Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Perdão hoje

. Da bisbilhotice à ajuda

. Provas de vida

. Conforme se dá, assim se ...

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Domingo, 28 de Novembro de 2010

Perdão hoje

ntem estava ali e eles não

Ontem eles foram lá e eu não

Hoje é outro dia, outra oportunidade surgirá

Outros dias virão, outras épocas, outras gerações

E então outros todos se reunirão

Então os tempos serão outros e serão melhores

E serão mudados nas pessoas e nas vontades

E muito trabalho será feito em sã consciência

Sem intromissões nem garatujas

Dias virão cheios de luz

Da Divina Luz na liberdade do ser

De poder ser livre em felicidade

Em poder ser como quer ser

E querer ser simplesmente o melhor de si.

 


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 31 de Dezembro de 2009

Da bisbilhotice à ajuda

- A partir de hoje não vou querer saber da vida dos outros! Isso é só bisbilhotice e eu quero algo de positivo na vida.
- Saber dos outros não implica bisbilhotice, pode traduzir-se em solidariedade e fraternidade.
- Pois pode, evidentemente que poderia ser assim, mas a maior parte das vezes não é. Os outros desabafam e a partir daí fica apenas a bisbilhotice dos acontecimentos da vida de outrem.
- Insisto que só ficamos pela bisbilhotice se não formos solidários. Porque podemos ir procurar modos de ajuda mais precisa e razoável para aquele que se queixou, ou simplesmente desabafou.
- Queres dizer tomar iniciativas de assistência, mas isso é uma complicação de papéis e trabalheira dias a fio…
- Pois é, assim como é sempre mais fácil resolver essa trabalheira a dois ou mais, do que solitariamente. Tudo o que mexa com administração e papelada afim é uma tortura e um desespero a juntar ao problema que já existe com toda a sua importância.
- Bem, efectivamente há pessoas para quem preencher impressos já é desgastante…
- Pois, e quem tem essa facilidade já pode ajudar indicando e esclarecendo, tornando fácil o que se apresenta incompreensível, fruto da dificuldade acrescida da aflição do problema que tem em mãos.
- Então, podemos sempre ajudar de modo útil, mesmo que seja de modo indirecto ou singelo.
- Até podemos ajudar simplesmente pensando positivo, pensando que tudo se resolverá e projectando essa visão do problema resolvido mentalmente, dirigindo-o às alturas como uma prece.

.
.

.

Imagem retirada da net
.
.
Disse Rosana Braga: O que as pessoas pensam a meu respeito é problema delas e não meu !
.

.


publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 11 de Dezembro de 2009

Provas de vida

Nas provas de vida por que vamos passando, quando falta a saúde de modo mais dramático e sofredor, acabamos por rever o que somos.
O que somos na significância da nossa intimidade. Aquele sítio que resguardamos tão bem dos olhares alheios e onde, por vezes, nem o nosso próprio olhar lá chega.
O que somos realmente e, sobretudo, o que gostaríamos de ter sido?
Nesta altura, há o penoso observar do tempo que fugiu, ou evaporou mesmo, entre os nossos dedos.
Nessa hora não temos o registo das horas do presente, mas as do passado e como passaram… e como as deixamos passar…
Quanta inércia, quanto acomodar de situações e quanta luta desgastante para, afinal, estar ali assim…
De toda a vida o que resta, então, são os nossos sentimentos. Os sentimentos que nutrimos pelos outros mais outros, pelos outros mais familiares, mais íntimos e por nós mesmos.
O trabalho que fica por acabar… o que vai sobrar de nós, então, para a posteridade?
- E porque tem que sobrar algo? Porque não passar invisível pela linha da vida, pelos outros, invisível até para nós próprios? Quem se lembrará de nós? E que lembrança será essa – de gastura e alívio, ou de fraternidade e saudade? Afinal, que significamos para a família e para a sociedade? Afinal, que somos? O que fizemos para melhorar o nosso pequeno raio de acção e o mundo, a partir da irradiação desse? Que ensinamentos pedagógicos, ou didácticos, deixamos? Se morrêssemos hoje, que diferença teremos feito para o resto dos dias de vida dos nossos familiares e amigos? Que somos no cômputo total da nossa vida?
- Bem, outra questão se coloca ainda: que queremos, poderemos, ou conseguiremos ainda ser?

.
.

.

Cartaz do filme Bem-vindo, Mr. Chance
Imagem retirada da net
.
.
Disse Madre Teresa de Calcutá: O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra. Construa, apesar disso. Perceba que, no final das contas, é entre você e Deus. Nunca foi entre você e as outras pessoas !
.

.


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 22 de Outubro de 2009

Conforme se dá, assim se recebe

Partilhar-se a si mesmo com outros…
- Quais outros?
- Os primeiros outros são a família mais próxima, a seguir os amigos que se vão fazendo, depois os conhecidos de ocasião, isto é, os que se encontram quotidianamente pelos mesmos lugares que frequentamos, ou por onde passamos.
- Mas que partilha é essa? É ir dando o que se tem aos outros?
- Não estamos a falar de coisas materiais – comidas, roupas, etc. Estamos a falar de dar atenção e carinho, seja às pessoas seja a tudo o que engloba a paisagem das nossas andanças pelas linhas da vida, a integração que vamos traçando no nosso percurso a cada instante, a cada pensamento. Porque, conforme se dá, assim se recebe. E todos recebemos tanto e de modo tão diverso que parece incrível como quase nunca damos por isso ou, sequer, agradecemos.
Por exemplo, a condição de estar vivo e poder mover-se com independência, fazendo as nossas pequenas e grandes coisas… A condição de poder conviver com pessoas de menos, e demais para aquilo que lhes damos e poder distinguir uns casos dos outros com lucidez. Poder, simplesmente, levantar da cama todos os dias, e ter uma cama limpa para dormir a cada noite…
Sentir que temos uma casa com pessoas que amamos e que nos amam, mesmo nos dias de mau humor. Mesmo que soframos despedimento do trabalho ou uma série de azares… mesmo que fiquemos doentes ou inválidos, por muito ou pouco tempo…
Saber distinguir quem fica ao pé de nós, quando todos os outros fogem displicentemente… quem nos ajuda… Mas sobretudo, saber reconhecer o que nós faríamos e fazemos pelos outros? Seremos capazes de dar o que alguns nos dão incondicionalmente? Seríamos capazes, não só de retribuir, mas de dar em primeira mão, assim que a ocasião se proporcionasse?
- Afinal… quem somos nós para nós mesmos e para os outros? E para quais outros?
.
.

.
Imagem retirada da net
.
.
Disse Martin Luther King: No final, não nos recordaremos das palavras dos nossos inimigos, mas sim do silêncio dos nossos amigos !
.

.


publicado por eva às 00:39

link do post | comentar | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds