Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escritos de Eva

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

Escritos de Eva

02
Dez10

Nós e os outros

eva

stamos de regresso! Onde? Aqui mesmo, não percebes? Ah! percebes mas não queres. Paciência!

O quê? Fugiu, foi embora? Como isso é possível?

Ah, eu afinal é que não percebi?!

Mas não percebi o quê?

O quê?! Não posso tratar os outros tão-somente como quero? Essa é boa!

O quê?! Cada um só recebe em conformidade com o seu adiantamento e não conforme eu quero?

Não sei o que é isso, só sei o que faço e vejo os resultados.

Ah, não? Nem todos os resultados são visíveis e o outro pode estar ali mas não estar verdadeiramente?

E como é isso? Hã, como todos os santos?

Apenas se sente o sofrimento que se pode e deve sentir por karma e não por minha vontade e capricho, mesmo que aparentemente tal me pareça?

E como é isso? Hã, outra vez, como todos os santos?

Mas afinal, neste jogo novo, quem engana quem? Ninguém? A Ignorância é que joga?

E essa… quem é, então?

 

30
Set10

Causa e efeito

eva

- Rezas tanto porquê? Pareces uma freira!

- Rezo porque não sei que mais fazer em relação a determinadas situações, aquelas que não faço a mínima ideia como solucionar.

- Porque não estudas essas situações como se quisesses fazer um relatório e preconizas as soluções, como fazes tantas vezes?

- Porque são casos muito especiais em que a solução não está à vista.

- Continuo a pensar que será apenas uma questão de boa, ou melhor, análise das questões.

- Há situações em que isso não se aplica.

- Como por exemplo?

- Por exemplo as situações de doença grave, desavenças, vícios, dívidas, etc.

- Como vês, são questões para serem estudadas cuidadosamente, apenas isso.

- Crês que tudo o que existe é construído pelo homem? Esse ser que faz guerras a hora marcada com reportagem dos media? Esse ser que experimenta remédios e vacinas em…? Esse ser que retalha outros semelhantes para receber fortunas pelos órgãos que não lhe pertencem? Esse ser que rapta e martiriza por… nem sei bem o quê? Crês tu que ele seria capaz de criar um Universo, ou este planeta que apenas começamos a conhecer?

- Pois aí não vejo nada de superior, não! Aí vejo simplesmente a mão de um punhado de homens.

- Mas outros haverá capazes de coisas magníficas!?

- Então não! Que dizer dos que perdem sono e refeições para descobrir curas para outros que nem conhecem ou para arranjar estratégias políticas e sociais que facilitem a vida a milhares desconhecidos, etc.

- Então?

- Então nenhum destes grupos tem capacidade para criar o Universo nem manter as leis cósmicas que o regem, que nos regem sem excepções de ricos ou pobres, mais bonitos ou feios, mais desprotegidos ou fortes. Leis a que todos obedecemos e que nos são superiores.

- Como por exemplo?

- Leis de causa e efeito. Vê a situação ambiental – que fez o homem à natureza e que sofre agora? Tudo tem um equilíbrio próprio que não deve ser alterado em detrimento das forças reequilibradoras, tão mais fortes conforme o desequilíbrio.

- Então o que é mau é do homem e o que é bom é divino?

- É o que dizem as escrituras, não é? No princípio tínhamos um paraíso que defraudámos e agora temos este mundo para sobreviver. Mas acredito que haja outras paragens mais ditosas que isto e, porventura, outras tantas mais infelizes. Por isso rezo, rezo sim! Rezo a essa força superior que simboliza Amor, Paz, Benevolência e é a minha humilde esperança e fé que tudo pode melhorar milagrosamente de um instante ao outro.

- Não fazes por menos?

- Não!

 

30
Jul07

Causa e consequência

eva
30 de julho de 2007

Prédios muito altos, ainda mal iluminados pelo sol que vai nascer.
Toda uma cidade ainda às escuras, com algum movimento típico das madrugadas e o sossego igualmente típico das madrugadas.
O avião vai baixando de altitude e passa rasando os telhados para aterrar com facilidade, apesar do aeroporto ser pequeno.
O pessoal em idade activa de trabalho começa as suas rotinas, em casa abrindo e fechando as janelas, nas ruas a caminho dos empregos.
Também muitos outros chegam agora a casa, cansados dos turnos da noite e desejosos de um ambiente bom para dormir.
Sobretudo nos hospitais o ritmo é acelerado, todas as noites. E todos já contam com isso.
Neste vaivém, no corre-corre casa-emprego-escola dos filhos-casa, esquematizam-se as vidas, repetidamente, durante anos e décadas.
Todos estes afazeres deixam as suas marcas na tela do espaço e do tempo das nossas vidas.
A maior parte de nós não compreende a importância que tem para o nosso futuro a correcção dos nossos pensamentos, palavras e atitudes.
São autênticas gravações em pedra, registos da nossa vida, das opções que tomámos por nós e pelos outros.
Somos causa e consequência de nós mesmos, assim como o sol que vai nascendo e que vai iluminar, cada vez melhor, o que estava na escuridão.
Bendita a luz que nos ilumina!
............................................
28
Abr07

A qualidade da acção

eva
28 de abril de 2007

Abrem-se os portões e vê-se um jardim até ao horizonte, c
heio de flores sob um céu bem claro e de sol radioso.
Parece impossível tanta beleza, paz e luz.
Noutro lado estão a trabalhar, mas estão todos preocupados porque o trabalho, que já foi muito e estava bom, não consegue ser acabado.
Não há meio de conseguirem fazer o final, que é conseguir informar o público da sua existência e das suas conclusões.
Todos os trabalhos de investigação que chegam à parte das conclusões e, finalmente, à de poderem ser utilizados, acabam por não se tornar tão úteis quanto poderiam se não forem conhecidos do público.
Muito acima do nível destes trabalhos está o tal jardim e por lá se observa e analisa tudo o que acontece.
Diz-se que há um tempo, ou momento, certo e justo para cada coisa.

Isto porque tudo está em relação com tudo e todos.
É como os puzzles: as peças têm que se encaixar para formar a figura.
Assim acontece com todas as coisas.

Tudo tem uma causa e cada causa, uma consequência.
Por vezes temos que partir da análise da consequência para encontrar a causa e ajustar melhor uma com a outra.
São os pormenores que ajustam a qualidade de qualquer acção.
E o ajuste dos pormenores às grandes obras faz a diferença entre serem consideradas uma obra ou um monumento.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema

ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2006
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D