Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Pela natureza

. À beira-mar

. Saúde

. Caminhar

. Além do horizonte

. Horizonte

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Sexta-feira, 11 de Março de 2011

Pela natureza

ela natureza chegamos lá

Lá onde a unidade emerge

Na natureza nos imbuímos

Desse sentir uno

Pela natureza observamos

Nosso horizonte e escalada

Pela natureza chegamos lá

Lá onde a unidade emerge

Pela natureza sentimos

A união com animais, plantas

Terra, mar e céu

Pela natureza intuímos

A igualdade que existe

A diferença que persiste

Afinal…  apenas

Porque tudo produzimos

Com nossas acções

Infelizes ou mais felizes

Mas quando quisermos

Com toda facilidade

Pela natureza chegamos lá

Lá onde a unidade emerge!

 


publicado por eva às 00:35

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 3 de Junho de 2010

À beira-mar

ia de descanso semanal para uns. Dia de trabalho para outros.

Há que tempos que não ia até à beira-mar, de mar verdadeiro mesmo.

Daquele que tem ondas e surfistas.

Daquele que o horizonte é para lá do olhar.

Daquele que é cada vez mais azul até se igualar ao céu, quando se tocam.

Porque tanta beleza tem que se encontrar alguma vez…

Há uma pureza no ar…

Há uma luz que toca no íntimo de tudo o que alcança, da água ao céu, da gaivota à areia, das abelhas e borboletas às crianças, aos pais e aos avós, a tudo e a todos.

Essa luz perpassa todos os corpos. Até o ar está impregnado dessas luzinhas da luz.

Se conseguirmos pensar além e olhar para cima veremos que todos somos e que todos vemos essa luz…

 


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 2 de Abril de 2009

Saúde

Doenças graves aparecem quando se ultrapassaram outras situações difíceis, na família, no emprego…
Quando parece que o pior passou… aparece o irremediável – a falha de saúde.
O povo diz com propriedade que enquanto há saúde há tudo.
E também parece que, demasiadas vezes, temos como certa a saúde e as forças para tratar dos nossos dias.
Mas nada é conforme parece e a saúde é das condições mais frágeis.
As notícias podem tornar-se desventuradas e depois do susto, do horror… fica a desolação.
É um deserto ávido e inóspito que se estende à frente… tomando o nome de vida, como se tudo continuasse igual.
Como diz um poema cantado – como é que pode continuar tudo igual? A sucessão dos dias? Tudo à nossa volta?
- Achas que eles aguentam?
- Acho que têm dose de esperança e amor suficiente para sobrelevar até ao fim a missão que têm.
- O Sol parece que teve um eclipse.
- Mas eles estão no Sol, sem eclipse, e conseguem abrir os olhos e ver outro horizonte que mais ninguém vê.
.
.

.

Edvard Munch – A Criança Doente
Imagem retirada da net
 
.
.

Disse Virginia Woolf: Como é espantoso quando as luzes da saúde se apagam, as regiões por descobrir que se revelam !
.
.

publicado por eva às 00:14

link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

Terça-feira, 14 de Outubro de 2008

Caminhar

Vêem-se a passar na água e por um túnel de neve.
Parecem estar dentro da montanha e logo a seguir chegam a um lago, sob um céu azul e limpo de nuvens.
A neve é muita e vai abrindo passagem amontoando-se aos lados em neve menos compacta, porém mais alta.
Sob este céu, o branco fica mais branco e o azul reflecte-se num forte brilho prateado, que faz resplandecer até as pessoas.
Todos estão maravilhados e ao mesmo tempo quedos e apáticos.
No horizonte aparece como que uma nova aurora, apesar do Sol já ir alto por cima do lago.
E a paisagem assume, então, tons brancos, prateados, beges, rosas e laranja-amarelados.
Estas cores espalham-se como raios, iluminando, iluminando e colorindo tudo como se fossem tintas de aguarela.
Apetece fechar os olhos e ficar ali, por tempo indefinido.
Mas a quietude é agora, também, o movimento de todos em direcção à tal nova aurora.
Todos vão até lá e… surpresa! - De lá vê-se que o branco-neve continua completamente acastelado e em maior extensão, continuando até… não se sabe onde…
Só resta caminhar…
Caminhar sempre até esse horizonte de cores e céu branco que agora vislumbram.

.
.
.

Imagem retirada da net


.

Disse  Giuseppe Ungaretti:  A meta é partir !
.
.

publicado por eva às 00:29

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 24 de Junho de 2008

Além do horizonte

Tons suaves e peças de roupa espalhadas.
Paisagens mais ou menos agradáveis.
Muitas pessoas em muitos sítios diferentes – todas bem-dispostas e a gozar dias… digamos… de férias?
As cenas pareciam sucessivos anúncios com paisagens lindas.
Há uma mulher com ar sereno que procura a família.
Deambula e percorre todos os sítios que foram aparecendo anteriormente.
Passa-os como se fossem uma montagem fotográfica – como uma sobreposição da sua imagem nas outras imagens.
Ninguém a vê ou então ignoram-na completamente.
Finalmente pára numa das paisagens e fica a observar as pessoas daquela imagem, numa praia a estender-se quase sem fim.
Na areia estão pessoas que ela reconhece e, agora sim, estes também a conhecem e cumprimentam.
Conversa um pouco e vai embora agora com mais um casal ao seu lado, isto é, ela ao meio, o homem à esquerda e a outra mulher à direita.
Vão muito satisfeitos e comentam que é bom estarem outra vez juntos.
- Porque tens essa cara de admirada?
- Porque… eles vão a voar rente às águas, a caminho do horizonte.

.
.
.
Fotograma de "What Dreams May Come" (Para Além do Horizonte)
.
.
Disse  Pablo Picasso:  Tudo o que possamos imaginar é real !
.
.

publicado por eva às 23:38

link do post | comentar | favorito

Sábado, 9 de Junho de 2007

Horizonte

9 de junho de 2007

Céu enevoado, algum vento, uma temperatura a dar para o fresco.
- Que estás a fazer? Onde é que vais?
- Vou à praia apanhar sol.
- Já foste à janela?
- Claro que sim! E não ponhas essa cara porque vais ver que o sol vem aí. Só está um pouco atrasado e eu já estou pronta.
- Bom, pelo menos não deves ter trânsito.
- Ora, sabes que eu tanto gosto de praia com fato de banho como de casaco e gorro. Gosto daquele ar na cara. Gosto do emaranhar do cabelo com o vento, e o sal, e a areia. Gosto de passear à beira da água e procurar pedras e conchas. Para nada porque não faço nada delas. Mas gosto, pronto! E gosto também da praia vazia, pois gosto! Se calhar ainda mais do que quando está cheia! Tanto gosto dos vendedores como dos pescadores quando está enevoado! Gosto do mar com ondas ou quando está sereno! A praia é sempre um encontro porque me deixa olhar para um horizonte sem fim!
- Eu já me calei!
- Se calhar é realmente o mais importante!
- O eu ter-me calado?
- Não! Se calhar o mais importante é essa sensação de que tudo é ainda possível!
♪: O Samba e o Tango - Caetano Veloso

publicado por eva às 10:11

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds