Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Bocados de céu

. A fasquia do amor

. Intenções

. Há perfumes no ar

. Homens e máquinas

. Águas sujas e águas limpa...

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Domingo, 26 de Junho de 2011

Bocados de céu

asas e casarios.

Ruas, estradas e ruelas.

Bocados de céu e céu aberto, infinito.

Um adulto, uma criança, um velhinho.

Animais e bichos.

Arvoredo e plantas.

Rochas e pedras.

Uma lista interminável de intervenientes neste globo.

Todos entre-comunicamos.

Todos nos influenciamos mutuamente.

Todos somos pouca coisa.

Todos somos maravilhosos.

 


publicado por eva às 16:24

link do post | comentar | favorito

Domingo, 15 de Maio de 2011

A fasquia do amor

oração.

Coração de mãe. Coração doente. Coração de pai. Coração de avós. Coração de filhos.

De filhos pelos filhos de quem pais são.

Diz-se que tem bom coração.

Ou que nem tem coração.

O coração que tantos significados tem. Que os poetas tanto admiram nos seus versos.

Esse coração que os médicos tratam e até transplantam de um para outro ser.

O coração de cada um. O coração das gentes.

Esse coração que quer dizer afinal – Amor.

Esse é o coração que é necessário preservar.

Senão a humanidade é mais baixa que os animais que, aliás, já vão dando mostras bem visíveis de bom coração.

Não devemos baixar a fasquia do amor.

Amor por nós próprios e por todos, por tudo.

Já Jesus o pregava há 2000 anos e antes dele outros o disseram também.

Somos tudo com amor em nós.

O ser amplia-se e projecta em tudo essa luz maravilhosa de Amor.

 


publicado por eva às 00:33

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 6 de Maio de 2010

Intenções

e boas intenções podemos estar todos e as asneiras serem mais que muitas!

É incrível como situações tão simples se complicam!

Às vezes sofre-se até à exaustão… e muito mais pelos outros que por nós próprios, sobretudo se emerge um sentimento de culpa por, de algum modo, podermos ter sido nós a conduzi-los a esta ou tal situação de sofrimento.

Quantas vezes pensamos que estamos a agir de modo correcto e, em vez disso, estamos a infligir, indirectamente, sofrimentos impensáveis.

- Mas se não foram cogitados, e nem sequer planeados, a culpa não existe.

- Ignorância, diz a lei, não é desculpa.

- Isso é na lei dos homens que preza a conveniência. Perante a Lei Divina tal não pode suceder, senão deixaria de ser justa e divina. Pois como poderia alguém ser julgado pelas consequências de algo que não empreendeu?

- Porque deveria ter pensado melhor e tomado a responsabilidade que deveria pelos que estão a seu cargo?

- Às vezes só se fosse super-homem e conseguisse adivinhar pensamentos tão baixos que, aliás, nem lhe passam pela cabeça. Vivemos num submundo de emoções, sentimentos e pensamentos. Somos o que apenas ainda somos. E se, certas atitudes, sequer assomassem o pensamento de alguém mais saudável de ideais, esse alguém seria tão reles como aqueles de quem se horroriza. Ou não será isto?

- Acho que sim, que tens razão. Há atitudes impensáveis e arrepiantes – sim, com certeza que sim! E que o facto de nos arrepiarem quererá significar que não seríamos capazes de tais actos, quanto mais de conduzirmos alguém para eles, para sofrerem assim. No entanto onde se situa a inadvertência? Estará isenta de culpa? Completamente isenta?

- Somos seres pensantes, não somos seres adivinhos de todas as consequências que existem, ainda menos se as respectivas causas não existem em nosso ideário…

 


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 3 de Maio de 2010

Há perfumes no ar

á perfumes no ar. Há flores por todos os cantos.

Há romance nos olhos e nos gestos, mais que nas palavras.

Há ligações entre os animais. Em toda a natureza se percebe a procriação, o renascer, enfim, um reviver da paisagem e de tudo o que fervilha de vida.

E depois, é razoável não esquecer, os que contemplam toda a natureza com agradabilidade. Recordando os tempos em que a sua própria vida fervilhava assim.

Agora estão na fase de acolher os que precisam de auxílio ou simplesmente da sua compreensão e conselho, ditados pela experiência das mesmas coisas.

No presente, podem falar e conversar com quem precisa falar para ser ouvido e para ouvir alguém conversar interessadamente no seu problema.

Hoje, são parte integrante de um ser estável e sereno debruçado para a vida, lúcido perante a vida.

Sem amargura, mas com benevolência.

Benevolência que lhes traz, num instante, para o seu ângulo de visão o voo de uma borboleta. Avistam, seguidamente, um jardim, uma praceta e uma fonte.

Que bom é sentir a frescura dos salpicos!

- Não te fazem tremer de frio?

- Não, fazem-me notar que algo mudou e que algo chega com muita frescura. A frescura das coisas novas.

 


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 27 de Maio de 2008

Homens e máquinas

Mecânica e mecânicos. Oficinas e máquinas.
Quem evolui com quem?
Quer dizer, é o homem que se melhora em trabalho e trata da máquina que o ajuda?
Ou o homem trabalha para a máquina quando deixa os intervalos da comida e da saída, até a família, para tratar da máquina que avariou no local de trabalho?
Qual é prioritário? É a máquina que, indirectamente ou não, é o seu sustento e a sua capacidade de emprego!?
É por isso que chega a estabelecer uma particular relação de amizade com a “sua” máquina? Isto, porque muitas vezes é determinado operário, ou técnico, que lhe sabe as manias e sabe o que fazer quando a máquina pára.
- Isso que estás aí a dizer é preocupante!
- O quê? A natural relação entre indivíduo-máquina?
- Pois, não tinha visto isso assim!
- No fundo, as máquinas estão a representar, hoje, a falta de companheirismo. Os empregados já não estão lado a lado partilhando as mesmas situações. Estão virados e isolados como uma máquina! Só isso!
- Exactamente – apenas isso.

.
.
.

Fotograma de "Tempos Modernos"

.

 .
Disse  Henry Thoreau:  Os homens tornaram-se as ferramentas das suas ferramentas !

 

 


publicado por eva às 22:13

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 13 de Fevereiro de 2007

Águas sujas e águas limpas

13 de fevereiro de 2007

Porão de um navio e, noutro lado, as máquinas e extensos tubos largos.

Uns sobem e são os mais bonitos, porque estão pintados de bege.
Outros mais cinzentos, vão rente ao chão ou pelas paredes. Estes são mais estreitos.
Máquinas e motores um pouco por todo o lado.
Assim como também, um pouco por todo o lado, vários homens vêm vigiar as máquinas.
Águas sujas e águas limpas.
Uma espécie de guindaste abre uma escotilha. As águas aqui são turvas.
Mais além uma praia.
Acolá um homem desmaiado.
Noutro lado, longe dali, numa sala, aparece o tal homem que estava desmaiado.
Médicos estão a tratá-lo mas ele grita e debate-se.
Conseguem finalmente aquietá-lo.
Nesta altura vem outro homem, mais velho, trazendo uma espécie de lençol.
Apesar do homem estar vestido, põe-lhe o dito lençol por cima e leva-o, andando os dois muito devagar.
Na praia que vimos, restam flores que vão sendo levadas nas ondas conforme estas vão subindo nas marés.
O mar parece enfeitado de flores.
O sol, esse, parece rir, a bom gosto, por cima da praia.

publicado por eva às 18:24

link do post | comentar | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds