Eva diz o que sonha (e não só) sem alinhamento a políticas ou crenças conformes às instituições que conhecemos. Momentos de leveza, felicidade ou inspiração para melhorar cada dia com bons pensamentos. Um texto, uma imagem... para todas as idades

. posts recentes

. Esta viagem chegou ao fim

. Tranquilidade e paz

. A cada um suas escolhas

. Quando os elementos se en...

. Ficar só

. Caminhos

. Ajudas

. Conviver

. Violetas

. Outro tipo de império pos...

. Famílias

. Modos de ver

. Há dias assim

. Emoções e relações

. Simbolismos

. Tudo tem importância

. Hábitos e mudanças

. Juventude em viver

. Olhares

. Dúvidas e perguntas

. Fátima, lugar de devoção

. Coisas bonitas que alegra...

. Estudantes e queima das f...

. O nosso planeta reflete o...

. Como as flores

. arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. links

Quarta-feira, 23 de Dezembro de 2009

Pois vivemos!

- Vivemos em épocas de guerra…
- Pois vivemos!
- Vivemos tempos de conquista por nossas conveniências ou, mais que não seja, para implantar as nossas opiniões…
- Pois vivemos!
- Vivemos dias de inquietude quanto ao futuro, tão diferente do tempo aprazível que queríamos desfrutar no fim de uma vida e das recompensas financeiras de uma carreira profissional…
- Pois vivemos!
- Vivemos horas de isolamento, frio, fome e velhice porque…
- Pois vivemos!
- Olha, não sei que é mas parece que gritas um slogan, o do pois vivemos! Posso saber o que está a acontecer?
- Nada, tu é que pareces um político de bancada.
- Mau, estou a dizer a verdade do que penso.
- E quem quer saber disso? Olha, por mim quero é divertir-me e gozar o melhor possível a vida que tenho, ou a que me resta. Se os outros estão frios, abandonados ou felizes é lá com eles. Esta é a nossa sociedade e pronto, vive melhor quem sabe viver – mais nada!
- Logo hoje que estava tão filosófico…
- Hoje? Cada um tem que aprender por si mesmo e o que os outros dizem é com eles, nós não temos nada a ver com a vida dos outros. Nadinha!
- Não te achas com falta de solidariedade?
- Não e não tenho chatices! Cada um vive como quer e se faz algum mal, chamem a Polícia…
- Bem, uma coisa é certa, desde sempre que cada um bebe da água que tem, a porção que quer.
- Nem mais!

.
.

.

Imagem retirada da net
.
.
Disse Martha Medeiros: O contrário do amor não é o ódio, é a indiferença !
.

.


publicado por eva às 00:31

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 22 de Dezembro de 2009

Mil e uma situações

Olha por onde vem aquele… E já agora, olha por onde vais… Hoje está complicado isto do trânsito, até parece 2ª Feira!
- Todos os dias há destes! Até eu! Não sei se é cansaço, se distracção, se ignorância dos perigos. Não consigo perceber mas, no meu caso, foi fazer duas coisas ao mesmo tempo em vez de ter as mãos no volante e fazê-lo virar com acerto na curva que ali começava.
- Parece que é o mesmo que acontece aos outros…
- Pois… a realidade dos espirros é que temos tendência para levar um lenço ao nariz e quando espirramos fechamos os olhos sem querer. É tudo tão rápido quanto instintivo e o resultado pode ser uma grande desgraça.
- Mas, na maior parte das vezes, as atitudes parecem ser fruto da ignorância dos factores essenciais para uma boa utilização das vias públicas.
- Para não falar dos peões e do seu comportamento entre o confiado e o imprevisível. Pensam que parar um carro depende unicamente do condutor, mas isso não é bem assim. Quantas vezes falha a vista em relação ao peão que vai de escuro no meio da escuridão, ou quando falha o pé no pedal, ou falham os travões, etc. Mil e uma situações podem acontecer e mesmo com todos os implicados a terem atenção aos pormenores, às vezes, não se consegue evitar o acidente.
- Resta-nos tentar estar de sobreaviso para o que pode atentar a nossa sobrevivência, seja por nós seja por outros mais incautos, e seguir angelicamente o nosso caminho.

.
.

.

Imagem retirada da net
.
.
Disse Sócrates: Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância !
.

.


publicado por eva às 00:41

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 21 de Dezembro de 2009

Relacionamentos

Sem promessas, sem compromissos, talvez com responsabilidade…
- A cada um a sua medida, não é?
- Efectivamente. Cada um deve reger a sua vida conforme os seus registos éticos e o melhor que puder acrescentar.
- Hoje, como sempre, as pessoas relacionam-se com toda a variedade possível de compromissos, incluindo o sem compromisso nem promessas.
- Certo, todos têm uma personalidade – a sua ‒ para adequar a cada relacionamento, seja afectivo e íntimo, seja social ou de trabalho.
- Tudo se complica quando a(s) outra(s) parte(s) não compreende(m) do mesmo modo e o conflito surge, assim, mais cedo ou mais tarde.
- Também é certo que as pessoas se vão conhecendo cada vez melhor e o que conhecem pode agradar-lhes ou não.
- Pois é, e isso faz com que se relacionem de modo afectivo com sentimentos diferentes, e que, por vezes, se vão distanciando.
- Tudo isto é lógico e entendível no campo emocional; o que não se entende tão bem são os condicionamentos enganosos que, por vezes, persistem ao longo de anos. Quantas vezes, após uma vida em conjunto, é apenas com o falecimento de um deles que vem à tona todo o emaranhado de enganos sucessivos que se foi organizando aos poucos. Fica então a desolação e a falta de explicação. E há explicações, ou razões, tão díspares quanto a diversidade de personalidades.
- As pessoas irão compreender que não vale a pena o esforço para enganar outrem, seja por interesses, seja por pena ou outra razão e que mais vale viver com a verdade no coração e nos lábios, ditada o mais carinhosamente que for possível em tempo adequado.
.
.

.
Imagem retirada da net

.
.

Disse Júlio César: Todos os maus precedentes começam com medidas perfeitamente justificáveis !
.

.


publicado por eva às 00:35

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Domingo, 20 de Dezembro de 2009

Maria João Brito de Sousa # Um Fantasma no Pinheiro de Natal

 

Era o corpo-presente de uma ausência!
Perfeitamente nítido na sala,
E vestido a rigor... traje de gala
Num lençol de alva e pura transparência.

Mas lá que era fantasma... ah, isso era!
Do alto do pinheiro de Natal,
Olhou-me e acenou. Não me fez mal.
Disse-me: - Noutro Natal! Eu fico à espera...

Sorri-lhe também eu, disse-lhe adeus,
Sumiu-se por caminhos muito seus
E eu ali fiquei, muito orgulhosa...


Fora um presente que era só p`ra mim
Pois mais ninguém na casa o viu assim
Naquela noite gélida, invernosa.
.

. 
in “http://poetaporkedeusker.blogs.sapo.pt/”
.
.
Disse Maria João Brito de Sousa: Não há nada que caiba numa só vida, exceptuando essa mesma vida !
.

.


publicado por eva às 13:39

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 19 de Dezembro de 2009

- Oi!
- Olá, ‘tás bom?
- Ya!
- ‘deus!
- Ya!
- Estás a ver, mulher? É assim que agora se falam, não se falando…
- E não dizes tu que o silêncio é de ouro?
- Pois claro que não, é um ditado popular que o diz. Eu apenas o aceito…
- Pois, pois. Mas esse ditado também diz que a palavra é de prata.
- E então? Ouro é mais forte, ou agora já não é?
- O ouro é mais valioso para os homens, mas a prata sempre foi o mais nobre.
- Essa é boa, ela até embaça! Mas o ouro mantém-se sempre inalterável, reconhecível…
- Ora! A prata não altera os ânimos a não ser para melhor e se precisa que lhe dêem brilho não vem daí mal algum, porque o trabalho dignifica.
- Realmente…
- O quê?
- Espanto-me sempre como é possível arranjar sempre outra visão das coisas. Tudo é simples até chegar uma mulher…
- O quê?
- É, é!
- Mas…
- Olha, vamos festejar!
- Festejar o quê?
- A diferença de opiniões.
- Mudaste a tua?
- Que ideia! Conversando contigo gosto sempre mais da minha primeira opinião.
- Fico indecisa se isso é falta de humildade, teimosia ou personalidade conservadora.
- Pelo menos eu não tenho tantas dúvidas. Olhe, faz favor, pode ser essa azevia ali? E tu?
- Já mudaste de assunto!
- Mudei nada, não falavas das palavras e da nobreza da prata? Eu lembrei-me do meu estômago, pedir e pagar por ele. Que há de errado?
- Perfeitamente. Concordo!

.
.

.
Imagem retirada da net
.
.
Disse Dennis Roch: Se precisa de muitas palavras para dizer o que pensa, pense mais um pouco !
.

.


publicado por eva às 00:13

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2009

Somos

Confiança! Fé!
Em nós próprios, nos outros, no mundo que nos rodeia, seja natural ou humanizado, e na razão de que estamos imbuídos para o bem do nosso progresso racional e consciente.
Amargura! Fragilidade!
Quebra de inércia que nos ajuda a progredir, a sempre caminhar em frente e enfrentando tudo o que houver para enfrentar.
Somos também esta dualidade, além de outras mais.
Somos empedernidos como pedra, e amor como mel fluído.
Somos frágeis e extremamente confiantes em nós mesmos.
Somos zero e a potência ao infinito.
Somos apenas o que somos e não o que queremos já ser.
Para ser outro melhor que nós…
- Temos que nos ultrapassar, etc. etc… já sei isso tudo!
- …
- Pois o que não sei é porque tens a certeza que não sou tão bom quanto quero ser ou acho que sou? Pois se estou feliz comigo, família, emprego, conta bancária, etc. etc.
- Evidentemente que tudo depende da exigência que se tem consigo mesmo…
- Ah! Então estou bem, obrigado! Posso ir embora?
- A porta tem estado sempre aberta…
- Ah! Mas eu vi-a sempre fechar assim que entrei aqui.
- Impressão sua!
- Então posso ir embora? Livre?
- Mas nunca prendi ninguém… Cada um sente prisão ou liberdade na vida conforme pode sentir…
- Bom, adeus… Obrigadinho. Se calhar pela sua paciência – sei lá!
- Sei lá se sabe… Não tem que agradecer… E talvez possa tentar a sua felicidade quando puder…
- Irra! Mas eu sou, eu estou feliz!!!!
- Maravilha…

.
.

.

de Maria João Brito de Sousa
Imagem retirada da net
.
.
Disse Galileu Galilei: Não se pode ensinar alguma coisa a alguém, pode-se apenas auxiliar a descobrir por si mesmo !
.

.


publicado por eva às 23:54

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 17 de Dezembro de 2009

Tudo pulsa de vida

Tudo em nosso redor pulsa de vida, em mil e uma colorações e em outras tantas variações de sons, paladares, etc.
Em nosso redor pulsam milhares de seres diferentes que provocam, em si mesmos, alterações em conformidade com as situações. Isto é, alteram a sua cor e capacidades sonoras conforme têm que chamar os filhotes, ou avisá-los de perigo, ou porque estão feridos e quão feridos estão, ou dar início ao namoro…
Situações tão variadas têm reflexos e provocam as reacções que se tornam necessárias.
E todos somos assim, independentemente do nível que ocupemos na escala dada pela ciência para classificar todos os seres vivos conhecidos.
O apelo à vida e à melhor manutenção desse pulsar é uma obrigação inerente e natural a ser respeitada.
É desejável, pois, que os nossos reflexos físicos e mentais sejam os mais razoáveis e possam ser tão sensatos e fortes que melhorem os que, à nossa volta, precisam de auxílio e de forças para vencer a sua inércia.

.
.

.

Imagem retirada da net
.
.
Diz Brahma Kumaris: Sempre que tiro alguma coisa do seu contexto, deixo de entendê-la e começo a distorcê-la !
.

.


publicado por eva às 00:34

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009

Da partilha

Os grãos de areia deslizam da mão, dos dedos, de volta ao piso que formam.
São milhares de milhares de milhões…
São pequeníssimos individualmente mas formam enormes areais em conjunto…
A sua fragilidade individual não se compara com a força que atingem quando formam um conjunto compacto.
Eles são o exemplo do que somos e do que podemos ser para a humanidade, para o planeta.
Todos somos importantes. Mesmo os mais frágeis podem tornar-se fortes nesta ou naquela circunstância.
Todos temos a relevância que podemos ter, acrescida da valorização que formos capazes de construir para nós.
E essa construção, por incrível que pareça, depende, e muito, do que formos capazes de ser para os outros com a nossa personalidade mais íntima, ou profunda.
- Ou seja, não conseguimos dar, mas partilhar…
- Pois como seria possível dar o que não temos? Apenas podemos, se quisermos, dar o que temos, ou seja, partilhar o que somos intimamente.
- Então, e quando queremos ajudar mais alguém e não somos ainda o necessário para ajudar?
- Então teremos que ultrapassar as dificuldades que tivermos e que forem consideradas necessárias para, em determinada situação, poder ser útil a outrem com o novo nível consciencial que atingirmos.
- Seja para ajuda fraternal, seja para ajuda profissional ou especializada tecnicamente?
- Ajuda sempre foi ajudar em qualquer circunstância.

.
.

.

Imagem retirada da net
.
.
Dizem os Textos Judaicos: O homem que pensa poder viver sem outro está equivocado; o homem que pensa que os outros não poderão viver sem ele, está ainda mais equivocado !
.

.


publicado por eva às 00:30

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

Progresso

Tentativas fazemos todos, todos os dias e por todas as situações que se nos deparam.
Todos nos ultrapassamos diariamente, a maior parte das vezes sem percebermos o que fazemos.
É instintivo a todas as formas de vida o progresso de si, como indivíduo, o que vai conjugar-se com o progresso da espécie a que pertence e com a melhoria de condições do ambiente que necessita para sobreviver e promover a sua vida.
E o progresso, se é constante a todos os níveis, também pode ser imperceptível para muitos.
Os cientistas de todas as áreas são concordantes em que tudo progride em linha evolutiva até poder derivar em outros modos de vida mais evoluídos, e daí seguindo sempre caminhos evolutivos e sucessivos.
A Natureza dá-nos constantes e variados exemplos da constância desse progresso, que, aliás, se pode observar facilmente e verificar como se constrói esse desenvolvimento.
- A união faz a força?
- Se por força se entender a melhoria de resultados…

.
.

.

Imagem retirada da net
.
. 
Disse Eça de Queiroz: Esta geração nova sente a necessidade do divino. É desagradável, para quem sente a alma bem conformada, descender apenas do protoplasma; e mais desagradável ter o fim que tem uma couve, a quem não cabe outra esperança senão renascer como couve !
.

.


publicado por eva às 00:33

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 14 de Dezembro de 2009

O Natal que

Natal e compras, ou comprinhas…
Depende da bolsa, depende da vontade e da proximidade dos entes familiares.
O Natal que tanto pode ser dia de amargura e tristeza, de solidão ou de festa e das caras alegres de crianças.
O Natal que se vai preparando com alguma antecedência ou que não se prepara e se ignora na igualdade dos dias, que apenas são para se passar passando, arrastando nas horas…
Há dias chegou-me um mail que mostrava adultos e crianças dormitando em plena rua, em ambiente de guerra-guerrilha, e a legenda dizia que enquanto alguns dormiam em camas quentes outros poderiam desejar não acordar da poeira da rua.
As desigualdades são maiores ou menores a cada ano?
Que fazemos, individualmente, para que todos melhorem?
- Eu, como não sei que fazer, rezo. Rezo por todos esses e rezo todos os dias e, até, a cada vez que vejo algum mais desfavorecido.
- Mas, muitas vezes foram eles mesmos que procuraram esse tipo de vida e não querem ser ajudados.
- Todos queremos ser ajudados, a questão é que por vezes o estado presente já escondeu, bem fundo, a esperança da felicidade e a negação de ajuda é a defesa que se encontra para não cair ainda mais fundo. Porque muitas vezes foi através de uma pretensa ajuda que se ficou sem nada. Nada de nada!
- Isso é idealismo e ficção! Cada um tem o que escolhe…
- Cada um tem o que pode ter e, por vezes, já não tem fôlego para a esperança, apenas para reunir forças e viver o seu dia-a-dia, noite-a-noite, e estas são cada vez mais longas.
- E que dizes dos que deixam tudo, casa, família, filhos… por vício, por um ideal…
- E filhos e netos que já não conhecerão de perto… Digo-te que são escolhas que fazem, por vezes, na melhor das intenções.
- Na melhor das intenções para eles!
- Continua a ser uma escolha por boa intenção e o resultado é-lhe reservado e aos familiares que o acompanham. As melhores escolhas podem ter resultados horríveis ou maravilhosos, no presente ou no futuro.
- Ou seja, tudo é possível de ser justificado por boas intenções!
- Ou seja, não devemos acusar e, quando julgarmos, seja algo e não alguém. E se for alguém que seja o próprio e não o alheio.

.
.

.
Salvador Dali - O infindável enigma
Imagem retirada da net

.
.

Disse Sydney J. Harris: Um idealista acredita que o curto prazo não conta. Um cínico acredita que o longo prazo não importa. Um realista acredita que aquilo que se faz ou deixa de fazer no curto prazo, determina o longo prazo !
.

.


publicado por eva às 00:33

link do post | comentar | favorito

. ESCRITOS de EVA

Bem vindos! Namastê!

. Reflexão

Aquilo que pensas ser o cume é apenas mais um degrau - Séneca

. mais sobre mim

. Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


. pesquisar

 

. links

. Alguns favoritos (mais em Ver Perfil)

. A Casa do Passal - Cabana...

. Aristides de Sousa Mendes...

. Maria João Brito de Sousa...

. Sophia de Mello Breyner A...

. Mercedes Sosa

. Jalal Rumi # A evolução d...

. Cecília Meireles # A arte...

. Cecília Meireles # Cântic...

. Teilhard de Chardin # O M...

. Natália Correia # Ó Véspe...

. tags

. todas as tags

. Simpatias recebidas

@@@@@@@@@@@@@@@ Campanha da Amizade, amizade de Aida Nuno @@@@@@@@@@@@@@@ É um blog muito bom, sim senhora! , amizade de Coffee Cup @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Dardos, amizade de Lady Magenta, poetaporkedeusker, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Blog de Ouro, amizade de poetaporkedeusker, Maria José Rijo, Velucia @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Magic Blog, amizade de Maria José Rijo @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Seu Blog tem Néctar, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Mimo Samoga, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Prémio Medalha de Ouro, amizade de poetaporkedeusker @@@@@@@@@@@@@@@ Selo Best Blog, amizade de Alice Alfazema
blogs SAPO

. subscrever feeds