Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Olhando para cima vemos o...

. Da discussão inútil

. Sons da vida

. Sonhos?

. Primavera

. Julgamentos

. O medo tolhe

. Ambientes

. Mudanças relativas

. O transtorno do boomerang

. Saber escolher

. Brilhos

. Da atenção

. Da regeneração

. Todos?

. Um estandarte para a inte...

. Campo mental

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Quinta-feira, 12 de Maio de 2011

Olhando para cima vemos o que ainda falta

oje como ontem e talvez igual a amanhã estamos aqui.

Estamos vivendo o que precisamos viver para nossa evolução íntima.

A evolução física, de bebé a adulto, é a visível para quem está perto e pode observar as diferenças.

A evolução mental e espiritual é sentida pelo próprio e por alguns mais argutos destas coisas e que se relacionam, de um ou doutro modo, conjuntamente.

Vivemos para tudo o que isto significa e muito mais que ainda não é fácil entender.

Nessa dimensão das coisas vamos apenas percebendo o que somos, o que fomos e o que vamos sendo já, agora mesmo.

Como se subíssemos uma escadaria e, olhando para baixo, podemos entender de onde viemos e o que já evoluímos. Mas olhando para cima vemos o que ainda falta.

Importante é entender também onde estamos, porque isso são conquistas nossas, esforços tantas vezes sobre-humanos para ali chegar.

Importa ter, sentir amor-carinho por nós mesmos, pelos nossos esforços, quando e sempre que os façamos.

Importa reunir forças para ir sempre subindo e lateralmente ajudando outros, necessitados, a subir também.

A vontade de entreajuda é ainda uma felicidade para quem a consegue sentir e concretizar.

 


publicado por eva às 00:54

link do post | comentar | favorito

Domingo, 1 de Maio de 2011

Da discussão inútil

ensamentos de pouca monta, de pouca coisa.

De tudo o que não deveria ter importância.

Pensamentos que não nos projectam no bem São ainda a maioria dos pensamentos que comummente se têm.

Dando atenção e concentrando nossas energias com base em orgulhos vãos. Melindres, vaidades, depressões e outros tais são espelho de orgulho.

O orgulho é vão. A humildade é grandiosa.

O que dizem, o que fazem sobre nós, nossa família, nosso trabalho, nossos bens, deverá ficar em prol de quem o faz.

A nós seria mais útil continuar em humildade, respondendo apenas ao que tem resposta construtiva para nosso bem-estar íntimo e bem-estar de todos os intervenientes…

- Então, isso quer dizer que se for ofendido não ataco de volta? Só posso responder?

- Isso quer dizer que ao ouvirmos algo que não nos agrada ou fere, podemos responder esclarecendo da verdade e seguir o nosso caminho, sem sequer olhar atrás.

- Já houve quem nem conseguisse seguir o caminho, foi até torturado e crucificado.

- Exacto! Já bastou um!

- Um?! De um há milhares de seguidores mas muitos haverá incógnitos que, na sua humildade e correcção de ideias e atitudes, passam despercebidos à maioria. No entanto, o seu caminho é de ouro e o seu progresso mental e espiritual adquiriu um brilho ofuscante.

- Estás a defender o martírio para todos?

- Estou a dizer que as discussões acabam quando não são seguidas, que o bom ambiente se mantém no esclarecimento útil e não na falácia que se degrada constantemente em cada palavra desagradável. Estou a dizer que é positivo manter objectivos de esclarecimento quanto baste, reconhecendo que quem os ouve pode não estar em condições de ouvir ou não querer mesmo ser esclarecido. Logo, toda a discussão continua inútil até à degradação de todos e tudo em redor.

- Hummm…. Hummm…


publicado por eva às 00:30

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 12 de Novembro de 2010

Sons da vida

- ons melodiosos estão por todo lado.

- Ah estão?

- Sim, até aquelas máquinas que brocam as pedras e os passeios e os arruamentos, podem produzir sons melodiosos.

- Como ouves tu isso assim? Para mim é um ruído de fugir e eles aguentam porque têm aqueles tapa-orelhas… e é o seu trabalho!

- Pois, passar os dias naquilo e a vibrar com as máquinas prejudica o organismo físico e mental como, aliás, muitas outras profissões. Mas, como dizes, é daí que vem o dinheiro do trabalho para sobreviver o trabalhador mais a família.

- Então, onde ouves tu as melodias?

- Oiço-as na minha cabeça, onde haveria de ser?

- Não será melhor ires ao médico?

- Já fui e não encontraram nada. Parece que sou mesmo assim.

- Antes isso que outra coisa pior… Pelo menos as melodias são bonitas?

- São muito simples, como as dos motores a trabalhar.

- Ah! Mas aí tens os mecânicos contigo; todos dizem – oiça agora o motor, parece música!

 


publicado por eva às 00:37

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 25 de Outubro de 2010

Sonhos?

- ntão, então? Vamos indo! O autocarro não espera.

- Autocarro? Onde está?

- Ali mesmo, senhora. Ali estacionado – não o vê?

- Agora já, mas de autocarro só tem o tamanho!

- É quanto basta, senhora. De resto leva-nos onde quisermos ir.

- Ah! sim?

- Onde quer ir, senhora?

- Eu quero ir para casa, nem sei onde estou nem o que estou fazendo aqui.

- Foi aqui chamada e por isso aqui está a fazer o que lhe disseram para fazer.

- Chamada? Eu? Por quem?

- Por aqueles ali, vê-os? Estão a rir e a divertir-se com isto tudo, com todos vocês.

- Todos nós, quem?

- Todos estes, não os vê? Não tem disciplina, pois não senhora?

- Eu? Mas como é que chamaram, se não ouvi nada? Só se foi em sonhos!

- Sonhos? Mente, disciplina mental, sono, sensibilidade… faz ideia do que isso seja?

- Não, e não me parece que queira saber!

- Vamos para sua casa, então! Já chegámos!

- Mas… como é possível? … nem chegou a um instante!

 


publicado por eva às 00:37

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 11 de Outubro de 2010

Primavera

rimavera da vida!!

- Hã?

- Tudo floresce, tudo frutifica, tudo é belo!

- Hã?

- Tudo…

- Olha, espera! Estamos no Outono, ou seja, noutra estação.

- Não estamos nada! Isso será no teu hemisfério, por aqui é Primavera florida.

- Ah! É isso, estás pelos mares do Sul…

- Por acaso estou em terra bem firme, a que aparece por baixo da neve que vai derretendo a boa velocidade.

- Pronto, estamos em lugares distantes e realidades díspares, até contrárias.

- A realidade é para cada um a sua, ora!

- Evidentemente, mas pareciam linguagens diferentes.

- E depois? Cadê do espaço mental? Aquele que nos mantém livres seja qual for a situação?

- Acho que fugiu com o hábito da integração por semelhança…

 


publicado por eva às 23:49

link do post | comentar | favorito

Sábado, 5 de Junho de 2010

Julgamentos

- aus julgamentos – é o que são!

- Talvez, mas todos os fazemos e todos os dias. Faz parte da nossa capacidade mental…

- Fazem parte é da incapacidade mental, isso sim!

- Ok, mas todos julgamos tudo e todos, a toda a hora.

- É precisamente isso que é necessário evitar, porque ao julgarmos os outros estamos a cavar o nosso julgamento.

- A cavar?

- Sim, porque ao julgarmos e deduzirmos que o assunto não é bom nem recomendável inferiorizamo-nos. O nosso ser dilata-se em bem, em benfeitorias, em pensar bem, em agir bem, em benevolência, etc.

- Mas isso é quase aniquilar a capacidade de análise e o raciocínio e…

- Sim e não. Digamos que é o contornar do raciocínio habitual, que segue a direito logicamente organizado. É controlar esse modo de estruturar as ideias, é ajustar os pensamentos à benevolência.

- Ou seja, assumir sempre que o pior possa ter uma boa intenção por trás e seja uma mera consequência impensada. E isso ajuda-nos a…

- Ajuda-nos a não nos deixarmos traumatizar, a expandir tudo o que é bom em nós sem abrir qualquer brecha por onde possa entrar o desassossego, o conflito ou o melindre. Permite-nos ser firmes e felizes no mundo que nos rodeia e que, convenhamos, não é um mundo encantado.

- Não deixamos que nos contagie?

- Nós é que o contagiamos e talvez… quem sabe… poderá tornar-se num mundo mais acertado.

- Acertado de acerto, certo?!

 


publicado por eva às 23:57

link do post | comentar | favorito

Domingo, 9 de Maio de 2010

O medo tolhe

ltimas palavras. Últimos gestos.

Parece que tudo foi um sonho, um pesadelo. Mas, se calhar não…

Tenho medo de acordar, de abrir sequer os olhos e ver se é verdade.

Ser verdade o que vi, o que sonhei, o que estava mesmo ali à minha frente…

Mas não posso ter medo...

Se tenho medo uma vez, possa não mais deixar de ter medo.

E o medo tolhe! Tolhe a verdade de ser mais verdade.

Tolhe o ser de ser melhor, de acreditar e ter esperança.

O medo não interessa… e, mesmo assim, às vezes continua a espreitar.

Bem, vou eu espreitar agora… está tudo na mesma… o quarto, a janela, a porta, o corredor… tudo?

E aquele sangue todo? E o crime? Onde estão todos os outros que estavam aqui agorinha?

Foi um pesadelo, só pode ser!

- É tudo mental menina. Está tudo só na sua cabeça. Nós, por aqui, continuamos com a cabeça entre as orelhas. Nem teríamos tempo para essas suas coisas. Aqui trabalha-se! Sabe o que isso é?

- Sei que está um dia lindo e que foi apenas mais um pesadelo. Que bom! Que bom são os sonhos, simplesmente sonhos…

 


publicado por eva às 22:06

link do post | comentar | favorito

Sábado, 24 de Abril de 2010

Ambientes

stamos na Primavera!

- E depois? Já viste o vento e a chuva que se faz sentir?

- Ohhh! E já viste os novos passaritos, as flores, o perfume cheio de variantes que se sente no ar?

- Não muito, não! Saio a correr e só volto de noite…

- E passas o dia…

- Encerrado num gabinete a trabalhar, sem janelas nem nada da natureza para admirar. Com os anos a passar em ambientes assim, acabamos por esquecer que existe um mundo inteiro lá fora para admirar… Esquecemos que existem passeios ao ar livre… água, simplesmente a água que pode aliviar a sede…

- Esquecemo-nos de nós mesmos e da nossa liberdade mental, ou de espírito.

- Esquecemos de nos oxigenar por dentro e por fora. Até carregamos, o mais possível, pensamentos e palavras desagradáveis.

- Pois, esse é um hábito triste, em vez de se cultivar o bom hábito de repetir assiduamente algo agradável pelos outros e por nós…

- Bem, às vezes sobrevivemos em ambientes mesmo desagradáveis, grosseiros e até agressivos…

- Seria melhor não os tornar mais agressivos ainda, porque tudo o que pensamos e fazemos é ampliado cosmicamente.

- Tens razão, mas nem sempre é fácil lidar com as contrariedades e, pior ainda, com as dificuldades.

- Talvez ajude o pensar que tudo o que damos volta a nós em qualquer altura ou, melhor, no momento justo.

- Falas do círculo de acções e energias!

 


publicado por eva às 00:38

link do post | comentar | favorito

Sábado, 10 de Abril de 2010

Mudanças relativas

- deus, bye bye!!

- Então, onde vais?

- Vou já de férias, oh se vou!

- Vais satisfeito – sem dúvida alguma.

- Pois vou. Olha que há mais de 2-3 anos que não sei o que isso é.

- Ora essa! Ainda no ano passado foste tirar uns dias de férias e fora daqui.

- Oh, nada disso! Fui para o campo, mas fui ter com familiares…

- E isso é mau?

- Lá estás tu… Claro que não é – totalmente… O que te digo é que a sintonia da vida continua impecável.

- Hã?

- Hã? Pois é assim mesmo! Vejamos: quando reencontramos a família, que acontece?

- Cumprimentamo-nos cheios de saudades e depois perguntamos e queremos saber de toda a gente que durante o ano fomos perdendo o rastro.

- Exactamente! Ou seja, ficamos na mesma, tal e qual. Não que isso seja mau, não, nada disso… Mas não encontramos a liberdade de férias – verdadeiramente sentidas.

- Não, isso talvez não. Isto é, mudamos a rotina do trabalho remunerado para outra rotina e trabalhos não remunerados. Porque nessas férias também se trabalha, e bastante, fazendo o que durante o ano não tivemos oportunidade de fazer e em conformidade com o horário e quereres familiares.

- Ou seja, são apenas mudanças relativas…

- Bem, não conseguimos, geralmente, arranjar nem o espaço nem o arejamento mental que precisamos para recuperar forças e renovar o nosso oxigénio nas ideias, conforme o fôlego e a capacidade de armazenamento para enfrentar os novos tempos que aí vêm.

- Bem, boas férias!

- Para ti também, melhores férias em sítios onde não reconheças ninguém e possas estar incógnito.

- Para isso não é preciso ir longe, nem em clima de luxo…

- Evidentemente, apenas é preciso preparar esse retiro.

 


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 2 de Março de 2010

O transtorno do boomerang

ranstornos que sofremos por aquilo que nos parece injusto, por tudo o que nos contraria intimamente.

A nossa consciência está maioritariamente voltada para o exterior – tudo o que nos fazem, tudo o que sofremos…
No entanto, na maior parte das situações, os outros nem reparam que existimos enquanto pessoas sensíveis, somos apenas algo que está na frente dos seus objectivos imediatos, ou quase…
Para esses, somos apenas obstáculos a ultrapassar, sem ligarem importância a quem somos realmente.
Ou seja, se pudessem encarar as situações de frente, com lucidez mental e espiritual, perceberiam as atitudes tolas, ou mesmo tresloucadas, como as que têm para sobreviver no trabalho, na rua, em casa, entre familiares, amigos ou estranhos.
Apenas alguns têm a lucidez de entender que todos os pensamentos e atitudes que têm em seu redor é o que produzem para si mesmos.
Se são enaltecidos e soberbos, ou humildes e pacíficos… assim é o espelho que os reflecte.
- Estamos sempre a interagir como num espelho de nós?
- Esse é um modo fácil de explicar a situação.
- Então o que fazemos aos outros volta o seu efeito em nós?
- Seja o que for, em qualquer tempo ou espaço em que vivamos, tudo se acerta na ordem maior de paz e amor fraterno.
- Será o pagar até ao último ceitil referido por Jesus…
 

publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds