Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Regresso, retorno

. A liberdade não tem preço...

. Há lugar para todos

. Cuidar é acarinhar

. Humildade é saber que…

. Simplicidade

. Mover montanhas

. Âncoras

. Algures no tempo

. A força da fé

. Não dizem que tudo é poss...

. Viajar

. Tempos perfeitos

. Ambientes

. Mudanças relativas

. Há de tudo

. Vivências

. Somos

. Escolhas

. Antero de Quental # A ind...

. Asas

. Fernando Pessoa # Liberda...

. Agostinho da Silva # Feli...

. As Virtudes

. Um dia... Amanhã

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links


Domingo, 24 de Outubro de 2010

Não dizem que tudo é possível?

perdão é perdão para nós mesmos, é benevolência, é liberdade do nosso ser.

O perdão para os outros?

Mas é desse mesmo que falo, porque quando desculpamos, quando perdoamos, estamos a ceder piedade nossa e como aquilo que nos ofende é precisamente o que já fizemos aos outros noutras vidas, estamos a dar outra oportunidade a nós mesmos também.

Ou seja, podemos assim libertar-nos das ofensas que sofremos ao mesmo tempo que dos prejuízos que causámos a outrem.

E, se dúvidas houvesse, a paz e a leveza que sentimos ao perdoar são do sobredito uma prova.

Bem, até amanhã e este é o tema para desenvolvimento – o que é, para mim, o perdão a outrem.

- Achas bem?

- A parte da paz que se sente deve ser verdadeira, porque já a experimentei.

- Por esse prisma, o resto também pode ser verdade.

- Não dizem que tudo é possível, até o que nos parece impossível?!

- Até amanhã, eu fico por aqui.

 


publicado por eva às 00:32

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 14 de Setembro de 2010

Viajar

- ara que servem as viagens além de mostrarem, a todos, a situação financeira que a família vai gozando? Esta e outras perguntas tais apenas traduzem a insegurança de quem pergunta.

- Pois, quem está em paz consigo mesmo não precisa nada disto.

- E as viagens poderão ser simples possibilidades de encontrar novas culturas ao vivo, etc.

- Ou seja, tudo aquilo que nos prende a materialidades ou questões físicas estabelece exactamente um laço que agarra o ser e não lhe permite liberdade. A liberdade pura que os grandes místicos ensinaram e exemplificaram em vida.

- Essa liberdade permite ao indivíduo não ter medo do que seja mais temeroso, permite-lhe movimentar-se em qualquer ambiente sem constrangimento; antes, pelo contrário, é ele que influencia os meios onde se movimenta, acrescentando-lhes uma luz de clareza espiritual aos que ainda não a têm. Essa clareza é intrínseca e não necessita discursos para convencer ninguém.

- Num mundo de ritmos atribulados, como o actual, é fácil cairmos na confusão de ideias porque, não raro, achamos injustiças e corrupção um pouco por toda a parte.

- Mas não somos libertadores de nada a não ser de nós mesmos e com o nosso exemplo poderemos, então, ser mote de inspiração para quem seja atento.

- O trabalho principal de correcção está sempre primeiramente em nós mesmos. Quando adquirimos a nossa luz interior com determinada projecção será essa a luz que absorverá a escuridão em redor. Então, partilharemos o que temos e o que temos de melhor.

 


publicado por eva às 23:43

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 15 de Junho de 2010

Tempos perfeitos

empos perfeitos.

Tempos de alegrias, de partilha e felicidade.

Tempos de admirar o belo, saúde e independência de vida.

Tempos de admirar o que se tem, de amar o que a vida nos mostra.

Tempos de sonhar com asas e ir por esses céus afora, livremente!

Tempos para usar a vida, martirizada ou agradável, para obter liberdade.

Liberdade em outros modos de vida, em outros locais, em outros costumes e hábitos.

Liberdade de movimentos, liberdade em prol de bem-estar, bem-ficar, bem-mudar, bem-viver.

Liberdade entre o próprio e os outros, sem confusões nem sobrecargas.

Liberdades amenas e dignificantes.

Liberdade de si em melhorados princípios éticos.

 


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | favorito

Sábado, 24 de Abril de 2010

Ambientes

stamos na Primavera!

- E depois? Já viste o vento e a chuva que se faz sentir?

- Ohhh! E já viste os novos passaritos, as flores, o perfume cheio de variantes que se sente no ar?

- Não muito, não! Saio a correr e só volto de noite…

- E passas o dia…

- Encerrado num gabinete a trabalhar, sem janelas nem nada da natureza para admirar. Com os anos a passar em ambientes assim, acabamos por esquecer que existe um mundo inteiro lá fora para admirar… Esquecemos que existem passeios ao ar livre… água, simplesmente a água que pode aliviar a sede…

- Esquecemo-nos de nós mesmos e da nossa liberdade mental, ou de espírito.

- Esquecemos de nos oxigenar por dentro e por fora. Até carregamos, o mais possível, pensamentos e palavras desagradáveis.

- Pois, esse é um hábito triste, em vez de se cultivar o bom hábito de repetir assiduamente algo agradável pelos outros e por nós…

- Bem, às vezes sobrevivemos em ambientes mesmo desagradáveis, grosseiros e até agressivos…

- Seria melhor não os tornar mais agressivos ainda, porque tudo o que pensamos e fazemos é ampliado cosmicamente.

- Tens razão, mas nem sempre é fácil lidar com as contrariedades e, pior ainda, com as dificuldades.

- Talvez ajude o pensar que tudo o que damos volta a nós em qualquer altura ou, melhor, no momento justo.

- Falas do círculo de acções e energias!

 


publicado por eva às 00:38

link do post | comentar | favorito

Sábado, 10 de Abril de 2010

Mudanças relativas

- deus, bye bye!!

- Então, onde vais?

- Vou já de férias, oh se vou!

- Vais satisfeito – sem dúvida alguma.

- Pois vou. Olha que há mais de 2-3 anos que não sei o que isso é.

- Ora essa! Ainda no ano passado foste tirar uns dias de férias e fora daqui.

- Oh, nada disso! Fui para o campo, mas fui ter com familiares…

- E isso é mau?

- Lá estás tu… Claro que não é – totalmente… O que te digo é que a sintonia da vida continua impecável.

- Hã?

- Hã? Pois é assim mesmo! Vejamos: quando reencontramos a família, que acontece?

- Cumprimentamo-nos cheios de saudades e depois perguntamos e queremos saber de toda a gente que durante o ano fomos perdendo o rastro.

- Exactamente! Ou seja, ficamos na mesma, tal e qual. Não que isso seja mau, não, nada disso… Mas não encontramos a liberdade de férias – verdadeiramente sentidas.

- Não, isso talvez não. Isto é, mudamos a rotina do trabalho remunerado para outra rotina e trabalhos não remunerados. Porque nessas férias também se trabalha, e bastante, fazendo o que durante o ano não tivemos oportunidade de fazer e em conformidade com o horário e quereres familiares.

- Ou seja, são apenas mudanças relativas…

- Bem, não conseguimos, geralmente, arranjar nem o espaço nem o arejamento mental que precisamos para recuperar forças e renovar o nosso oxigénio nas ideias, conforme o fôlego e a capacidade de armazenamento para enfrentar os novos tempos que aí vêm.

- Bem, boas férias!

- Para ti também, melhores férias em sítios onde não reconheças ninguém e possas estar incógnito.

- Para isso não é preciso ir longe, nem em clima de luxo…

- Evidentemente, apenas é preciso preparar esse retiro.

 


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 29 de Março de 2010

Há de tudo

ono, sonhos. Sonhos atormentados. Sonhos felizes.

As nossas preocupações e os nossos anseios – tudo se confunde nos tempos de sono.

Há quem prepare meditações, regressões e futurologias individuais e de grupo.

Há quem queira ajudar. Há quem queira conhecer.

Há, também, quem queira lucrar o seu dia. Há quem queira bisbilhotar a sua vida, a dos seus amigos, o que há para além de…

Há quem queira divertir-se. Há quem queira ter passatempos interessantes. Há quem queira ter predominância sobre as pessoas em geral, ou as conhecidas, ou as aflitas e necessitadas.

Há de tudo!

Há capacidade para discernir! Porque mesmo no meio da dor mais profunda, a consciência íntima avisa e defende o ser.

Há capacidade para escolher o ambiente que se vai partilhar.

Mas, também há incapacidades, deficiências e alterações que obscurecem o entendimento e a lucidez.

Há que ter em conta que as deficiências físicas e mentais pertencem ao corpo e à pessoa, não exactamente ao espírito do ser.

Há que ter em conta que todas as situações são razoáveis porque têm uma razão para ser assim, naquela altura e daquele modo para tal indivíduo.

Há que ter em conta que tudo pode mudar com o instante de um clique.

Há que ter em conta a vontade de mudar e de escolher para que nível se decide mudar e que isto se reflecte no mais ínfimo movimento ou expressão.

Há que ter em conta que a intenção já é movimento do ser e que o sonho pode ser liberdade.

- E tu, sonhas sempre o mesmo?

 


publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010

Vivências

- i!

- Oi, estás melhor hoje?
- Se estou! Dormi muito ou sonhei?
- Dormiste e com certeza sonhaste também. O que, aliás, faz parte da liberdade do espírito que todos somos. Somos um corpo finito do espírito eterno que é a nossa essência.
- Foi exactamente isso que sonhei. E que se atingirmos a fé, ou fidelidade, à energia suprema, cósmica e criadora de tudo, atingiremos o grau maior de evolução espiritual.
- Através da vivência, mas não apenas na vivência.
- Exactamente…
- Mais exactamente pela ética cada vez mais impecável.
- Impecável ou sem pecado.
- Exactamente. Hás-de explicar-me onde estiveste nos teus sonhos…
- Estive em escolas do céu, onde pensavas que tinha sido?
- Não pensei. Fui ouvindo.
- Também aprendi isso – a necessidade de ser bom ouvinte e intérprete das vozes caladas.
- Se calhar aprendeste mais a dormir que muito acordados…
- Talvez, e aprendi que há os mal acordados.
- E já que pareces melhor das febres, agora vou eu dormir.
- Também tens febre?
 

publicado por eva às 00:37

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2009

Somos

Confiança! Fé!
Em nós próprios, nos outros, no mundo que nos rodeia, seja natural ou humanizado, e na razão de que estamos imbuídos para o bem do nosso progresso racional e consciente.
Amargura! Fragilidade!
Quebra de inércia que nos ajuda a progredir, a sempre caminhar em frente e enfrentando tudo o que houver para enfrentar.
Somos também esta dualidade, além de outras mais.
Somos empedernidos como pedra, e amor como mel fluído.
Somos frágeis e extremamente confiantes em nós mesmos.
Somos zero e a potência ao infinito.
Somos apenas o que somos e não o que queremos já ser.
Para ser outro melhor que nós…
- Temos que nos ultrapassar, etc. etc… já sei isso tudo!
- …
- Pois o que não sei é porque tens a certeza que não sou tão bom quanto quero ser ou acho que sou? Pois se estou feliz comigo, família, emprego, conta bancária, etc. etc.
- Evidentemente que tudo depende da exigência que se tem consigo mesmo…
- Ah! Então estou bem, obrigado! Posso ir embora?
- A porta tem estado sempre aberta…
- Ah! Mas eu vi-a sempre fechar assim que entrei aqui.
- Impressão sua!
- Então posso ir embora? Livre?
- Mas nunca prendi ninguém… Cada um sente prisão ou liberdade na vida conforme pode sentir…
- Bom, adeus… Obrigadinho. Se calhar pela sua paciência – sei lá!
- Sei lá se sabe… Não tem que agradecer… E talvez possa tentar a sua felicidade quando puder…
- Irra! Mas eu sou, eu estou feliz!!!!
- Maravilha…

.
.

.

de Maria João Brito de Sousa
Imagem retirada da net
.
.
Disse Galileu Galilei: Não se pode ensinar alguma coisa a alguém, pode-se apenas auxiliar a descobrir por si mesmo !
.

.


publicado por eva às 23:54

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 5 de Novembro de 2009

Escolhas

Estamos onde, exactamente?
- Não sabes? Aqui em casa e a seguir vamos fazer as compras do necessário.
- Sim, sim, sei disso. O que quero saber é onde estamos no Universo. Lá fora, onde fica a casa?
- Isso não sei responder bem, fica num planeta algures no Universo.
- Só isso? O tal Universo não tem ruas, números de porta… como nós temos aqui?
- Não me parece…
- E não tem os jardins com baloiços nem os campos para jogar à bola? Nem os cinemas com as pipocas?
- Os cinemas não têm, nem estão com pipocas.
- Estão sim, não sabes que quando se vai ver um filme levamos o bilhete e as pipocas? Todos os meus amigos fazem assim também.
- Mas, para ver um filme não precisas estar a comer…
- Então, como é que se vêem as cenas de terror?
- E porque tens que escolher esses filmes? Se há tantos cómicos, ou romances, ou doutro género, que te poderão deixar mais bem disposto…
- Porque para esses tenho sempre a companhia dos meus amigos.
- Já pensaste que podes escolher livremente o que queres, desde que a tua escolha não colida desrespeitosamente com a liberdade dos outros?
- Ainda não! Mas cada vez estou mais seguro de mim! E tu, tens mesmo a certeza que não há ruas e casas no céu?

.
.

.

Imagem retirada da net
.
.
Disse  Sarah Ban Breathnach:  A escolha é a alma gémea do destino !
.

.


publicado por eva às 00:36

link do post | comentar | favorito

Domingo, 31 de Maio de 2009

Antero de Quental # A indiferença dos governados

Um dos piores sintomas de desorganização social, que num povo livre se pode manifestar, é a indiferença da parte dos governados para o que diz respeito aos homens e às coisas do governo, porque, num povo livre, esses homens e essas coisas são os símbolos da actividade, das energias, da vida social, são os depositários da vontade e da soberania nacional.
Que um povo de escravos folgue indiferente ou durma o sono solto enquanto em cima se forjam as algemas servis, enquanto sobre o seu mesmo peito, como em bigorna insensível se bate a espada que lho há-de trespassar, é triste, mas compreende-se porque esse sono é o da abjecção e da ignomínia.
Mas quando é livre esse povo, quando a paz lhe é ainda convalescença para as feridas ganhadas em defesa dessa liberdade, quando começa a ter consciência de si e da sua soberania... que então, como tomado de vertigem, desvie os olhos do norte que tanto lhe custara a avistar e deixe correr indiferente a sabor do vento e da onda o navio que tanto risco lhe dera a lançar do porto; para esse povo é como de morte este sintoma, porque é o olvido da ideia que há pouco ainda lhe custara tanto suor tinto com tanto sangue, porque é renegar da bandeira da sua fé, porque é uma nação apóstata da religião das nações - a liberdade!
.

.
in "Prosas da Época de Coimbra"

de Antero de Quental
.
.
Disse  Antero de Quental:  A nossa fatalidade é a nossa história !
.
.

publicado por eva às 00:25

link do post | comentar | favorito


. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds