Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. O ritmo de vida

. Uns, outros e os demais

. Na pressa do dia-a-dia

. Devemos olhar por nós

. Adeus porquê?

. Vivendo o dia-a-dia

. E vale a pena?

. O que importa

. Um dia...

. Sonhos

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Terça-feira, 20 de Dezembro de 2011

O ritmo de vida

orvelinho, turbo

É o ritmo de vida dalguns

Calma, ralenti

É o ritmo de vida doutros

A melodia de vida

Onde está?

Procura-se…

E deve ser valiosa

Pois não se encontra por aí…

Vamos andando sem saber como

Vamos suportando e gozando

Sem saber bem o quê

Vamos rolando dia-a-dia

Na inquietude

De não conseguir fazer

Na quietude

De deixar andar

Na certeza

De que ter não é ser.


publicado por eva às 18:35

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 7 de Novembro de 2011

Uns, outros e os demais

ns sentem-se desprezados da sorte.

Dos amigos, familiares, colegas.

De namoros e filhos.

De trabalho, promoções e dinheiros.

Outros sentem-se afortunados e consideram tudo merecido.

Outros mais, pensam em si e nos outros todos que vão encontrando.

Compreensão e compaixão podem alterar o modo de ver a vida.

Caridade pode prover ao dia-a-dia.

Em tudo há diversos modos de ver e viver.

Ou de não a observar…

A cada um a sua evolução e entendimento, menos ou mais alargado.

A cada um o seu mundo…


publicado por eva às 00:35

link do post | comentar | favorito

Domingo, 6 de Novembro de 2011

Na pressa do dia-a-dia

a pressa do dia-a-dia

Esquecemo-nos de nós

De quem somos

De onde viemos e para quê

Na pressa do dia-a-dia

Esquecemo-nos de nós

Do que gostaríamos de ser

Em vez de ter

Na pressa do dia-a-dia

Esquecemo-nos de nós

E não estamos verdadeiramente

Nem aqui nem ali

Corremos entre um ponto e outro

Na pressa do dia-a-dia

Esquecemo-nos de nós

Precipitadamente vamos

Cansados voltamos

Na pressa do dia-a-dia

Esquecemo-nos de nós

Da serenidade e silêncio

Em nós.


publicado por eva às 22:26

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Terça-feira, 22 de Fevereiro de 2011

Devemos olhar por nós

cusamos a recepção de… Acusamos que…

Defendemos os direitos de… defendemos quem…

Eis a dicotomia com que lidamos dia a dia. Falha aqui o sentido de unidade. Falha a noção de que não temos, nem sequer devemos, acusar nada.

Basta que defendamos e percebamos o que consideramos certo, correcto, digno de atenção.

A partir daí o caminho clareia, a estrada torna-se firme e não precisamos distinguir nos outros, mas em nós, o que queremos ser, o que desejamos seguir.

Os quereres e os desejos devem iluminar o ser, não acabrunhá-lo e ainda menos aprisioná-lo, seja por princípios, seja por fins ou objectivos, por melhores que sejam ou o pareçam.

Devemos olhar por nós, não exactamente para nós ou para o nosso umbigo, mas por nós e nossas vidas.

Observarmo-nos de um ponto de vista eterno e observar com a maior clareza que nos for possível o que somos agora, o que queremos alterar nesse presente de nós e ainda hoje começar essa alteração.

Podemos sempre aprender a melhorar-nos, auto-melhorar-nos, porque ninguém poderá fazer esse nosso trabalho que é intrínseco e intransmissível.

O resto… serão sempre restos de algo…


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

Adeus porquê?

deus porquê? Se tudo é eterno, tudo é possível acontecer…

Tudo pode suceder em cada dia nosso, até o inimaginável, o incrível…

Porquê? Porque não está totalmente na nossa mão, porque não temos o controlo de nada do que julgamos ter. Porque não somos nada do que julgamos ser.

Porque o nosso tudo é simplesmente… quase nada do que gostaríamos que fosse, do que imaginamos que seja.

E imaginamos muito?

Imaginamos, pensamos e fazemos muito, muitíssimo!

Para validarmo-nos apenas temos que pensar e agir com a melhor e a mais sublime das intenções.

O resto vem com o tempo justo de chegar para acontecer.

E a paz chega com os deveres cumpridos.

 


publicado por eva às 00:38

link do post | comentar | favorito

Domingo, 3 de Outubro de 2010

Vivendo o dia-a-dia

  

- s vezes sinto-me no paraíso, tão descansado e calmo, como se tivesse o mundo nas mãos e não precisasse lutar por nada. Como se tudo já estivesse feito e apenas fosse necessário que eu tivesse a descontracção de gozar a vida.

- E por que não fazes isso no teu dia-a-dia?

- Porque é preciso ir para o trabalho, levar os miúdos à escola, comprar as coisas necessárias para cada um, etc. e tal.

- Mas pode fazer-se isso tudo de modo mais alterado ou mais calmo, com mais concentração ou descontracção…

- Com o tempo a fugir das mãos e o trânsito apertando as tarefas?

- Pois, reconheço que não é fácil. Mas talvez possas espaçar tudo mais um pouco de modo a respeitar o teu próprio ritmo.

- Sim, sim, já tentei isso tudo, mas os miúdos têm outra energia, o trabalho precisa ser despachado com datas acordadas, e tudo se vai atrasando por isto ou por aquilo…

- Tenta sempre ir encontrando soluções para viveres o dia-a-dia em paraíso, porque tal não depende do pouco ou muito que tens que fazer, mas do modo como te vais comportando ao fazer as coisas.

- Certo, mas a pressão é muito grande.

- Chega um dia em que tens que descongestionar à força e talvez seja preferível fazê-lo por decisão própria, calmamente, em antecipação.

- Posso nunca mudar!

- Oh! Ninguém é de pedra nem assim resistente. Pelo menos respira fundo durante, no intervalo e no fim das tarefas. Já será alguma coisa se oxigenares os pulmões e o corpo.

- Oh! Eu fumo, ou pensavas que se aguentava o ritmo que tenho sem a ajuda de um viciozito.

- …

 


publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 21 de Setembro de 2010

E vale a pena?

s vezes fazemos pouco e conseguimos resultados belíssimos, outras vezes esforçamo-nos a ponto de nem comer em horário razoável para ter um trabalho pronto a tempo e horas  e… ninguém o percebe ou não é valorizado como gostaríamos em virtude de todo o gosto e empenho que ele deveria traduzir.

Então… como se deve trabalhar?

- Sempre o melhor possível, com o melhor de nós. O trabalho, o estudo que ele engloba em prol de um assunto, ou de uma situação específica, é o nosso espelho nos ideais que traduz, é a nossa satisfação.

- Mas a desilusão, se não corre bem, pode ser tão pesada!

- Pois sim, mas não fazer o melhor possível traz uma desilusão maior, a de nós próprios em nós, sobretudo se percebermos que perdemos uma ocasião de melhorar de vida apenas por não querer tanto trabalho. Porque o trabalho dá trabalho! – daí o significado do nome trabalho e não outro.

- Mas cansa!

- Ora, se é feito com dedicação pode dar muito gosto e transformar-se numa obra de arte do pequeno-grande artista que podemos ser. Isso não quer dizer deixar as rotinas que tanto gostamos no dia-a-dia.

- E vale a pena?

- Se vale a pena espelhar em algo os nossos bons gostos, boas opiniões, cogitações e a nossa boa vontade sobre determinados assuntos ou tarefas? – Ohhh! Vale! É sempre uma extensão de nós, mesmo que depois seja embargado, ou seja tomado por outro na autoria… há uma verdade superior que tudo ultrapassa.


publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 31 de Maio de 2010

O que importa

 incrível o tempo que se perde em conjunturas, que podem ser tão malucas como completamente inverosímeis.

- Não é a mesma coisa?

- Podem ser juízos loucos porque são uma alteração do que é costume, ou da realidade habitual. Inverosímeis serão aqueles juízos que não poderiam ser realidade, nem têm probabilidades disso, são considerados inverdades

- Às vezes não se dá grande atenção às palavras…

- Queres dizer à comunicação em geral… Pois, pois… Isso parece ser uma realidade para a maior parte das pessoas, talvez seja da pressa com que se vive… De qualquer modo, o que importa é cada um desmistificar o que interpreta tentando sempre apontar para a realidade do dia-a-dia. Porque a mente pode distorcer e mal-interpretar o que se vê e ouve.

- Convém manter a objectividade das coisas e em nós.

- Exactamente, porque o resultado é uma maior simplicidade de vida no dia-a-dia e, então, tudo se pode tornar mais fácil.

- Até porque todos temos razões para o que fazemos…

- Pois, e na maioria das vezes constrangemo-nos com atitudes não são propriamente ataques à nossa pessoa, são sim a nossa interpretação e a que os nossos melindres dão aos acontecimentos.

- Melindres ou medos?

- E orgulho disfarçado também. Todos pensamos e gostaríamos de ser melhor do que somos. Mas com paciência e abnegação pela nossa personalidade mais íntima todos podemos ser o que desejamos ser a partir do momento em que enfrentamos, com franqueza e humildade, o que somos verdadeiramente.

- Projectar-nos melhor para conseguir chegar a ser melhor!

- Tal e qual!

 


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 7 de Outubro de 2008

Um dia...

Baladas de embalar o sono. São geralmente destinadas para os bebés.
São também músicas suaves e lindíssimas que se poderiam ouvir a qualquer hora pelos adultos.
Músicas que dispõem bem e fazem esquecer, por momentos, o ritmo do dia-a-dia.
Fica no ar a reminiscência de bebés na casa, e completamente esquecidas ficam as birras e outros extras menos agradáveis que acompanham a evolução dos bebés.
As boas recordações devem perdurar e superar as outras, menos ditosas.
As coisas boas deixam no ar estrelinhas brilhantes que anjos amparam com as mãos, em movimentos cheios de graça e delicadeza.
Anjos passam e trazem muitas cores em tons suaves – rosa, branco, bege, azul, verde…
Um dia também nós seremos anjos. Anjos de bondade infinita. Anjos de perdão infinito.

.
.
.

Fotograma de Wings of Desire
Imagem retirada da net


.

Disse  Richard Bach:  Eis um teste para saberes se terminaste a tua missão na Terra: se estás vivo, não a terminaste !
.
.


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 17 de Abril de 2007

Sonhos

17 de abril de 2007

Sonhos e as imagens que os caracterizam, ora nítidas ora confusas e rápidas.
Imagens coloridas ou a preto e branco, muitas entrelaçadas em recordações, sem nenhuma relação aparente entre elas.
Uma confusão ao acordar, que talvez esteja na origem de uma preguiça tola em levantar da cama e começar o dia.
Vale a música do despertador e o sinal horário que vem nos minutos seguintes.
E pronto! Lá vem a corrida matinal em contra-relógio.
Durante o trajecto para o trabalho há oportunidade de voltar aos pensamentos, neste caso aos sonhos.
Entravam imagens de consultórios médicos e de médicos. Pelo meio, recordações da família e dos encontros de família.
Uma baralhada destes temas, com passeios, compras e, de repente, um branco total de todos estes pensamentos.
Não faço ideia do que estou a pensar agora mesmo. E pior, voltou o sono.
Ouço música ao longe e, no baloiçar do transporte, acho que este sono se vai tornar irresistível.
Por vezes, os sonhos são estranhos.
Sobretudo quando parece mesmo que estamos lá - no sonho -  de um modo tão vivo.
- Francamente, tem de controlar isso! Ficou outra vez a dormir no fim da linha e já vamos de volta. Então hoje não vai trabalhar?

publicado por eva às 09:51

link do post | comentar | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds