e a mostrar mais túneis.
E lá, no espaço mais fundo, está uma rapariga de túnica clara. Assustada, mas estende-me a mão para a ajudar a subir.
Eis que vem a voar também.
Observando melhor vejo que todos seguem os reflexos de uma luz fortíssima, em grande alegria. Outros esperam-nos nessa zona iluminada, também em grande júbilo.
É um reencontro feliz.

publicado por eva às 16:57

link do post | comentar | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds