Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Perdoar é entender o mund...

. Mãe das mães

. Fizemos prejuízos por arr...

. Saber perdoar

. Não dizem que tudo é poss...

. A atenção para connosco e...

. A linguagem universal

. A outra face

. Os outros

. O perdão dá paz?

. Intimidades e exterioriza...

. É preciso um tempo

. Perdoar

. A luz do perdão

. A culpa e o remorso

. A liberdade conseguida

. Oração de S. Francisco de...

. Paz interior

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Sábado, 1 de Setembro de 2012

Perdoar é entender o mundo

erdoar

É a nossa dignidade

Nossa caridade compreensiva

Perdoar

É paz em nosso coração

É fé racional

Perdoar

É entender o mundo

O cosmos e nós

Em UM


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quarta-feira, 1 de Fevereiro de 2012

Mãe das mães

ãe das mães

Maria mãe

Filha Maria

Amor especial de mãe

Mãe das mães

Amor em qualquer situação

Amor que desculpa e perdoa

Constantemente

Que socorre nas acusações

Nas dificuldades

Mesmo em simples diferenças

Amor especial de mãe

Mãe das mães

Amor que ampara

Harmoniza

Defende e protege

Através da maior energia

A força do escudo do Amor

Amor especial de mãe

Simbolizado em Maria

Mãe das mães. 


publicado por eva às 00:43

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 5 de Dezembro de 2011

Fizemos prejuízos por arrogância e ignorância

omos violados de múltiplas maneiras

Sofremos atrocidades constantemente

Fizemos prejuízos por arrogância e ignorância muito antes

Podemos perdoar ou perpetuar círculos infelizes

Podemos ser dignos de nós mesmos e seguir

Seguir sempre…

E um dia seremos nós a luz de nós mesmos

Seremos luz na Luz de todos nós.


publicado por eva às 00:37

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 18 de Outubro de 2011

Saber perdoar

lguns sabem pedir perdão com humildade.

Outros pedem perdão porque sentem culpas.

Outros pedem perdão por existirem.

Outros mais, pelos que não são capazes de o pedir.

As desculpas evitam-se – diz o povo.

Mas… e quando não se conseguiram evitar e ofendemos sem querer, sem muito pensar?

E será tão importante quanto tudo isto o perdoarmo-nos?

Saberemos estender o perdão a nós mesmos?

Dos irresponsáveis aos mais cuidadosos com a responsabilidade que lhes cabe, há também os relaxados e os exigentes de si mesmos.

Assim como há os que exigem loucuras apenas aos outros.

Saber perdoar aos outros como a si mesmo é saber amar os outros como a si mesmo.

Afinal, o perdão estrutura a paz de si em si mesmo…


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Domingo, 24 de Outubro de 2010

Não dizem que tudo é possível?

perdão é perdão para nós mesmos, é benevolência, é liberdade do nosso ser.

O perdão para os outros?

Mas é desse mesmo que falo, porque quando desculpamos, quando perdoamos, estamos a ceder piedade nossa e como aquilo que nos ofende é precisamente o que já fizemos aos outros noutras vidas, estamos a dar outra oportunidade a nós mesmos também.

Ou seja, podemos assim libertar-nos das ofensas que sofremos ao mesmo tempo que dos prejuízos que causámos a outrem.

E, se dúvidas houvesse, a paz e a leveza que sentimos ao perdoar são do sobredito uma prova.

Bem, até amanhã e este é o tema para desenvolvimento – o que é, para mim, o perdão a outrem.

- Achas bem?

- A parte da paz que se sente deve ser verdadeira, porque já a experimentei.

- Por esse prisma, o resto também pode ser verdade.

- Não dizem que tudo é possível, até o que nos parece impossível?!

- Até amanhã, eu fico por aqui.

 


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

A atenção para connosco e os outros

oje em dia a higiene, as tecnologias que para isso contribuem e a segurança de pessoas e bens, a sua liberdade de acção, a liberdade do seu modo de sentir e agir são considerados factores importantes.

Claro que isso acarreta situações simples ou situações que podem ser dramáticas ou fantásticas e exponenciais de lógica e sensatez.

Enfim, a tendência evolutiva será sempre de lutar por esse tipo de condições sociais, sinónimos de liberdade de pensamento e do ser em vivência individual e em grupo.

Se a informática veio dar uma ajuda de mestre à comunicação entre gentes e acesso à informação global, a noção da possibilidade, por opção própria, de auto-transformação do indivíduo em um ser superior pelo desenvolvimento de valores altruístas e éticos, torna-se a capacidade de transformação de um planeta inteiro e de tudo o que isso engloba.

Continuamente pugnamos pela melhoria de quem sofre, seja humano ou não, e até… de quem causa sofrimento, porque o mal é ainda ignorância do bem.

Todos contribuímos para o bem-estar, o nosso e o geral, pois tudo se interliga entre o nosso equilíbrio mental e físico e o equilíbrio do globo terrestre.

Cada pensamento-atitude que interfira com o equilíbrio interfere com tudo e todos.

Há uma consciência, que muitos chamam de consciência cósmica, que traduz estes conceitos e atenção que devemos ter para connosco e os outros.

O perdão, que é necessário para qualquer um recomeçar a sua caminhada para a verdade e liberdade do seu ser, é um perdão de amor que liberta sobretudo a si próprio das amarguras e grilhões passados.

A absolvição tem o seu próprio curso também, porque as vicissitudes por que tem que passar são adequadas a cada situação.

Quem perdoa liberta-se a si mesmo da causa e pode continuar a sua caminhada com paz no coração e na serenidade de Ser.

- Então adeus, até amanhã! Acho que dormi o tempo todo…

 


publicado por eva às 19:48

link do post | comentar | favorito

Sábado, 31 de Julho de 2010

A linguagem universal

á estamos – presente!

No outro dia vi um programa na televisão, em que participava uma amiga nossa e que tratava do valor da companhia de pequenos animais que nos acompanham nos piores e melhores tempos das nossas vivências.

Às tantas, dizia esta nossa amiga que todos os entes queridos foram abandonando a casa de família atrás da sua própria felicidade – aquela que todos temos direito de procurar – contudo, sem querer olhar para trás, para os problemas que se foram acumulando e para ela mesma que ali ficou.

Os animais, os que lhe faziam companhia, esses ficaram; fosse pelo que fosse – ficaram! E ajudaram-na chegando ao entendimento mútuo, aquele que ultrapassa as barreiras mentais do raciocínio, do próprio linguajar de cada um, de cada espécie…

Os que restaram, naquela casa, todos eles atingiram a linguagem universal do Amor…

Porém… não somos de ferro e, por vezes, não aguentamos mais a pressão que se abate sobre nós. Então, o instinto de sobrevivência sobrevém e temos necessidade de deitar abaixo as barreiras que nos tapam.

É o grito de liberdade que soa no íntimo de cada um e que é saudável seguir.

Com o Tempo que tudo mitiga, aniquila e transforma, será possível, a todos os intervenientes e em todas as situações, refazer intimidades mesmo que sejam noutro lugar, noutro espaço, com outro conjunto de seres em redor, ou com os mesmos no mesmo sítio, promovendo um recomeço mais equilibrado, mais sabedor das próprias necessidades e das necessidades dos outros.

Tudo o que se vive, tudo o que se sofre, tudo o que nos alegra serão experiências válidas e conhecimentos úteis sempre que os soubermos bem sentir e valorizar.

Nunca é tarde para um gesto fraterno, para uma iniciativa amiga e é especialmente bom quando olhamos com olho observador o nosso passado e sabemos que dos erros promovemos o perdão da conjuntura – por nós, pelos outros e pelas situações traumáticas criadas – seja pessoalmente, seja em bons pensamentos enviados à distância com a força da sinceridade pela felicidade de cada um, incluindo a nossa.

Porque não podemos dar perdão a outrem se não o tivermos por nós mesmos, pois como partilhar o que não se tem?

Afinal, não dizem os sábios que todos temos que atingir a meta da linguagem universal do Amor, da paz e da harmonia universal?

 


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 6 de Abril de 2009

A outra face

Uma madre superiora vem ajoelhar-se e acompanhar uma mulher em oração, que já está ajoelhada há um certo tempo, sempre a repetir umas palavras imperceptíveis.
Essa mulher, quando repara na madre, fica constrangida e sensibilizada ao mesmo tempo, porque não se acha digna de tal atenção.
A madre diz-lhe, então, que está ali para a acompanhar, dando a entender que muitos anos antes, teria feito, ela mesma, orações semelhantes ainda em vida.
Sente a desolação e amargura da mulher e pergunta-lhe se as palavras que profere lhe dão paz.
A mulher diz que sim, ao mesmo tempo que parece tomar conhecimento de tal situação em si própria.
Efectivamente, sentia-se mais calma à medida que ia repetindo as mesmas frases.
- Ladainhas?
- Não! São frases para auto-convencimento da sua humilde posição espiritual e não cair na vaidade de se julgar melhor que os outros.
- E não é?
- Não se trata de ser ou não. Trata-se de criar em si as condições de abnegação pelos outros e suas faltas, sem se sentir ofendida por isso.
- Dar a outra face…
- Exactamente, não se desiludir, mas dar, ainda e sempre, a outra face, ou seja perdoar, perdoar sempre.
- Isso é capacidade?
- É uma virtude.

.
.
.

no Mosteiro de Gracanica (Sérvia)
Imagem retirada da net

.
.

Disse François de La Rochefoucauld: Perdoamos na medida em que amamos !

.
.


publicado por eva às 00:27

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009

Os outros

Elas brincavam alegres, apesar do pouco espaço.
Mas havia Sol por todo o sítio e isso puxava o seu dinamismo.
Numa cadeira estava alguém paralisado por um grupo de outros que, pondo-se em frente dele e aos lados, o paravam com as mãos e não o deixavam mexer.
Parecia que o estavam a revistar, pois mexiam-lhe em todos os bolsos como se estivessem à procura de algo – mas não!
O da cadeira, finalmente, num esforço supremo sai dali e do meio deles com um salto na vertical.
O espanto foi tal que os outros estancaram os instantes suficientes para ele conseguir fugir.
No meio da confusão gerada ele ainda volta, sem ser notado, e toda a sala fica com coloração e feixes de energia completamente diferentes.
Da quase escuridão que havia e se sentia passou-se à claridade ténue.
Os tais outros também sofreram esta influência e foram alterando a cor da sua figura – de preto para cinzento, de cinzento-escuro para cinza claro – e foram, então, saindo e aparentando alguma resignação. E pronto!
- Pronto, o quê?
- Pronto, foram agrupados e levados para outro lugar, um lugar de restabelecimento onde pudessem estabelecer novas energias e melhorar-se.
- E?
- E ele perdoou-lhes, como também lhes pediu perdão de alguma provocação que antigamente lhes pudesse ter infligido, mesmo sem, agora, lembrar do quê.

.
.

.

Salvador Dali
Imagem retirada da net

.
.

Disse  Galileu Galilei:  Todas as verdades são fáceis de perceber depois de terem sido descobertas; o problemas é descobri-las !

.
.


publicado por eva às 00:22

link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 21 de Janeiro de 2009

O perdão dá paz?

A fé é que nos move e sustenta nos piores momentos; o perdão dá paz ao nosso coração – é isso!
- E resume-se assim a vida de cada um?
- Sim, isto é, eu resumo assim. Não o pediste em meia dúzia de palavras?
- Pois…
- Sem fé a vida pode ser uma gastura ou um desespero. Acreditar que existe algo mais que isto que vemos, faz-nos pensar e compreender os nossos dias de outro modo. Se não acaba tudo num caixão e se não começa tudo num parto, então talvez tudo o que se relaciona connosco tenha um significado mais amplo do que aquele que habitualmente lhe damos.
- Se (continuamos nos ses) assim é, então a vida serve para progresso? Ou para regresso e então regresso a quê? Regresso para resolver assuntos pendentes? Mas as pessoas também serão outras, ou serão as mesmas com outros aspectos? Quando nos parece reconhecer alguém que nunca vimos antes – é apenas por ser parecido com outrem de agora, ou de tempos desconhecidos?
- Afinal, acreditas que a nossa memória por vezes recorre a paisagens e acontecimentos que têm a ver connosco, mas noutras alturas recuadas? E então faz o quê - delira, sonha ou lembra e resolve?
- Ohh! Isso traz uma responsabilidade enorme porque traduz uma espécie de círculo vicioso até resolvermos os nossos problemas.
- Talvez, mas todos os problemas serão menores se perdoarmos.
- Hã?
- O que são os problemas de cada um? São as doenças, ressentimentos, ofensas, etc. Ora, experimenta perdoar à doença e aliares-te a ela em processos de cura, ou aceitá-la. Experimenta perdoar a quem te chocou com suas atitudes ou ofendeu, porque todos somos apenas o melhor que podemos ser a cada momento. E coitado de quem não é melhor nem consegue viver em sã convivência. E, já agora, perdoa ao teu sentimento de ofendido, porque se ages correctamente és mais feliz que outro que ainda não o sabe fazer e melhor que ele estás em posição de o desculpar.
- E dizes que o perdão dá paz?
- Digo!

.
.
.

Terrance McKillip - A Árvore da Vida
Imagem retirada da net
.
.
Disse  Frei Paulo Sérgio de Souza:  Quem constrói dentro de si equilíbrio, tolerância, capacidade de perdão, será capaz de transferir para as pessoas essa paz e essa harmonia !

.
.


publicado por eva às 00:24

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds