Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escritos de Eva

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Escritos de Eva

19
Set11

Sol e lua

eva

ol e Lua

São luz

Somos nós

Tu e eu

O mais brilhante

A serenidade

Que a nuvem não apaga

Apenas esconde

De tua vista e percepção

Adivinha-a então

Porque estamos sempre lá

E onde quiseres estar

Estamos contigo

Iluminando a ti

E a todos os seres

Tudo iluminando

Para o melhor Céu

Para o Divino Bem sonhado!

11
Set09

Espiritualidade

eva

Ao longo dos dias e das vicissitudes que atravessamos vamos tomando consciência na percepção – para uns, ou do conhecimento ampliado – para outros.
O porquê da diferença está na personalidade do indivíduo, como está também na capacidade sensitiva do seu corpo físico.
Uma e outra vão-se alterando sempre em conformidade com os objectivos que se vão marcando. E estes, por sua vez, estão em conformidade com as experiências da vida e do modo como estas vão sendo interpretadas.
Todos nós evoluímos a cada instante e evoluímos melhor ao cedermos espaço para novas ideias.
Não quer isto dizer que se deve aceitar todas as ideologias, ou pseudo-ideologias, que se vão ouvindo.
Mas quer dizer que se deve estar atento ao que acontece em redor de si próprio e estabelecer parâmetros para confirmação racional da espiritualidade inerente a cada ser.
Allan Kardec foi um defensor, precisamente, da fé raciocinada. Um defensor em aplicar a metodologia científica para tudo o que acontece + o que parece acontecer. Um defensor em manter uma postura crítica com abertura de parâmetros conceptuais e não a postura de uma crítica destrutiva ou alucinada por toda a novidade que se oiça.
Quer se concorde, quer não, com as suas teorias, o princípio é o mesmo dos mestres da antiguidade clássica que diziam tudo ser uma ilusão dos sentidos e que tudo estava certo até prova em contrário.
Abrir e manter abertura mental a novos conceitos tanto pode ser catastrófico e levar o indivíduo à alucinação da sua realidade quotidiana, como pode ser de extrema necessidade para assumir e resolver esses problemas do quotidiano.
A cada um o momento preciso da sua cultura espiritual.
A cada um as caracterizações inerentes a essa cultura em si.
Todos somos passado, presente e futuro de nós próprios – quer tenhamos adquirido, ou não, conhecimento disso.
.
.
.

Vik Muniz - Atlas
(recriando Giovanni Francesco Barbieri - Il Guercino)
Imagem retirada da net

.
.

Disse  Jean-Jacques Rousseau:  Tudo crer é ingenuidade. Tudo negar é tolice !
.
.
21
Mai09

Evolução

eva

Índios e indígenas. Desenvolvimento de sociedades industrializadas.
- Evolução? Evolução de quem?
- Bem… uns têm mais evolução numas coisas, outros noutras. Uns são mais da natureza e da espiritualidade; outros são mais elaborados mentalmente e materialistas.
- Brutos? Brutos são todos os que não são mansos nem humildes.
- Porque estás a responder a perguntas que não fiz?
- Porque se não és tu, alguém é. Eu oiço perfeitamente as perguntas.
- Pois, mas não está aqui mais ninguém.
- Não as pensas, sequer?
- Não e só falta, agora, dizeres que ouves os pensamentos.
- Olha que às vezes é uma das explicações que encontro para isto.
- Ouves assim tantas vezes o nada?
- Se é nada, não! Mas o que oiço não é impressão minha, porque depois de responder deixo de ouvir a pergunta.
- Só ouves perguntas?
- Não! Ouço músicas, conversas entre pessoas. Até ouço os animais a falarem.
- A falarem contigo?
- A falarem entre eles e para mim.
- Já foste ao médico?
- Claro que sim e até a vários e de diferentes especialidades.
- E?
- E uns acharam-me alucinada, outros com muita imaginação. Mas todos – pacífica!
- Aí estamos todos de acordo. E o problema é apenas teu, não é?!
- Ah Ah Ah, exactamente!
.
.
.

Fotograma de 2001, Odisseia no Espaço
Imagem retirada da net
.
. 
Disse  Teilhard de Chardin:  A vida é ascensão de consciência !
.
.
03
Abr09

A verdade

eva

Era preciso obter a verdade. A verdade da sua história. Do seu trajecto pessoal.
Porque não se lembrava. Não sabia partes importantes da sua vida.
Teriam sido episódios assim tão traumáticos que preferisse o olvido total?
Ou seriam tão rotineiros que não era necessário lembrar?
Qual destas duas hipóteses poderia ser a sua? Sentia-se, por acaso, assim tão esquecido da sorte?
- Pois não, era medianamente feliz, como toda a gente.
- Mas as lacunas não são falhas de memória?
- Não podem ser?
- Podem, mas têm que ter uma causa.
- E que importa agora a causa?
- Importa para a cura.
- Que cura?
- A dos transtornos que tem!
- Eu?
- Pois!
- Mas eu sinto-me bem assim. Gosto do que sei e lembro, pronto!
- Você ainda não percebeu?
- Que…?
- Que vive sem estar vivo!

.
.
.

Paul Sérusier - Conto Celta
Imagem retirada da net

.
.

Disse William Blake: Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo apareceria ao homem como realmente é: infinito !
.
.
02
Fev09

Percepções

eva

Mortos e vivos para uns; renascidos para a eternidade do ser e vivos na dimensão física para outros.
Seja dito deste modo ou doutro, a morte, misteriosa para muitos, é uma passagem para o retomar da vida espiritual, de modo mais pleno.
No entanto impõe-se o dilema da morte – o que é? Como aceitar?
Pois cada um aceitará e a compreenderá conforme puder o seu entendimento e a sua capacidade de esperança.
Trata-se disso, mais do que de crença, mais do que cada um consegue ver desta vida e do que consegue perceber de outras vidas.
Porque o que ouve pode ser ficção, pode ser outro Matrix, pode ser… sei lá o quê!
Cada um tem para si a resposta que aceitar como verdadeira, mesmo que não seja suficiente para apaziguar as tristezas e mágoas que cala fundo no seu coração.
- Olha, estão ali! Afinal estiveram ali o tempo todo.
- Onde?
- Ali, naquele banco. Não os vês? Mas escreveste o que te estiveram a dizer, ora!

.
.
.

Estátua de Jean Argent - Alice do outro lado do espelho
Imagem retirada da net

.
.

Disse  Mahatma Gandhi:  Um erro não se transforma em verdade pelo facto de ser muito propagado, nem a verdade se transforma em erro pelo facto de ninguém a ver !

.
.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema

ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2006
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D