Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Penso que...

. Reforma

. Voluntariado

. Um jardim

. Fé e Esperança

. Caminho de vida

. Mensagens

. Andarilhando

. Discernimento

. Novo ano

. A consciência de si

. Aperfeiçoar sempre

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010

Penso que...

enso que…

Nada pode deter o progresso

O progresso de cada um

O progresso de cada ser

Penso que…

Somos nós que detemos o nosso progresso

Com a inteligência que temos

E que deveria ajudar a progredir

Somos nós

Que na pequenez de nós mesmos

Nos impedimos de progredir

Porque as nossas acções

Apenas em nós produzem verdadeiros efeitos

Apenas em nós próprios

Nos princípios que nos regem

Nos fins objectivos que preconizamos

Penso que…

Podemos facilmente ser UM

E ainda não o entendemos

E ainda não percebemos

Que a nossa felicidade

A nossa paz depende disso também

E ainda não entendemos

Que o universo continua cumprindo

As leis cósmicas inexoravelmente

Penso que…

Seria tão fácil ser feliz

E ajudar à felicidade de todos, de tudo

Simplesmente em sintonia com essa Unidade maior.

 


publicado por eva às 00:37

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 18 de Outubro de 2010

Reforma

opra uma brisa… bem, talvez seja mesmo vento o que sentimos.

Já é altura de um casaquinho e se calhar umas meiazinhas para os mais pequeninos ou os mais frágeis, por doença ou pela idade.

- Idade da reforma?

- Que é isso? Se é da reforma do trabalho pago por outrem ela poderá existir; se falamos da reforma do trabalho individual ou da reforma íntima da personalidade, estas não existem propriamente porque trabalhamos sempre e até cada vez com mais afinco e dedicação.

- Talvez porque trabalhamos para nós mesmos…

- Porque sentimos que nos faz bem continuarmos a movimentar e agilizar o corpo físico, como a libertar a personalidade de atavios de ditas conveniências.

- Resumindo – nunca paramos!

- Ora essa! Que dizer dos intervalos que vamos fazendo e que, se forem bem estruturados no dia-a-dia, são tão preciosos como qualquer trabalho para a melhoria individual?

- Então – sempre o equilíbrio!

 


publicado por eva às 19:44

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 17 de Setembro de 2010

Voluntariado

- h! Cá vamos nós outra vez à mesma hora fazer o mesmo de sempre.

- Feliz de ti que tens trabalho!

- Não! Isto é, sim! Mas não estava a falar do trabalho, estava a referir-me ao trabalho voluntário, sem receber um tostão, mas cansando tanto como o outro.

- Então para que vais lá? E já agora onde é o «lá»?

- Vou porque, como o nome indica, é voluntário, ou seja de vontade, e vou fazer o que gosto. Além do mais sinto-me útil.

- Útil? Ah! Pois deves ser!... E assim é menos um trabalhador assalariado…

- Não, não! São situações em que nem havia trabalhador algum, são trabalhos de solidariedade em que se junta um grupo de pessoas de boa-vontade para o fazer.

- São os chamados trabalhos de sapa?

- Talvez, mas o que quero dizer é que não estava ninguém para o fazer. São visitas de agradabilidade e companhia a doentes que não têm ninguém. Ou são ajudas de sopa e sandes directamente a sem-abrigo que não têm outro consolo, ou são ajudas de arrumação e divisão de pacotes de comida por zonas, etc.

- Mas há instituições que tratam disso por objectivo, ou não há?

- Há, mas não chegam a todos e há sempre os que nem percebem a informação útil e vão ficando nas ruas, por aí…

- E esse trabalho é individual?

- Não! Geralmente é de grupo, e pode ser de grandes grupos ou pequenos. Individualmente é mais difícil e talvez nem seja tão eficaz.

- Humm!!??

- Além disso acaba por gerar-se um certo companheirismo e conversação alegre.

- São atitudes maternais sem ser de mães para filhos biológicos…

- Amor maternal é um amor grandioso de dádiva e há quem o tenha e há quem não seja ainda capaz de o sentir, seja mulher, seja homem, seja filho. Amor maternal é uma designação para um amor maravilhoso de partilha e abnegação, de benevolência e…

- Já percebi! Adeus - Bom dia!

- Bom dia para ti também.

 


publicado por eva às 23:37

link do post | comentar | favorito

Sábado, 11 de Setembro de 2010

Um jardim

um sonho! O jardim do bairro perto de casa, ou um jardim em redor da própria casa é um conforto e um regozijo.

Sim, sim! Também acoberta os grupinhos mal-queridos pela vizinhança e que tudo destroem à sua passagem.

Enfim, como sempre, há quem desleixe, ou destrua, e há quem ame, ajude e valorize.

A cada um a responsabilidade de seus pensamentos e acções.

Sim, sim! Mesmo quando são influenciados pela energia do grupo, cabe a cada um a sua responsabilidade. Mas o menor ou maior grau de responsabilidade será diferente conforme a situação vivida individualmente.

- Assim como a justiça?

- A justiça é Divina. O que temos neste mundo, ou seja, a este nível de evolução, são um conjunto de regras, ou leis, que preconizam o seu cumprimento em igualdade de situações.

- Ah! Temos um projecto de justiça!

- Melhor que nada! E voltando ao jardim, é um must poder sentar num banco e desfrutar da paisagem, das brincadeiras de crianças, de todos os que vão passando e passeando. Escolher um livro e ir lendo, despreocupadamente.

Estar num jardim de modo solto – é uma maravilha!



publicado por eva às 23:51

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 27 de Julho de 2010

Fé e Esperança

vida poderia ser um eterno romance, poderia ser um eterno bem-estar de paz e harmonia…

- Mas não é, e nem é nada que se assemelhe. Geralmente é uma vivência média de 80 anos em que acontece um turbilhão de acontecimentos, sentidos de modo mais dramático que feliz.

- Mas… a esperança persiste.

- Com certeza! Em boa dosagem a esperança pode sustentar-nos.

- Esperança e fé podem ser o mesmo, ter o mesmo efeito em nós.

- Ter o mesmo efeito, talvez, porém não são o mesmo. Esperança consiste em esperar, desejar que tudo seja conforme gostaríamos que fosse. A fé, sempre que é raciocinada, ou interpretada racionalmente, tem uma força enorme porque nos indica leis maiores, que tudo regem acima da mediania a que estamos expostos, e contém a explicação do que somos, do que sofremos e gozamos, tem a explicação do como e do porquê de tudo o que queremos saber, assim como tem a explicação do que deverá seguir-se a cada momento do presente.

- A fé – isso tudo? Acho que a confundi sempre.

- Com teimosia ou capricho?

- Não direi tão pouco, mas algo assim, efectivamente.

- A fé ajuda-nos, dá-nos alento a seguir em frente na certeza que tudo muda, tudo serve para promover o ser e a sua felicidade, que todas as culpas, todos os problemas e alegrias fazem parte do caminho individual, daquele caminho que cada caminhante faz no seu andar.

 


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 22 de Julho de 2010

Caminho de vida

- stou magoada, pronto, já disse!

- Mas cada um faz o melhor de si. Se não é melhor é porque ainda não o consegue ser. Isto é, não é só para ti que alguém é como é.

- Ah! Isso é que não, que eu bem vejo como trata os outros clientes. Sempre do melhor e ainda vai buscar o produto a Judas se for preciso.

- Então e para ti, como é?

- Para mim é – não tenho, não há, já acabou…

- Se nada agrada, porque não mudas tu de fornecedor? Evitavas esse teu carpir.

- Oh! Mas ele é o da zona. Outro meio é ser eu mesma a ir buscar as coisas e isso não rende para o negócio.

- Então atura o problema do melhor modo – não lhe dês uma importância que não deveria ter sequer.

- Mas eu queria que mudasse de atitude…

- Mas isso não parece muito justo, pois não?

- Não?

- Nós somos o que ainda somos, mais o que almejamos ser. Não podemos, nem devemos, querer transformar os outros à nossa imagem. Quem pode garantir que isso é o melhor para esse outro? A cada um o seu caminho de evolução.

- Essa agora!

- Pois… o caminho de vida é individual junto com a dignidade e a cooperação com o colectivo onde se insere.

- Não compliques!

- É só isto – e isto é simplicíssimo.

 


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 20 de Julho de 2010

Mensagens

s mensagens que recebemos são para entregar porque não são nossas, são para outros de outros.

- Ah! A melodia que fazem as ondas do mar ao chegar devagarinho na areia…

- Como se não quisessem ser sentidas, nem causar perturbação.

- Sim, isso mesmo!

- Mas sabes que só alguns as ouvem assim. A maioria mal as vê, quanto mais prestar-lhes atenção.

- Cada um percebe a vida como pode, isto é, conforme as suas possibilidades em cada momento.

- Pois, pois! Não somos todos iguais. Li, no outro dia, que Jesus amparava a diversidade de características entre todos os seres.

- Características físicas?

- Também, mas referia-me a todas, às físicas e mentais. Tanto entre as diferentes raças, como entre os membros de cada uma. Por isso, favorecia a individualidade e o desenvolvimento que cada um obtém por si mesmo e pelo meio onde vive.

- Mas, em condições semelhantes, notam-se as mais díspares características, sobretudo as mentais.

- Parece que isso depende da liberdade de cada um aprender e na forma, negativista ou positivista, como observa os acontecimentos no desenrolar da sua vivência.

- Então o bruto de hoje…

- Poderá ser o indivíduo sensível e delicado do porvir.

- E para isso?

- Depende especialmente dele essa transformação. Quanto a nós, necessitamos reunir toda a nossa paciência, esperança e fé… em nós!

- Em nós?

- Todos evoluímos e por diversos meios. O progresso individual passa por provas no colectivo, provas que ultrapassamos seguindo uma conduta, ou caminho recto, no meio de uma autêntica floresta de anarquia conceptual.

- Falavas de mensagens?

- Já está dada!

 


publicado por eva às 00:30

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010

Andarilhando

- i!

- Olá! Vou de viagem…
- ‘Tou a ver…posso ir tam’ém?
- Poder, podes. Não sei de te interessa, vou andarilhar por aí, na rota dos mosteiros.
- Ah! Se fosse na dos vinhos… ou na dos queijos… ou outra assim…‘deus!
- Adeus, até ao meu regresso!
… … …
- E para que queres tu encontrar mosteiros?
- Por causa da atmosfera deles. Geralmente estão no cimo de colinas ou serras e o ar ali é mais leve, é melhor. Mas não só! pretendo saber o que os levava a querer uma vida assim, retirada e mais natural. Qual a ligação entre essas situações, lugares e gentes… Enfim…
- Natural? Alguns eram cheios de vícios…
- Havia de tudo, como em todo o lado.
- Então a diferença não está no sítio, mas continua a estar nas pessoas…
- Sem dúvida, mas o lugar e o grupo influenciam.
- Sim, sim. Mas a essência e a responsabilidade é de cada um.
- Será mesmo assim tão limpa, tão cabal, essa responsabilidade?
 

publicado por eva às 00:38

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 8 de Setembro de 2009

Discernimento

Tanto que todos nós somos. Tão pouco que somos para tudo o que poderíamos ser.
- Que impede essa evolução do ser?
- A própria personalidade eivada de muitos preconceitos e ressentimentos. Mas que tem também qualidades, estas favorecendo a evolução e tendendo para o equilíbrio. É a noção de que se deve permanentemente escolher entre dois caminhos, entre duas opções, etc.
- Porém há muito mais que duas opções e, singularmente, podemos não vislumbrar opção nenhuma a não ser continuar, continuar sempre em frente. Porque para a frente é, afinal, o caminho correcto.
- Esse é o caminhar pela nossa vida e, até, pela nossa morte. Porque tudo tem uma razão de ser e de existir para nós, para nós vermos as coisas como as vemos.
- Imaginem vocês um palco onde diversos actores interpretam o seu papel, assim como os que estão na plateia também interpretam o que está a ser apresentado. Cada indivíduo interpreta e reage, em conformidade com os seus valores, a tudo aquilo que presencia – sejam os actores na interpretação profissional e pessoal do seu papel, sejam os que assistem na interpretação pessoal do tema e na apreciação do profissionalismo dos outros.
- Do mesmo modo com a vida e as vicissitudes que se vivem nela, como se esta fosse uma sala de espectáculos, ou uma estrada para percorrer.
- Cada um tem o discernimento que tem, mais o que pode alcançar se quiser abrir um espaço mental para novas ideias, para novos modos de ver e sentir a vida em si. É sentindo em si próprio e projectando em si novos e melhores sentimentos por tudo o que presencia, ou percebe, ou percepciona, que evolui e ao ritmo que ele próprio se imprime.
- Resumindo, sempre a moralização do indivíduo perante tudo e todos.
- Sempre procurando ser melhor a cada dia, a cada instante e vivendo sempre tudo o que se lhe apresenta para viver.
.
.

.
Imagem retirada da net

.
.

Diz o  Livro dos Conselhos:  Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara !

.
.


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

Quinta-feira, 1 de Janeiro de 2009

Novo ano

Novo ano que se inicia, geralmente com bons e variados projectos pessoais.
- Olha, estão na garagem a divertir-se!
- Não estão, não! Só alguns, os outros estão a ser massacrados pelas brincadeiras!
- Pois, lá isso é verdade. Aquilo que para uns é agradável, pode ser penalizante para outros.
- É isso, sim! Quando fazemos algo dando largas à nossa imaginação, devemos pensar se isso não irá contra a vontade dos outros.
- Pela dignidade de cada um e de todos…
- A ideia é essa. Parece tão simples, mas é tão difícil de concretizar para muitos, que só sentem felicidade em hábitos desregrados.
- As épocas festivas são assim, têm muito de tudo – do que presta e do que não presta.
- Pronto, conseguiram fugir e vão embora. Os brincalhões ficaram a rir sem parar. Será que alguma vez vão entender o que fazem?
- Aos outros?
- Já nem falo desses, refiro-me a eles mesmos. Será que ainda não perceberam que conforme fazem assim encontrarão feito para eles também?
- É uma pena, por tão pouco…
- Voltando então aos planos para o ano, que pensas fazer?
- Divulgar, partilhar sempre as informações que pareçam úteis, ou que possam contribuir para ajudar a pisar com mais segurança o caminho eterno da vivência individual e se, para uns, serão boas palavras, para outros nem tanto…
- Então vamos continuar trabalhando no mesmo ritmo, que eu, por meu turno, tenho muito que seleccionar e preparar para publicação.
- Depois deste chocolate quente retomamos então o trabalho.
- Quente, não – a ferver!
- Ora, os dias frios são também para aquecer com doçuras destas…

.
.
.

Imagem retirada da net

.
.

Disse  Pe. António Vieira:  Ao trabalho corresponde o fruto que se colhe !

.
.


publicado por eva às 00:23

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds