Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Escolas de vida

. Avô, tu ainda estudas?

. José Mauro de Vasconcelos...

. Dedicação

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Terça-feira, 20 de Abril de 2010

Escolas de vida

- amos para o hospital?

- Fazer o quê? Tens alguma consulta ou problema para resolver lá?

- Qualquer coisa. Gosto dos jardins de lá, acho os hospitais uma escola.

- Hã? Não devem ser os mesmos hospitais a que vou quando estou doente.

- É, é, pois se nem há doutros!

- Então, não percebo.

- Acho que são escolas de vida, porque chegamos lá mal porque estamos doentes de alguma coisa que, regra geral, nem sabemos o que é e, depois de alguns dias, saímos de lá com outra visão sobre o nosso problema e a vida.

- E a vida?

- Sim. O relacionamento entre pessoas muda completamente…

- Oh, se muda!

- Sim, percebemos que não somos nada, que o nosso corpo é importante para podermos viver desembaraçadamente a vida, sem sobrecarregar os outros e sobrevivendo o melhor possível.

- Queres dizer que não damos valor à saúde que temos?

- Quero dizer que podemos reconhecer, demasiado tarde, que a saúde que temos não é para sempre, nem sequer tem garantia. Quero dizer que nos cabe a nós cuidarmos do nosso corpo o melhor que soubermos e nos formos instruindo para tal.

- Temos a responsabilidade de ajudar à nossa saúde.

- Enfim, a responsabilidade de sermos tão independentes quanto possível…

 


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 24 de Junho de 2009

Avô, tu ainda estudas?

Aparecem vários volantes num painel enorme junto de um vidro – pára-brisas – enormíssimo. Gigantesco!
Somos vários ali acomodados e com possibilidade de ver as zonas e paisagens por onde vamos passando.
Ouve-se conversar, mas não se percebe a conversação.
Parece que atravessamos, agora, uma zona minada, porque vêem-se explosões um pouco por todo o lado.
Não, afinal não são explosões… são… parecem astros luminosos que passam e iluminam tudo à volta. Por isso dá ideia de explodirem.
Não é noite, mas está escuro e essas luzes dão jeito para perceber por onde vamos. Ouvem-se trocas de informação sobre o trajecto e as tarefas.
Depois… bem, depois…
- Avô, não podes parar agora, conta-me o resto.
- Mas estou um pouco ensonado e cansado, por isso vou abreviar. Depois, chegaram a uma terra muito bonita e foram directamente para o edifício Escola ouvir as aulas. Era um edifício branco e importante.
- Mas, mas… estou de férias. Todos estamos de férias, como é que eles vão ter aulas?
- Porque é sempre bom tempo para estudar, todo o ano e todos os anos até ao fim da vida.
- Tu ainda estudas?
- Claro que sim, senão como saberia actualizar-me com as notícias e descobertas do mundo, com os gostos dos mais jovens e com os teus quando estás cá em casa?
- Ora!
.
.

.

Elena Flerova - O Avô
Imagem retirada da net

.
.

Disse  Robert Louis Stevenson:  O estudo é uma espécie de alimento natural da mente !

.
.


publicado por eva às 23:20

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Domingo, 17 de Junho de 2007

José Mauro de Vasconcelos # O Meu Pé de Laranja Lima

17 de junho de 2007

Ninguém tinha levado uma flor sequer para minha professora D. Cecília Paim. Devia ser porque ela era feia. Se ela não tivesse uma pintinha no olho, não era tão feia. Mas era a única que dava um tostão pra mim para comprar sonho recheado no doceiro de vez em quando, quando chegava o recreio.
Comecei a reparar nas outras aulas e todos os copos sobre a mesa tinham flores. Só o copo da minha continuava vazio.
… … Uma manhã apareci com uma flor para minha professora. Ela ficou muito emocionada e disse que eu era um cavalheiro. … …
E todos os dias fui tomando gosto pelas aulas e me aplicando cada vez mais. Nunca viera uma queixa contra mim de lá. … …
A escola. A flor. A flor. A escola…
Tudo ia muito bem quando Godofredo entrou na minha aula. Pediu licença e foi falar com D. Cecília Paim. Só sei que ele apontou a flor no copo. Depois saiu. Ela olhou para mim com tristeza.
Quando terminou a aula, me chamou.
- Quero falar uma coisa com você, Zezé. Espere um pouco.
Ficou arrumando a bolsa que não acabava mais. Se via que não estava com vontade nenhuma de me falar e procurava coragem entre as coisas. Afinal se decidiu.
- Godofredo me contou uma coisa muito feia de você, Zezé. É verdade?
Balancei a cabeça, afirmativamente.
- Da flor? É, sim senhora.
- Como é que você faz?
- Levanto mais cedo e passo no jardim da casa do Serginho. Quando o portão está só encostado, eu entro depressa e roubo uma flor. Mas lá tem tanta que nem faz falta.
- Sim, mas isso não é direito. Você não deve fazer mais isso. Isso não é um roubo, mas já é um “furtinho”.
- Não é não, D. Cecília. O mundo não é de Deus? Tudo que tem no mundo não é de Deus? Então as flores são de Deus também…
Ela ficou espantada com a minha lógica.
- Só assim que eu podia, professora. Lá em casa não tem jardim. Flor custa dinheiro… E eu não queria que a mesa da senhora ficasse sempre de copo vazio.
Ela engoliu em seco.
- De vez em quando a senhora não me dá dinheiro para comprar um sonho recheado, não dá?
- Poderia lhe dar todos os dias. Mas você some…
- Eu não podia aceitar todos os dias…
- Por quê?
- Porque tem outros meninos pobres que também não trazem merenda.
Ela tirou o lenço da bolsa e passou disfarçadamente nos olhos.
- A senhora não vê a Corujinha?
- Quem é a Corujinha?
- Aquela pretinha do meu tamanho que a mãe enrola o cabelo dela em coquinhos e amarra com cordão.
- Sei. A Dorotília.
- É, sim, senhora. A Dorotília é mais pobre do que eu. E as outras meninas não gostam de brincar com ela porque é pretinha e pobre de mais. Então ela fica no canto sempre. Eu divido o sonho que a senhora me dá, com ela.
Dessa vez ela ficou com o lenço parado no nariz muito tempo.
- A senhora de vez em quando, em vez de dar para mim, podia dar para ela. A mãe dela lava roupa e tem onze filhos. Todos pequenos ainda. Dindinha, minha avó, todo sábado dá um pouco de feijão e de arroz para ajudar eles. E eu divido o meu sonho porque Mamãe ensinou que a gente deve dividir a pobreza da gente com quem é ainda mais pobre.
As lágrimas estavam descendo.
- Eu não queria fazer a senhora chorar. Eu prometo que não roubo mais flores e vou ser cada vez mais um aluno aplicado.
- Não é isso, Zezé. Venha cá.
Pegou as minhas mãos entre as dela.
- Você vai prometer uma coisa, porque você tem um coração maravilhoso, Zezé.
- Eu prometo, mas não quero enganar a senhora. Eu não tenho um coração maravilhoso. A senhora diz isso porque não me conhece em casa.
- Não tem importância. Pra mim você tem. De agora em diante não quero que você me traga mais flores. Só se você ganhar alguma. Você promete?
- Prometo, sim senhora. E o copo? Vai ficar sempre vazio?
- Nunca esse copo vai ficar vazio. Quando eu olhar para ele vou sempre enxergar a flor mais linda do mundo. E vou pensar: quem me deu esta flor foi o meu melhor aluno. Está bem?
Agora ela ria. Soltou minhas mãos e falou com doçura.
- Agora pode ir, … ...

.
in “O Meu Pé de Laranja Lima”
de José Mauro de Vasconcelos
.
♪: Leãozinho - Caetano Veloso

publicado por eva às 13:17

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sexta-feira, 9 de Fevereiro de 2007

Dedicação

9 de fevereiro de 2007

Uma escola nova, com pavilhões ainda a estrear e outros ainda não construídos. Professores e alunos já por todo o lado.
Empregados em tarefas várias e ocupadíssimos de um lado para o outro.
Enfim, movimento "vivo" por todos o lado.
A vivacidade de uma escola de gente pequena, com toda a sua alegria em expansão.
Projectos e ideias mais ou menos brilhantes.
Imaginação e motivação não faltam.
Parece uma constante em tudo o que é novo ou que se pretende renovar e actualizar, estes modos vibrantes de ser e estar.
Esta dinâmica de extra-horário para bem trabalhar é o fluir de uma dedicação carinhosa em tudo o que se empreende.
A vontade e a dedicação dão novas forças à luta do dia-a-dia.
Novos rumos à nossa vida e aos nossos horários.
Todos gostamos de trabalhar bem, de nos dedicarmos a empreitadas e causas que traduzam as nossas expectativas, quantas vezes mais em favor dos outros que de nós mesmos.
É importante não perder nunca esse fôlego, porque há sempre alguém que precisa de nós assim.

publicado por eva às 22:23

link do post | comentar | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds