Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Dito assim soa esquisito

. Viagens mentais

. Somos, existimos, vamos

. Campos floridos

. Templos, casas

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2013

Dito assim soa esquisito

- ois digo-te que era um despenhadeiro muito, muito alto e bravio de passar.

- E como o passaste tu?

- Dificilmente e mal, porque caí desamparado algumas vezes, mas entre as quedas e o caminhando ou deslizando lá cheguei ao fundo. Parecia uma enseada de areia, mas não tinha água nenhuma.

- Mas donde vieste tu para chegar ali?

- Olha que nem sei bem. Sei que entrámos numa gruta, entre montanhas e rochas e fomos andando e atravessando o que pareciam ser secções…

- Secções?

- Pois, dito assim soa esquisito mas era isso que parecia.

- E eram muitos os que estavam ali?

- Oh, sim! Tudo estava completamente cheio e a abarrotar de entes que se atropelavam para passar ou chegar à margem.

- Mas afinal atravessaste um rio? Se dizes margem…

- Nada, não, pois já não te disse que não havia água em lado algum!

- Não entendo nada!

- Pois digo-te que no fim os tais da enseada-clareira entraram para balões que ali pousaram e seguiram neles para o alto do despenhadeiro e dali para longe voando nos céus.

- Então e os outros todos?

- Quais?

- Os das grutas, que sei lá eu?

- Não sei bem, porque muitos deles apareceram no cimo do despenhadeiro, à saída das grutas, e ficaram a observar o que acontecia lá em baixo com os outros e os balões.

- Então e tu?

- Eu voei para casa e estou aqui a contar-te tudo, ora!



publicado por eva às 00:13

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2013

Viagens mentais

- abes lá onde fui ontem…

- ‘Tou desejosa de saber!

- Dei a volta às ilhas todas, vi-as de cima e até do fundo do mar.

- Como foi isso tudo? Num só dia?

- Sim, sim. Claro que foi num só dia.

- Mas… alugaste o quê? Ou foste com um grupo e não disseste nada aos amigos – surpresa das surpresas, hein?!

- Pois não!

- Hã?

- Quero dizer que não aluguei nada, mas lembro que fui com mais gente… acho que sim… pois foi!

- Agora não entendo eu! Então não sabes se foste com um grupo ou sozinho? Digo eu sozinho de amigos, pois que em grupo é sempre que se vai. Senão fica caríssimo, ou não é?!

- Sim, sim. Acho que sim.

- Mas… estamos a falar de quê, afinal?

- Das minhas viagens, ora!

- Exatamente! E já agora, voltas sempre assim esquecido?

- Pois, pois sim. Mal lembro, mas o que lembro gosto muito!

- E que viagens são essas, então?

- São mentais! Uns chamam-lhe desdobramentos outros dizem que não é bem o mesmo. Olha, sei lá!

- Olha, agora! Quem não sabe nada disso sou eu, sou!



publicado por eva às 00:37

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 31 de Outubro de 2011

Somos, existimos, vamos

omos, existimos, vamos

Para onde nos queremos dirigir

Para onde intuímos

Para o que nos apetece e desejamos

Somos, existimos, vamos

Fazemos o que queremos

Ou o que outros querem

Ou o que mais convém

A nós mesmos e a outros

Talvez…

Somos, existimos, vamos

Conforme nos dedicamos

A tarefas úteis e visíveis

Úteis e invisíveis

Somos, existimos, vamos

De mundo em mundos

De sonho em desdobramentos

Somos, existimos, vamos

Devagar ou mais célere

Para o Bem Maior e Absoluto

Somos, existimos e vamos.


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 3 de Janeiro de 2011

Campos floridos

o que se vê daqui – campos floridos!

Flores e flores atapetando tudo até ao horizonte que a vista alcança.

E depois o céu azul, muito azul e de um azul celeste.

De vez em quando ouvem-se sons mas são indistintos e ora parecem falas de gente, ora parecem música, ora parecem sons da natureza e todos reflectem harmonia com a paisagem que se avista. E…

- Mas, afinal onde estás?

- Estou aqui!

- Aqui, onde?

- Aqui, ora! Bem, deixa-me dizer… encontro-me junto a um rio de água transparente, tão límpida que se vê o fundo perfeitamente. Vou indo junto da margem e chego a outra planície, com árvores e montanhas mais além. Gosto disto, e vê lá tu que estão ali pessoas e parte deles eu conheço, outros não. Não percebo o que fazem, parecem muito ocupados…

- Mas onde estás tu vendo isso?

- Já te disse, aqui mesmo.

- Onde? Se estou ao teu lado e estás quieto de olhos fechados a falar alto…

- Está tudo dentro de mim mas não sei explicar onde, que queres que te diga? é assim!

- Não me faças perder tempo que isso são sonhos, fantasias tuas, etc.

- Não são nada, e são eles que me estão a dizer isso agora, agorinha mesmo. Porque não acreditas em mim?

- Porque não sou assim!



publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 4 de Março de 2010

Templos, casas

emplos, casas. Afinal, uma simples casa pode ser um templo se considerarmos este um lugar de elevação espiritual, um lugar de bons sentimentos, de silêncio para descansar a mente, da consciência de si.

Um templo não será, como alguns crêem, um lugar de arquitectura luxuosa, de pinturas e arte a condizer com adoração.
Um templo é também o nosso íntimo se lhe dermos a oportunidade de sê-lo.
É a paz e o silêncio em nós.
É saber calar e saber falar no momento apropriado, com as palavras e os gestos certos. Certos ou acertados com o compasso do tempo em que nos movemos nessa altura.
- Então o tempo não é para todos igual?
- Igual?
- Igual ao que marcam os relógios, salvaguardando as diferenças horárias de que já vamos tendo conhecimento.
- Pois não, o tempo não é igual para todos, nem para todas as tarefas que temos que fazer, nem sequer para o sentir de todos os sentimentos e discernimentos que temos em relação às situações. Por simples comparação, podemos considerar que vivemos em vários planos paralelos ou várias vidas em simultâneo.
- Entre o que somos e o que sonhamos?
- Entre o que somos numa realidade infinita das várias realidades, ou desdobramentos finitos. Somos um mundo de possibilidades que incluem a vida na vertente em que a conhecemos e em que damos o nosso melhor a cada dia.
- É isso que nos compete, não é?
- Compete-nos ser sempre o melhor de nós a todos os instantes. Mas, às vezes, temos que parar um pouquinho para juntar as forças que necessitamos para prosseguir. E continuar, continuar sempre e sempre em frente.
- Mas à frente só vejo o Sol.
- Á frente, mais perto ou mais longe, está sempre uma luz que irradia como um Sol.
 

publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds