Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Somos, Existimos

. Silêncios

. Ser feliz

. Perspectiva de vida

. Brilho de luz

. Cansaços

. Direito à felicidade

. Templos, casas

. Emoções fortes

. Ai amor, amores

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Domingo, 4 de Dezembro de 2011

Somos, Existimos

entro de nós

 No nosso íntimo

Somos

Existimos

Fazemos face

 A todas as intempéries

A todas as vicissitudes

A todas as opiniões.

Conhecendo-nos

Somos tudo

O que precisamos ser

Para sermos

Correctamente

O eu digno de nós

Agora.


publicado por eva às 20:46

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 1 de Abril de 2011

Silêncios

- spero por ti à hora do costume e dás-me boleia, pode ser?

- Está bem, até logo.

- ….

- Não dizes nada?

- Estou em silêncio.

- Isso já percebi, mas não sei porquê.

- Porque não tenho nada útil para dizer.

- Ora aí está uma boa razão!

- …

- Bem, então falo eu, porque este silêncio não é suportável. Deve ser o tal som do silêncio. O silêncio faz pensar alto, não faz? Parece que atrai o nosso íntimo cá para fora. O problema é que depois não sei o que fazer com ele.

- Com ele?

- Com o meu íntimo à vista.

- Que tal olhares bem para ele ou, melhor dizendo, para ti mesmo e tratares de ti trabalhando, equacionando e amando o melhor de ti em ti.

- Olha, volta a ficar calado!

- Fazemos a viagem em silêncio, então!

- Fazemos! Desta vez, pelo menos.

 


publicado por eva às 00:30

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 13 de Setembro de 2010

Ser feliz

ue diferença entre o que apetece fazer e o que não se consegue realizar!

Que diferença entre o que deveria fazer-se e também não se consegue executar!

O calor, o cansaço, o descaso com a vida transporta o desinteresse e a incapacidade, seja relativa ou real.

A cabeça, a mente, transfere, transforma as realidades que vamos vivendo e tanto podemos ver problemas onde não há sequer indícios para qualquer situação, como podemos ver céu claro e luz no meio da maior escuridão.

Geralmente sucede ao contrário, ou seja, onde não há dificuldades criamos umas quantas e, onde há verdadeiros obstáculos a ultrapassar, encontra-se uma vontade férrea e os resultados são até fantásticos perante as adversidades.

A nossa mente é um mundo inteirinho para cada um descobrir em si mesmo.

Os seus subterfúgios, meandros, qualidades e capacidades, estão ali prontas para serem estudadas e conseguir a protecção do eu.

Referimo-nos à consciencialização das capacidades individuais na progressão de uma mente equilibrada e, logo, um ser feliz.

- Isso quer dizer que a felicidade é interior?

- A felicidade depende do estofo íntimo que soubermos construir em nós mesmos.

- Por isso há quem tenha tudo para ser feliz e não consegue? E, vice-versa, há quem tenha uma vida miserável e cheia de vicissitudes e tenha sempre um sorriso calmo, nos lábios como no olhar?

- Há sempre diversos factores a ter em consideração e com importâncias relativas a cada momento e é o equilíbrio íntimo que nos dá esse tal sorriso que ilumina o próprio ser e tudo em redor.

 


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sexta-feira, 11 de Junho de 2010

Perspectiva de vida

que se perde já só se pode recuperar. Em contrapartida, o que temos poderemos perder a qualquer momento.

Porque tudo é relativo e, afinal, nada perdura a não ser os sentimentos e os pensamentos. Esses, convém sejam o mais positivos e firmes em esperança que nos for possível.

Porque alteramos as nossas vidas, pela negativa ou pela positiva, conforme o teor dos nossos pensamentos e sentimentos.

Eles são como uma mola que nos impulsiona e, por isso, há que ter muito – oh, muito! – cuidado com aquilo que somos no íntimo; o modo como enquadramos, e até engendramos, a nossa perspectiva de vida.

A vida é o resultado do que pensamos dela e de todos os que vamos encontrando.

Pensar bem é pensar correctamente, no sentido de correcção de sentimentos por nós, pela construção e afirmação do nosso ser e pela projecção que constantemente fazemos de nós sobre tudo o que nos rodeia, seja Natureza sejam outros seres.

E, quer tudo isto seja inadvertido, ou advertido por nós, as trocas de energias são constantes e actuam em bumerangue.

Pensemos bem, sintamo-nos bem connosco e com o mundo.

Até amanhã!

- Até pró ano!!! Hoje acabam as aulas, prof!! Então esse pensamento positivo? Vamos à praia logo à tarde!!

- Mas, está nevoeiro!?!

- Se pensarmos conforme sentimos, logo brilhará o Sol e então confirmamos a sua teoria…

 


publicado por eva às 00:33

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Quinta-feira, 13 de Maio de 2010

Brilho de luz

la tem uma cabeleira linda! Linda e suave… tão suave!

Deve ser do bom trato, dos cremes e tal…

O cuidado que temos com o nosso corpo e as nossas coisas fazem com que se ganhe um novo brilho.

Brilho do belo, de doçura, de simplicidade.

É um brilho que surge do interior das coisas, até das que chamamos inanimadas.

Há um brilho de luz em tudo, mas às vezes é preciso limpar bem, esfregar mesmo, para que ele apareça à superfície e todos o possam ver.

Ver e verificar que existe e que, afinal, sempre existiu.

Mas os olhares mais despreocupados, ou menos atentos, nunca repararam nele.

Esses nem reparam no que está mesmo à frente, quanto mais no que clama por sensibilidade e um pouco de atenção.

O íntimo de cada um clama também por atenção, uma atenção cuidada e carinhosa.

O cuidado que vai fazer não só o dito brilho surgir como irradiar-se em todo o seu redor.

Iluminando até o que não sabe que a luz existe e que também tem luz, que poderá resplandecer se quiser cuidá-la com amor.

 


publicado por eva às 00:35

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 12 de Abril de 2010

Cansaços

ias de afazeres e noites de sono e relaxe – isto é assim para a maioria das pessoas, mas também há os que fazem turnos de trabalho que contrariam as rotinas instaladas.

- Ihh! Que soneira. Há tempo que não sonhava tanto nem dormia tanto; a bem ver, é mais isso…

- Às vezes o sono é mais que o cansaço e por isso traz mais canseira ainda. Devemos dormir o tempo necessário para o refazer da vida diária, geralmente uma média de 4-5 horas.

- Ora, eu durmo muito mais que isso, perto de 8 horas e, visivelmente, não chega porque ando a cafés para fazer o dia até ao fim.

- Isso é porque a causa do cansaço e do torpor mental é outra que não o sono, ou a falta deste.

- Ou seja?

- Pode ser cansaço de estar a fazer o que não se quer, em virtude de contrariar a personalidade mais íntima. Ou pode ser porque os afazeres nos transportam para longe de quem se quer estar, etc.

- Ou seja, posso estar a trabalhar contrariado. Mas isso não é todo e qualquer trabalho? Trabalho é trabalho, cognac é cognac!

- Nem por isso, o trabalho vivifica, obriga a sair da inércia de modo construtivo, transfere pensamentos malsãos e ociosos em pensamentos construtivos para o próprio e para todos aqueles que se relacionam com o trabalho que se está a fazer, mais aqueles para quem esse trabalho será útil.

- Então, trabalho é tão útil para quem trabalha como para quem vai, um dia, usufruir desse trabalho, independentemente das condições de trabalho ou do ordenado que se possa ter?

- Bem, exploração esclavagista não é propriamente útil para a saúde do próprio e, hoje em dia, é incalculável o número de escravos, principalmente crianças e mulheres, que existem, conhecida e oficiosamente um pouco por todo o lado. Mas, aqui, falávamos de trabalho e trabalhadores em condições normais de trabalho…

 


publicado por eva às 00:33

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 2 de Abril de 2010

Direito à felicidade

á quem viaje constantemente. Há quem fique parado porque assim o quer, ou porque não sabe para onde ir.

Há quem não queira nada e há quem queira tudo – o que pode e o que os outros podem.

Tantas diferenças e similaridades.

Tanto que haveria para dizer e tanto que se cala, bem no íntimo de nós.

Quando se consegue calar com força os sentires mais fortes, até nos esquecemos como se fala, ou esquecemos de nós mesmos enquanto seres com vida e existência.

Porque todos os seres que existem têm direito à felicidade.

À felicidade de evolução de si mesmos e em si próprios.

Uma indica o progresso de si em relação aos outros ou ao exterior. A outra implica o progresso interior, com a influência do exterior, mais ou menos sentida.

Progresso implica movimento em frente. Porém, esse movimento é tanto mais firme quanto natural e imperceptível. É um mover movendo

Por isso, também, mal se entende e por vezes sobrevém o desespero, ou desilusão e amargura de não passar do mesmo, apesar dos esforços.

Devemos encontrar a calma e a paciência necessárias para continuar avançando, sem travagens desnecessárias e que podem interromper um bom ritmo progressista.

 


publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 4 de Março de 2010

Templos, casas

emplos, casas. Afinal, uma simples casa pode ser um templo se considerarmos este um lugar de elevação espiritual, um lugar de bons sentimentos, de silêncio para descansar a mente, da consciência de si.

Um templo não será, como alguns crêem, um lugar de arquitectura luxuosa, de pinturas e arte a condizer com adoração.
Um templo é também o nosso íntimo se lhe dermos a oportunidade de sê-lo.
É a paz e o silêncio em nós.
É saber calar e saber falar no momento apropriado, com as palavras e os gestos certos. Certos ou acertados com o compasso do tempo em que nos movemos nessa altura.
- Então o tempo não é para todos igual?
- Igual?
- Igual ao que marcam os relógios, salvaguardando as diferenças horárias de que já vamos tendo conhecimento.
- Pois não, o tempo não é igual para todos, nem para todas as tarefas que temos que fazer, nem sequer para o sentir de todos os sentimentos e discernimentos que temos em relação às situações. Por simples comparação, podemos considerar que vivemos em vários planos paralelos ou várias vidas em simultâneo.
- Entre o que somos e o que sonhamos?
- Entre o que somos numa realidade infinita das várias realidades, ou desdobramentos finitos. Somos um mundo de possibilidades que incluem a vida na vertente em que a conhecemos e em que damos o nosso melhor a cada dia.
- É isso que nos compete, não é?
- Compete-nos ser sempre o melhor de nós a todos os instantes. Mas, às vezes, temos que parar um pouquinho para juntar as forças que necessitamos para prosseguir. E continuar, continuar sempre e sempre em frente.
- Mas à frente só vejo o Sol.
- Á frente, mais perto ou mais longe, está sempre uma luz que irradia como um Sol.
 

publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2010

Emoções fortes

or emoções fortes, sejam elas negativas ou positivas, ódio ou amizade, raiva ou paciência, etc., somos capazes de transformar o nosso ser, o que nós somos no quotidiano das nossas vidas, de modo algo desconhecido da maioria.

Assim nos constrangemos e mortificamos, nos regozijamos e esperançamos apenas por nós, por nós e por outrem, ou pela globalidade de todos os seres vivos.
Assim, refazemos constantemente os valores da nossa personalidade flutuante, digamos assim, e na medida que vai fixando novos valores, por repetição ou constância de novos sentimentos, vai também exercendo a sua influência na personalidade-base que todos trazemos viva connosco.
Pela positiva poderíamos alcançar a paz em nós, poderíamos viver melhor, melhorar outros e deixar viver…
Sabemos que ao gostarmos de alguém até seus pensamentos adivinhamos e nosso ser se amplia.
Podemos ampliar também, por exercício da vontade, o nosso amor por todos os seres, pelo todo em que nos movemos e existimos.
Podemos deixar que a sensação de paz e bem-estar íntimo nos impregnem suavemente...
 

publicado por eva às 00:38

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2010

Ai amor, amores

- ntão esses amores?

- Quais?! Passados, tudo do passado!
- Então e para quando esse amadurecimento?
- Ora, para quando algum deles aguentar o embalo dos meses e anos…
- E nessa altura acreditas que tal está a acontecer contigo, ou ainda vais duvidar?
- Sei lá! Cada uma é pior que a outra…
- Não há seres perfeitos, apenas uns mais amorosos e compreensivos que outros.
- E isso porque…?
- Porque é uma felicidade quando se encontram personalidades semelhantes e que se completam, sem necessidade de grandes ajustes.
- Pois, ainda não encontrei!
- Talvez, é verdade que se percebe quando se encontra um bom parceiro(a).
- Toda a gente diz isso!
- Há um não sei quê que grava essa mensagem no nosso íntimo. E o mais curioso é que isso acontece por vezes com quem conhecemos de longa data e nunca demos importância especial.
- Como nós?
- Bem… não gosto dessa tua inconstância, era incapaz de sobreviver a esse vaivém.
- Nem pensar!
- Bem…
- Quando deixo, afasto-me mesmo!
- Bem me parecia que era pior que eu pensava. Adeus, boa sorte para mim!
- Hã?
- Bem… e para ti também.
 

publicado por eva às 00:30

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds