Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escritos de Eva

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Escritos de Eva

17
Nov09

Das recordações

eva

Festas – são tão bonitas quanto alegres e benfazejas.
São convívio, e cansaço e… sinal de coisa boa na nossa vida. Sejamos nós os festejados, ou convidados ou os empregados das ocasiões festivas.
As festas de que falamos não são obrigatórias para ninguém e, ainda menos, sacrifício ou martírio de alguns para gozo de outros.
Hoje publica-se, de vários modos, o teor de certas festas que mais não são que ocasiões de vícios, transacções comerciais de objectos e pessoas.
A escravidão humana está aí mais florescente e arrogante que antes, quando era legal.
E todos sabem, e todos calam, em culpas tão subdivididas que chegam a ser justificadas, e mais que desculpadas, porque se tornaram modos de vida institucionalizados.
Porém, nas festas, como em tudo, há o lado negativo e o lado positivo e o que queremos aqui realçar é o positivo, o das festas para todos os presentes partilharem tempos agradáveis e possíveis de se tornarem boas – inesquecíveis – recordações.
Porque chega a idade, o tempo individual, em que as recordações são o que mantém alguém vivo.

.
.
.

Fotografia do Arquivo Histórico da BMW
Imagem retirada da net
.
.
Disse  Mário Quintana:  O tempo não pára, só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo !
.

.

23
Set08

Recortes

eva

Recortes e recortes de notícias.
O olhar passa por eles e nem distingue bem uns dos outros – os recortes são como flashes que rapidamente percorrem vários acontecimentos – e de repente param.
Não se percebeu nada, a não ser que havia luzes muito diferentes.
A sensação foi da quantidade de coisas que acontecem ao mesmo tempo – tão variadas e em tantos lugares.
Tudo pareceu um treino ou um exercício.
Recortes de parques de estacionamento, de frutas nas mesas, de voos em céu aberto, de grupos de pessoas, galerias de arte, esculturas, despedidas, saxofones a tocar, tremores sem ser de frio nem de medo, recados de famílias, lamentos de pessoas e rol de tarefas necessárias.
- Estás a resumir as rotinas de uma vida?
- Parece, não é? Mas ao todo não chegou a passar 1 hora.
- Das nossas?
- Não, das minhas.
.
.

.
Wassily Kandinsky – Contrasting Sounds
Imagem retirada da net
.
.
Disse  Mário Quintana:  A resposta certa não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas !
.
.
27
Jul08

Mário Quintana # Se Eu Fosse Um Padre ; Projecto de Prefácio

eva

.
SE EU FOSSE UM PADRE

Se eu fosse um padre, eu, nos meus sermões,

não falaria em Deus nem no Pecado
– muito menos no Anjo Rebelado
e os encantos das suas seduções,

não citaria santos e profetas:

nada das suas celestiais promessas
ou das suas terríveis maldições...
Se eu fosse um padre eu citaria os poetas,

Rezaria seus versos, os mais belos,

desses que desde a infância me embalaram
e quem me dera que alguns fossem meus!

Porque a poesia purifica a alma...

a um belo poema – ainda que de Deus se aparte–
um belo poema sempre leva a Deus! 
.

in "Nova Antologia Poética"

.
.
.

PROJETO DE PREFÁCIO

Sábias agudezas... refinamentos...
– não!
Nada disso encontrarás aqui.
Um poema não é para te distraíres
como com essas imagens mutantes de caleidoscópios.
Um poema não é quando te deténs para apreciar um detalhe
Um poema não é também quando páras no fim,
porque um verdadeiro poema continua sempre...
Um poema que não te ajude a viver e não saiba preparar-te para a morte
não tem sentido: é um pobre chocalho de palavras. 
.

in "Baú de Espantos"

.
.
.
Disse  Mário Quintana:  Se as coisas são inatingíveis... ora!  Não é motivo para não querê-las...  Que tristes os caminhos, se não fora  A presença distante das estrelas !
.
.
.

Outros poemas de Mário Quintana: Ah! Os Relógios ; Poeminha do Contra
Outros poemas de Mário Quintana: Os Poemas ; O Morto
Outros poemas de Mário Quintana: Poema da gare de Astapovo ; Inscrição para um portão de cemitério
.
.

20
Jul08

Mário Quintana # Poema da gare de Astapovo ; Inscrição para um portão de cemitério

eva

.
Poema da gare de Astapovo
.
.

O velho Leon Tolstoi fugiu de casa aos oitenta anos
E foi morrer na gare de Astapovo!
Com certeza sentou-se a um velho banco,
Um desses velhos bancos lustrosos pelo uso
Que existem em todas as estaçõezinhas pobres do mundo
Contra uma parede nua...
Sentou-se ...
e sorriu amargamente
Pensando que
Em toda a sua vida
Apenas restava de seu a Glória,
Esse irrisório chocalho cheio de guizos e fitinhas
Coloridas
Nas mãos esclerosadas de um caduco!
E então a Morte,
Ao vê-lo tão sozinho àquela hora
Na estação deserta,
Julgou que ele estivesse ali a sua espera,
Quando apenas sentara para descansar um pouco!
A morte chegou na sua antiga locomotiva
(Ela sempre chega pontualmente na hora incerta...)
Mas talvez não pensou em nada disso, o grande Velho,
E quem sabe se até não morreu feliz: ele fugiu...
Ele fugiu de casa...
Ele fugiu de casa aos oitenta anos de idade...
Não são todos que realizam os velhos sonhos da infância!
 
.
.

in "Apontamentos de História Sobrenatural"

.
.
.

Inscrição para um portão de cemitério
.
.

Na mesma pedra se encontram,
Conforme o povo traduz,
Quando se nasce – uma estrela,
Quando se morre – uma cruz.
Mas quantos que aqui repousam
Hão de emendar-nos assim:
"Ponham-me a cruz no princípio...
E a luz da estrela no fim!"
 
.
.

in "A Cor do Invisível"

.
.

Disse  Mário Quintana:  Mas se a vida é tão curta como dizes porque que é que me estás lendo até agora?
.
.

Outros poemas de Mário Quintana: Ah! Os Relógios ; Poeminha do Contra

Outros poemas de Mário Quintana: Os Poemas ; O Morto

Outros poemas de Mário Quintana: Se eu Fosse um Padre ; Projecto de Prefácio

.

.

13
Jul08

Mário Quintana # Os Poemas ; O Morto

eva

.
Os Poemas
.
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...
.
 

in "Esconderijos do Tempo"

.
.
O Morto
.
Eu estava dormindo e me acordaram
E me encontrei, assim, num mundo estranho e louco...
E quando eu começava a compreendê-lo
Um pouco,
Já eram horas de dormir de novo!
.
 

in "Apontamentos de História Sobrenatural"

.
.
.

Disse  Mário Quintana:  Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não lêem !
.
.

Outros poemas de Mário Quintana: Ah! Os Relógios ; Poeminha do Contra

Outros poemas de Mário Quintana: Poema da gare de Astapovo ; Inscrição para um portão de cemitério

Outros poemas de Mário Quintana: Se eu Fosse um Padre ; Projecto de Prefácio

.

.

06
Jul08

Mário Quintana # Ah! Os Relógios ; Poeminha do Contra

eva

.
AH! OS RELÓGIOS


Amigos, não consultem os relógios
quando um dia eu me for de vossas vidas
em seus fúteis problemas tão perdidas
que até parecem mais uns necrológios...

Porque o tempo é uma invenção da morte:
não o conhece a vida - a verdadeira -
em que basta um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira.

Inteira, sim, porque essa vida eterna
somente por si mesma é dividida:
não cabe, a cada qual, uma porção.

E os Anjos entreolham-se espantados
quando alguém - ao voltar a si da vida -
acaso lhes indaga que horas são...
.
.

de Mário Quintana
in "A Cor do Invisível"
.
.
.
POEMINHO DO CONTRA
 
 
Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!
.
.
Mario Quintana
.
.
.
Disse  Mário Quintana:  O amor é quando a gente mora um no outro !
.
.

Outros poemas de Mário Quintana: Os Poemas ; O Morto

Outros poemas de Mário Quintana: Poema da gare de Astapovo ; Inscrição para um portão de cemitério     

Outros poemas de Mário Quintana: Se eu Fosse um Padre ; Projecto de Prefácio

.

.

05
Jul08

Tempo de oportunidade

eva

- Sabes o que ele disse? Que a vida é como um moinho que tritura e transforma em pó o que nós somos – de pior ou de melhor!
Disse ainda que os abismos em que nos sentimos cair são os que nós mesmos cavamos com as nossas ilusões.
Comentar o passado sofrido é provocar maior desilusão em vez de o utilizar como motor de encontro com a simplicidade.
- Pronto, já está!
- O quê?
- As costuras que vão renovar este fato para a festa de amanhã.
- Ouviste o que eu estive a dizer?
- Perfeitamente! Ias nos abismos que nós cavamos para nós.
- Mais ou menos… pronto… e concluindo: ele chegou à conclusão que as alterações estão em nós, em sermos mais optimistas e crentes até nas pessoas. Porque até elas se melhoram constantemente, por pouco que pareça.
- Olha, toma uma flor! Porquê… porque estás sempre a querer dar oportunidade às pessoas – até às desconhecidas. E já é tempo de dares uma oportunidade a ti mesma e perceber o quanto as pessoas se importam contigo.
- Ohhh!

.
.
.

Gil Bruvel

.
.

Disse  Mário Quintana:  O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser !
.
.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema

ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2006
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D