Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escritos de Eva

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Escritos de Eva

19
Jun09

Formas de vida

eva

A luz brilhou e a vida começou a pulsar com mais vivacidade e beleza!
- [em sussurro – Estás a contar uma história?
[- Estou, a da vida conhecida na Terra.
[- E eles estão a gostar?
[- Ainda vou no começo, mas pelo menos estão atentos.
[- A bonecada e o filme ajudam…
[- Sim, hoje o áudio e o visual fazem parte indissociável das nossas rotinas. Mas também quero crer que lhes dou interesse pelo modo como lhes conto a Criação.
[- Sem dúvida e sem ofensa, mas a projecção ajuda muito.
[- Eu sei, até a mim que gosto tanto da matéria. Mas deixa-me dizer-te que a música escolhida também colabora para o agrado de todos.
[- Oh! Sim, definitivamente sim. É como o som da locução, o que não é audível perde metade do interesse]
- A força da luz promove outras formas de vida que se desenvolvem mais rapidamente com a água e o oxigénio. Ou seja, são formas adaptadas a estas necessidades para a sua evolução. Pois que, como é evidente, cada forma de vida tem necessidades próprias.
As que existem em minas, por exemplo, não resistem à luz nem a demasiado oxigénio. Há inúmeros seres, todos diferentes e semelhantes - se considerarmos que coexistem no Universo. Ou que o Universo é habitado por milhões de seres diferentes conforme a condição que têm para viver.
Assim como há milhões de formas de vida e outros tantas em adaptação e transformação graduais. A cada dia, a ciência nos dá provas disto. Algumas pessoas já o sabem antes da ciência o provar.
- Ahh! Tens a certeza?
- Que esperas por resposta?
.
.
.

Macropinna mircostoma - Peixe transparente
(Os olhos estão dentro da cabeça. Os dois orifícios à frente, são órgãos olfactivos)
Imagem retirada da net

.
.

Disse  Blaise Pascal:  Tudo o que é incompreensível, nem por isso deixa de existir !
.
.
30
Mar09

Luz de paz

eva

Dia especial de trabalho. Trabalho responsável em tudo o que se escreve, fala e responde.
Tudo deve ficar claro, límpido e cristalino, como água pura da fonte. Como a natureza no seu esplendor.
Todas as ideias devem transmitir o brilho do esclarecimento, do conhecimento que se pode partilhar com outros, por vezes menos abonados de livros e saberes da vida.
Desta vida, doutra vida. Vida nossa, vidas de outrem.
Então, pode surgir uma luz, luz de paz, que nos envolve prodigamente.
Uma luz que todos queremos devolver com a luz que floresce dos nossos corações.
É uma troca, uma simbiose imprescindível ao bem-estar espiritual, mental e físico.
Somos o que percebemos ser e muito, oh! muito mais do que isso.
- Ou seja?
- Somos uma unidade e um todo no infinito cosmos. Somos eternos.

.
.
.

Imagem retirada da net

.
.

Disse  Blaise Pascal:  O cosmos pode ser infinitamente maior do que o homem, mas um único acto de amor vale mais do que toda a massa do universo !

.
.

06
Dez08

Aprender a dois

eva

Nas nuvens. Andando nas nuvens.
Uns dizem que é da tensão muito baixa. Outros que são problemas para serem tratados.
Talvez, talvez seja isso.
Só apetece deitar e dormir. Às vezes o chão parece fugir debaixo dos pés, e tudo fica depois tão lento.
- Olhe pela janela e diga o que vê.
- Vejo árvores, um jardim e oiço uma música.
- Música não se vê – limite-se a responder.
- Pois ver a música, não vejo. Mas quando olho pela janela vejo o jardim e oiço a música.
- Limite-se a responder ao que lhe é pedido.
- Está bem – só vejo o jardim. Mas saiba o Dr. que a música que acompanha essa paisagem também se pode ver e ouvir. Porque a música também se vê, e pode transmitir imagens e até cheiros. Assim como aquilo que se vê pode transmitir sons e cheiros. E os odores idem.
- Está a desconversar e a baralhar as coisas de propósito. Hoje terminamos. Adeus.
- Adeus.

- Então, sentes-te melhor?
- Acho que sim.
- Ainda bem, realmente até vens com rosetas nas faces. Estava calor na sala?
- Não sei.
- Só tens isso para dizer?
- Não, estava a pensar que me sinto útil nestas consultas. São consultas, não são?
- São.
- Pois, sinto-me útil porque aquele homem é médico, não é?
– É!
- Mas não sabe nada dos sentidos.
- Hã?
- É isto que te digo. Não deve ter estudado bem os sentidos e hoje tentei explicar-lhe. Mas não tenho a certeza se teve humildade para aprender.
- E tu? Tiveste humildade para aprender? Já percebeste que há horas para divagar e horas para estar com os pés bem assentes no chão?
- Talvez…

.

.

Maria João Brito de Sousa – Sonhadora
Imagem retirada da net

.
.

Disse  Blaise Pascal:  Ninguém é tão ignorante que não tenha algo a ensinar. Ninguém é tão sábio que não tenha algo a aprender !
.
.

11
Out08

Outono

eva

Trovoadas secas ou de Verão, no Outono.
Outono que é sempre mais um fim de Verão que outra coisa.
São os tons terra na paisagem – dos laranjas aos castanhos, dos verde-secos aos amarelos desmaiados.
São as cozinhas a convidar à feitura de docinhos.
São os homens, mais velhos, a destapar as mesinhas de jogos – damas, xadrez, dominó e cartas.
Toda a casa se vai adaptando às novas actividades da nova época Outono-Inverno.
Os casacos de malha começam a ficar mais à mão nos roupeiros e aparecem colchas de cama mais grossas a emparelhar com as mantas de sobre-joelhos.
Apetecem comidas mais quentes e mais cozinhadas, relegando para segundo plano as saladas e outras cruezas culinárias.
Volta o arroz de feijão e a massa com grão.
Voltam os temperos mais cozidos.
Voltam os horários mais exigentes e apertados.
Voltam as meias para aquecer bem os pés…
-Mas eu ainda pensava ir à praia.
- Vai!
- Olha, não vês? Ali no céu e nas nuvens pode ler-se que a praia, como eu gosto, já passou. Agora serão as nuvens a parecer as ondas da praia.
- Porque não projectas a tua imagem no céu e imaginas-te a ir para onde quiseres?
- E «o mundo pula e avança» como diz o poeta?
- Sempre assim é, sempre na dianteira - a boa imaginação e os bons desejos.

.
.
.

Carl Spitzweg - Der Sonntagsspaziergang
(O Passeio de Domingo) Imagem retirada da net


.

Disse  Blaise Pascal:  O coração tem razões que a própria razão desconhece !
.
.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema

ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2006
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D